[Resenha] A Fera Interior

A Fera Interior
Título Original: Svinehunde
Autor(a): Lotte e Søren Hammer
Editora: Vertigo      Páginas: 448
Lançamento: 2013      ISBN: 9788582860038
976-zoom_20130912104028




 
Cinco corpos masculinos mutilados – castrados – e um rico empreendedor que denuncia na mídia a falta de firmeza da justiça dinamarquesa para com os pedófilos. O inspetor Simonsen, que tem experiência demais para não desconfiar das coincidências, logo compreende que está diante de um plano de grandes dimensões, cujos pormenores ainda desconhece… Neste primeiro romance, intenso e cativante, Lotte0 e Søren Hammer constroem uma intriga milimétrica e engenhosa sobre um assunto ainda tabu na Dinamarca, a pedofilia. Pintando o retrato de uma opinião pública que toma partido dos assassinos, os autores levam o leitor a questionar suas próprias certezas éticas.


Eu sou fã de literatura policial, minha autora preferida é Agatha Christie, li todos os seus livros e guardo comigo o seu conceito de que a nossa poltrona predileta é o melhor lugar para resolver um crime. É muito gostoso colocar a mente para trabalhar junto com os detetives da ficção e tentar não só descobrir um assassino, mas também juntar todas as evidências, entender o motivo e aí sim, desvendar o mistério. Na verdade o melhor são as razões, pois é na motivação que você entende os detalhes daquele acontecimento e neste livro isso é o fator fundamental, pois além de nos fazer entender os assassinatos e a brutalidade que os acompanhou, também faz o leitor ficar em dúvidas sobre querer que o crime seja resolvido e se realmente os vilões, são vilões.
 
O livro começa de forma marcante, com duas crianças indo para escola numa manhã nebulosa e encontrando na instituição de ensino cinco corpos masculinos mutilados, sem as mãos e pendurados. Não é uma cena fácil de encarar e eu logo pensei em vingança, afinal a questão ali não era só matar, havia muito mais por trás de tudo. Logo entra em cena a equipe de investigação liderada pelo inspetor Konrad Simonsen que vai ter muito trabalho para reunir as pistas necessárias para resolver o caso, eles são obrigados a ir fundo no aspecto psicológico de cada testemunha, além de ter que viajar pelos quatros cantos do país para isso. Já adianto que é no passado que tudo teve início.
 
A equipe policial é grande, lembra bem séries de TV onde cada um desempenha um papel específico e tem um jeito todo seu de ser, eu gostei bastante deles, principalmente da Condessa, ela sabe ser dura quando precisa e também sensível em outras situações. O chefe, Simonsen é um policial capaz de tudo para desvendar um caso, usando até mesmo ferramentas nada ortodoxas. Eles são eficazes, brigam como uma grande família e no final entendem-se, são humanos e extremamente cativantes.
 
Além dos policiais, o rol de personagens envolvidos na trama é vasto, temos as testemunhas, familiares, jornalistas e claro os criminosos. No começo eu demorei para me acostumar com tanta gente, principalmente pelo nomes que são bem diferentes e as vezes eu precisava prestar muita atenção para saber se era homem ou mulher, mas depois que você lê umas cem páginas e está bem inserido no contexto essa dificuldade passa.
 
A narrativa é em terceira pessoa e vai de um lado para o outro, mostrando para nós perfeitamente cada detalhe da situação. Em alguns capítulos seguimos os passos dos criminosos, em outros dos policiais e nos últimos capítulos tudo é unido, dando um clima de muita adrenalina para a narrativa. O começo, mesmo chocante, é mais lento, até que sejamos apresentados aos fatos e personagens, a fluência na leitura não é muito grande.
 
O cenário é a Dinamarca e lá as coisas são bem chocantes, principalmente no tocante as leis a as estatísticas relacionadas a determinado tipo de crime, é algo horrível de acreditar, que muitas vezes soa desumano. Atenção! É aí que está o centro de tudo, pois a base do crime é a revolta contra esses fatos. Os criminosos são motivados por uma questão que eles acreditam ser justa com cada um deles, inclusive por terem sido prejudicados pelas leis e política de seu país, nesse momento até o leitor questiona quem é verdadeiramente culpado. No livro há uma comoção da população para que os crimes fiquem sem punição e a verdade é que eu também desejei que isso acontecesse, embora a violência não justifique a violência.
 
