[Resenha] Perdão, Leonard Peacock

Perdão, Leonard Peacock
Título Original: Forgive Me, Leonard Peacock
Autor(a):  Matthew Quick
Editora: Intrínseca      Páginas: 288
Lançamento: 2013      ISBN: 9788580573954
Compare & Compre    Skoob   Facebook   
42134622


Hoje é o aniversário de Leonard Peacock. Também é o dia em que ele saiu de casa com uma arma na mochila. Porque é hoje que ele vai matar o ex-melhor amigo e depois se suicidar com a P-38 que foi do avô, a pistola do Reich. Mas antes ele quer encontrar e se despedir das quatro pessoas mais importantes de sua vida: Walt, o vizinho obcecado por filmes de Humphrey Bogart; Baback, que estuda na mesma escola que ele e é um virtuose do violino; Lauren, a garota cristã de quem ele gosta, e Herr Silverman, o professor que está agora ensinando à turma sobre o Holocausto. Encontro após encontro, conversando com cada uma dessas pessoas, o jovem ao poucos revela seus segredos, mas o relógio não para: até o fim do dia Leonard estará morto.

Imprevisível, tocante e sensível.

Embora o Lado Bom da Vida tenha sido o livro mais comentado de Matthew Quick, eu preferi começar a ler suas obras por Perdão, Leonard Peacock e posso dizer que foi uma excelente escolha.

Quick é inteligente, pegou um assunto já abordado anteriormente na literatura, que é a história de um jovem com uma arma que vai para escola disposto a matar e morrer, e nos apresentou isso de forma envolvente e intimista. A trama não começa pela tragédia e sim pela saída do rapaz de casa e seus pensamentos antes da hora fatídica, em um dia que poderia ser qualquer dia, mas não é, já que é o aniversário de dezoito anos de Leonard. Este artifício usado pelo autor, nos deixa ver Leo não como um menino revoltado e sim como alguém que passou por algo difícil, constrangedor e não sabe mais como lidar com isso. A falta de apoio da mãe é fator fundamental para sua profunda tristeza e depressão. Léo é solitário, comete algumas esquisitices, mas tudo nos leva a crer que ele seja apenas uma pessoa carente de atenção e amor. Literalmente fechamos o livro conhecendo Leonard Peacock.

Na sua caminhada rumo ao suicídio iminente, Leo conta sua vida, a narrativa em primeira pessoa em sua voz, comove e nos faz pensar. Inicialmente não sabemos o que aconteceu para deixar o garoto com tão pouca vontade de viver e o autor não se preocupa em revelar isso de imediato, primeiramente nos oferece um convite para passar um dia com seu protagonista, conhece-lo antes de julgar.

Leo decide matar Asher Beal, o valentão da escola que um dia foi seu grande amigo, mas hoje, definitivamente não faz mais parte do seu círculo de pessoas queridas. Beal está ligado com o acontecimento do passado de Leo que o atormenta. Após matar, ele pretende partir também, mas antes precisa dizer adeus às poucas pessoas que realmente gosta e fizeram parte de sua vida nos último anos, são eles o vizinho idoso Walt, o qual inseriu o protagonista em sua paixão por filmes antigos estrelados por Humphrey Bogart (as conversas entre eles são formadas por frases destes filmes, é delicioso ver os diálogos compostos de trechos de conversas dos atores, fazendo tanto sentido no contexto), Baback um colega de escola que lhe permitia assistir seus ensaios de violino, Lauren, a garota religiosa que despertava em Leo um intenso desejo de beijar e Herr Silverman, seu professor.

Leo nos apresenta cada uma destas pessoas contando como as conheceu e mostrando como o relacionamento com eles foi desenvolvido, assim temos muitos flashes do passado mesclado com o presente, e confesso que mesmo sendo um livro triste, ri muito, pois Leo não é uma pessoa comum, assim suas amizades são cheias de peculiaridades e com momentos hilários e únicos.

Os personagens são maravilhosos, vivos e marcantes. Adorei a doçura de Walt e a forma como compreendia Leo, um amigo incrível e Herr Silverman é o professor que todos gostaríamos  de ter, inteligente e sagaz, mas acima de tudo humano, que via em suas aulas um espaço para fazer a diferença na vida de cada aluno, não apenas lhes dar uma lição de casa, ouso dizer que sua caracterização é uma homenagem do autor aos colegas de profissão e até mesmo uma inspiração para estes, visto que Quick já trabalhou como professor.