A Fera Interior é um excelente livro, que não só foca em um crime e na sua resolução, mas traz em suas páginas um grito de alerta para a sociedade, onde fazer vistas grossas e varrer a sujeira para debaixo do tapete pode ocasionar efeitos catastróficos. A mente humana pode ir além dos limites na busca por justiça.
 
Este é o primeiro volume da série Konrad Simonsen, mas como é comum em séries policiais, cada livro traz um caso diferente, com final fechado.  Espero que leiam e curtam bastante.


2leep.com

14 comentários:

  1. Cida, sou doida por livros policiais justamente por isso que você citou, pela emoção que é investigar e decifrar um crime juntamente com os personagens. Adoro criar milhares de teorias e ao final me surpreender. Adoro mergulhar no enredo e ficar tão absorta a ponto de me impressionar ou então ter pesadelos a respeito. Tive isso em A Síndrome e Gataca, e pelo isto A Fera Interior é outro que promete. Adorei a dica e acabei de comprar o livro por sua causa! Espero gostar tanto quanto você. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida,
    não sei se lerei este livro, ele não parece fazer meu estilo, mas quem sabe no futuro?

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Nossa, fiquei muito curiosa com a história, principalmente por se passar na Dinamarca, nunca li nenhum livro com esse cenário e adoro conhecer o máximo destes possíveis! Não sei se lerei por agora, mas marquei como desejado lá no skoob!

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Morrendo de amor pelo o livro 3...2...1...
    Sério, sou fã também de literatura policial e pelo o que você na sua resenha o autor escreve magistralmente bem.
    A sensação de desvendar. de entrar na pele de um detetive não tem preço. Vou comprar ele, urgentemente.


    Lucas - Carpe Liber
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha! Também amo literatura policial e mistérios e a sinopse e enredo deste livro me chamou bastante atenção! Gosto muito de estórias envolvendo assassinatos, vingança e investigações este parece ser um ótimo livro, ótima recomendação!
    beijos ♥
    quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. oie Cida
    amo romances policiais, e compartilho da mesma opinião que a sua: nossa poltrona é o melhor lugar para resolver crimes rs
    Claro que fiquei mega curiosa, ainda mais pela parte onde você expõe que a população não queria punição para o crime, e que você também acabou desejando isso. Uau, deve ter um motivo e tanto por trás dessas mortes.
    Isso já foi o suficiente para me deixar mega curiosa e adicionar o livro no skoob, já que eu não o conhecia.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  7. não gosto de livros policiais, mas ate que dá uma vontade de brincar de detetive
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida!
    Intenso esse livro amiga, e pelo visto o enredo foi muito bem desenvolvido. Já estou imaginando o motivo dos crimes e se for o que penso, acho que realmente balança o leitor, mesmo aqueles que não curtem violência. Ótima resenha.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  9. Eu lia muito Agatha Christie quando era mais nova, até hoje curto histórias policiais e esse me instigou bastante.
    A capa em si já me deixou curiosa para ler o livro.
    beijos
    http://www.letrasdanana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não gosto de livros policiais, são pouquissimos que fiquei com vontade de ler e este não é um deles. Percebo que o livro mostra que um crime não resolvido faz outros crimes surgirem e isso pode custar caro para a sociedade. Vemos isso todos os dias nos jornais. Por enquanto não quero ler livros assim por enquanto.

    ResponderExcluir
  11. Sério que já leu todos os livros da Agatha?! Que diva, sou apaixonada por ela, mas até agora só li uns 10 títulos dela. Assim como você sou apaixonada por literatura policial e uma opinião tão boa em relação ao livro vindo de uma admiradora da Christie me animou bastante. Não me lembro de ter lido um policial contemporâneo em 2013, acho que está na hora de investir. Entrou para a minha listinha!

    ResponderExcluir
  12. Sempre q tem pedofilia no meio o tema sempre fica muito pesado. :/
    Por ser tratar de um triler policial eu vou conferir com certeza. Assim q ele pintar no skoob eu agarro a oportunidade. hehehe
    Também amo Agatha Christie e já li vários livros dela.

    ResponderExcluir
  13. Amo esses livros policias, afinal, um pouco de suspense nunca é demais, não é? Depois da resenha só quero cada vez mais ler esse livro.

    ResponderExcluir
  14. Eita que já gostei deste livro pela sinopse. Eu também sou fã da Aghata Christie apesar de não ter lido todos os livros.

    Eu gostei muito da sua resenha e fiquei muito interessada no livro. Agora tenho que anotar o nome e procurar onde comprá-lo.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!