E Leo? Gente! Leo é sensacional, pensem em um garoto que temos vontade de ter em nossa vida e cuidar como se fosse uma jóia, proteger acima de tudo. Ele é frágil muitas vezes, mas por outro lado muito forte, maduro e resistente, isso é visto claramente quando seu segredo do passado é revelado e ficamos sabendo que seus pais, em especial sua mãe, nunca lhe ajudou e deu apoio. Não é qualquer um que aguenta por tanto tempo carregar certas coisas sozinho. Acreditei que encontraria aqui um livro com um personagem revoltado e cheio de ódio, estava mesmo pronta para sentir pena de Leo, mas acabei sendo surpreendida com um garoto encantador, doce e muito inteligente.

A leitura é muito dinâmica e a ansiedade nos inunda, precisamos saber se ele vai ter coragem de levar seu plano as vias de fato. Torci por uma final feliz, não queria mesmo que Leo morresse, nem tampouco matasse alguém, ele merecia uma chance e um futuro. 

Ser jovem não é fácil, amadurecer também não, mas dar a volta por cima de traumas e seguir em frente é um desafio ainda maior. Perdão, Leonard Peacock não é simplesmente um drama, é uma história de aceitação, superação, de crescimento, de amor, de amizade, mas acima de tudo de esperança e vida. Sim!  Leo queria matar sua tristeza e solidão, não a si mesmo.

Com certeza vou ler outros livros do autor, ele é ótimo e sabe escrever de maneira muito perspicaz sobre assuntos polêmicos e atuais.




2leep.com

21 comentários:

  1. não conhecia esse livro de forma tão profunda
    a cabeça de Leo deve ser um mar de confusões!
    seria interessante ver o fim da história
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Com certeza esse livro entrou pra minha lista de melhores livros de 2013! Miiiil vezes melhor que O Lado Bom da Vida, realmente não estava preparada pra o grande clímax da história, mas adorei mesmo assim <3 Já fiz até resenha dele lá no blog...

    Bjss, viverserfeliz-renata.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Que resenha FANTÁSTICA!
    As vezes a nossa volta há tantos Léos e que nem sempre percebemos isso. Não li nenhum livro do Matthew, mas sempre fiquei interessada em O lado bom da vida e esse agora se torna mais um para a lista.

    Natalia / Entre Livros e Livros.
    http://musicaselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie Cida =)

    Confesso que não dava nada por esse livro, mas após ler a sua resenha fiquei bastante curiosa. Não li ainda O Lado bom da Vida, por que li algumas resenhas negativas que me desanimaram um pouco. Porém acho que esse tem tudo para me encantar *-*

    Parabéns pela resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Cida, a proposta desse livro é muitíssimo interessante. Para ser bem sincera, nunca tive muita vontade de ler O LADO BOM DA VIDA, mas esse, sim. E pelo seus comentários dá pra sentir que a trama é realmente envolvente... taí uma história que eu gostaria muito de ler. Me soa instigante do início ao fim graças a sua resenha. Parabéns!

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ai Cida eu MORRO de vontade de ler esse livro! Eu li O lado bom da vida e me apaixonei pelo autor, falaram que esse é ainda melhor. Não vejo a hora de comprar. Ótima resenha *-*

    Beijinhos
    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir
  7. Oiee :)
    Gostei de sabe que o livro cativou, e que ele traga lições de vidas, ainda mais que a fase da adolescência é complicada mesmo, fiquei curiosa e quero ler.
    Beliscões da Máh♥
    Cantinho da Máh

    ResponderExcluir
  8. ótima resenha!!! Quero ler esse livro. Tive a sorte de conhecer ao autor pessoalmente ( Pois não fiquei na enorme fila RSrs) No dia ele fez uma visita surpresa, sem ser o dia oficial da tarde de autógrafos muito simpático. :)
    Bjs
    eternamente-princesa.blogspot.com.br
    eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro, mas pela resenha é uma ´tima leitura e nos coloca para pensar...

    meupedepagina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida, tudo bem?
    Eu vi muitas pessoas falando super bem de Perdão, Leonard Peacock! A verdade é que eu gostei bastante da escrita do Matthew Quick depois de O Lado Bom da Vida e estou bem ansiosa pra conferir seu novo livro.
    Gostei muito da sua resenha e espero dar 5 estrelinhas também (:

    Beijos,
    Leitora Online

    ResponderExcluir
  11. Olá querida!

    Eu já imaginava que o livro seria bem emocionante pelo autor, é o estilo dele. Mas não esperava que fosse bom assim. Fiquei encantada! *--*

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida :)
    Há um tempinho eu li uma resenha desse livro e fiquei apaixonada. Eu não tinha muita curiosidade em ler e o motivo disso era essa capa (que eu acho horrenda, confesso) e a sinopse que eu acho muito superficial. Não sei dizer ao certo, mas para mim são duas combinações nada atrativas.
    Mudei de opinião por conta de uma resenha que li a pouco tempo, mas agora a sua me convenceu a ler. E o fato de ter dado 5 estrelas só me deixou ainda mais curiosa.
    Beijos
    http://www.coisasdemeninas.blog.br/

    ResponderExcluir
  13. Já li uma resenha sobre o livro O lado bom da vida, mas ainda não li nada deste autor! Achei bem diferente o enredo de estória deste livro, nunca vi nenhuma obra que tratasse deste mesmo tema, e achei diferente porque esta nos permitirá conhecer o personagem e seu ponto de vista, antes de julgá-lo! Deve ser um livro muito emocionante mesmo e que nos trará bastante lições!
    beijos ♥
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Cida,
    Eu estou namorando esse livro a muito tempo, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
    Adoro histórias mais adultas e que nos provocam sentimentos diversos e ele deve ser exatamente assim.
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oie Cida
    comprei esse livro na bienal para autografar com o autor, mas até hoje não li, o que é uma vergonha. A sinopse já me deixou mega curiosa, e pela sua resenha esse livro é bem diferente do primeiro dele que li, e amo autores versáteis que conseguem trabalhar enredos tão diferentes. Vou colocar na lista de leitura de fevereiro.
    bjos
    www.mybookit.com

    ResponderExcluir
  16. Eu quero ler e fiquei ainda mais curiosa depois da tua resenha, percebo que é uma característica do autor essa coisa otimista.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Cida, eu já amei este livro pela sinopse e a sua resenha só me fez amá-lo mais ainda e querer ler urgentemente este livro.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Eu li o outro livro do autor e não gostei muito, mas eu quero muito ler este, parece ser bem melhor do que o outro (assim eu espero!).

    Beijos,
    http://algoadefinir.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Falam muito bem desse livro e eu pretendo ler esse livro antes de O lado bom da vida. Para merecer as cinco estrelas, deve ser mesmo digno. O enredo é diferente, original e é um assunto polêmico. Espero me surpreender como você e que o livro para mim seja como foi dito no início da resenha: "Imprevisível, tocante e sensível".

    ResponderExcluir
  20. Cida, li O Lado Bom da Vida e, sinceramente, esperava mais. O livro não é ruim, mas me irritou de diversas formas e não me tocou como fez com outras pessoas. Por esse motivo, decidi não ler Perdão, Leonard Peacock, pois não queria me decepcionar novamente. Na época do lançamento, lembro de todos os burburinhos que fizeram em torno da obra e li diversas resenhas super positivas sobre o assunto. Mesmo assim, nenhuma me motivou a lê-lo. Até eu ler a sua. Sério, você tem uma forma muito diferente de escrever, porque você costuma ir além do resumo da obra e das meras considerações sobre o que você achou. Você é sempre tão sincera, e consegue apontar de maneira magistral pontos peculiares da história que acaba traçando um panorama muito maior acerca do livro. Realmente nos instiga a ler, ou então nos alerta e faz ressalvas. E pela primeira vez posso dizer que tive vontade de ler esse livro, e talvez eu o leia sem preconceito e enxergando a trama com outros olhos. Obrigada viu! Obrigada por fazer a diferença na minha vida literária.

    P.S. Ouvi dizer que este não foi um grande lançamento da Intrínseca. Mesmo assim, ela acabou de fechar 2 contratos com outros 2 livros do Quick.

    Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mi! Não li o outro livro dele, resolvi começar por este até por achar o tema mais interessante, é bem legal e não senti irritação com o personagem, Leo é carente e acebei sendo totalmente conquistada por ele. Acredito que o livro anterior tenha tido mais repercussão por conta do filme, mas ainda bem que a editora vai continuar com o autor. E mais uma vez obrigada pelo imenso carinho, é por isso que amo ter este blog.

      Excluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!