[Resenha] Dezenove Minutos

Dezenove Minutos
Título Original: Nineteen Minutes
Autor(a): Jodi Picoult
Editora:  Verus      Páginas: 545
Lançamento: 2013      ISBN:9788576862024

jodipicoult-337x500

Sterling é uma cidadezinha comum do interior, onde nada acontece – até o dia em que a quietude é abalada por um terrível ato de violência. Peter, um adolescente socialmente isolado que há anos sofre bullying, um dia leva uma arma para a escola e abre fogo contra os colegas, matando dez pessoas. Narrações do passado revelam como as constantes provocações dos outros alunos levaram Peter a se isolar, buscando refúgio em jogos violentos de computador. Josie, filha da juíza responsável pelo caso e que já foi a melhor amiga de Peter, deveria ser a testemunha mais valiosa de acusação, mas não consegue se lembrar do que aconteceu bem diante de seus olhos – ou será que consegue? Conforme o julgamento avança, rupturas entre os adolescentes da escola e a comunidade adulta começam a se revelar, destruindo famílias e as amizades mais íntimas. Repleto de nuances psicológicas e sociais perspicazes, Dezenove minutosé um livro comovente, que traz em seu cerne uma questão marcante: É possível conhecer alguém de verdade?

Quando li O Pacto de Jodi Picoult fiquei impressionada pela força de sua narrativa, que me deixou mexida e chocada. Ela conseguiu em uma trama que parecia previsível, mostrar a profundidade dos sentimentos humanos e além disso, até onde as pessoas são capazes de ir por amor. Então quando escolhi Dezenove Minutos para ler, esperava algo intenso, e garanto que mais uma vez, foi chocante.

Este livro traz um tema que hoje em dia tem sido visto facilmente em jornais, os massacres em colégios, onde um ou mais estudantes surtam e saem atirando nos colegas. Tem sido algo tão comum, embora muito triste, que os autores estão apostando no tema para suas obras. Vimos que A Lista Negra foi um impacto no meio literário, e eu que li, posso dizer que foi uma leitura sensacional. Assim ao iniciar esta leitura, imaginei estar preparada, mas estava totalmente enganada, me vi em algo tão intenso. Tanto que não consegui ler de uma vez, fui intercalando com outros livros mais leves, para conseguir digerir a história aos poucos.

Peter sempre foi vítima de bullying, mas diferente de outras pessoas que aceitam e sofrem em silêncio ele reagiu. Pegou quatro diferentes tipos de armas, invadiu a escola o seus sistemas de computador, explodiu uma bomba no estacionamento e em dezenove minutos matou e feriu mais de vinte pessoas.  Foi preso e levado à julgamento, mas não é sua condenação ou soltura que rege a trama, e sim os fatos que antecederam o tiroteio e as consequências do mesmo.
"Em dezenove minutos, você pode cortar a grama da frente da casa, pintar o cabelo, ver um terço de um jogo de hóquei. Consegue assar pãezinhos... Pode dobrar as roupas lavadas de uma família de cinco pessoas. Ou, como Peter Houghton sabe... em dezenove minutos, você pode fazer o mundo parar de repente."

A narrativa é em terceira pessoa e construída de forma inteligente, mesclando capítulos no passado e no presente, de forma que as duas épocas encontram-se no ápice da história, um encontro dos personagens com sua vidas, mostrando tudo o que levou-os até ali.  É interessante ver a transformação das pessoas no decorrer dos anos e como o meio em que vivem  foi essencial na sua formação, principalmente no tocante ao jovens. Achei os capítulos muito longos, mais de trinta páginas cada, isso torna a leitura um pouco lenta as vezes, mas não prejudicou o enredo, mais a velocidade para ler.

No momentos do presente temos a investigação, que busca não um culpado, mas a motivação do crime. Nessa parte a autora explora bem o sentimento de culpa, mostrando os pais de Peter arrependidos, sem saber exatamente a razão, eles culpando um ao outro e a si mesmos. Não há como saber o que levou o filho a fazer aquilo, e eles entram em profunda depressão. Já no passado, aí sim, é fácil descobrir como Peter chegou ali, é ao observar sua criação e crescimento, que percebemos a bomba relógio sendo montada.

Peter não encanta, ele me deu arrepios com tanta frieza, suas atitudes mostravam claramente que ele sabia o que estaca fazendo e não sentia nenhum arrependimento, suas únicas demonstrações de bondade foram com Josie, a amiga de infância que em certo momento o deixou de lado para viver entre os populares.

E esta garota é o outro lado da trama, uma das pessoas que estava cara a cara com a arma de Peter e não morreu, nem teve um arranhão sequer. Qual a razão? Boa pergunta, e é a busca desta resposta que nos leva a ver que nem tudo está restrito aos fatos apresentados e ao que vimos, existe algo oculto, que só Josie e Peter sabiam. 

Josie, ao contrário do garoto mexe com a gente, eu sentia muita pena dela, cercada de tanta gente e totalmente sozinha e pior ainda, envolvida em uma relação amorosa doentia e violenta. Eu sinceramente não sei como ela aguentava o namorado possessivo e ciumento, acredito que pela falta que sentia de apoio em casa, acabou mergulhando de cabeça em um namoro sem nenhum futuro promissor.

A trama inteira é muito forte, as revelações que vão surgindo, a maneira como Peter era tratado, é tudo muito cheio de crueldade, e o pior de tudo é saber que vida real as coisas são assim mesmo, o bullying é algo triste e medíocre, mas existe e é preciso que vista grossa não seja feita para o assunto. No livro Peter foi educado à reagir, e ele reagiu mesmo. 

Então de quem foi a culpa? Da educação? Sim! Da sociedade? Sim! Dele? Não sei…..

Mesmo não simpatizando com o jovem, suas necessidades de ser aceito e ter amigos são impactantes, é triste ver tanta solidão e amargura, e quando lidei com tantas coisas infelizes, eu parei e pensei que de alguma forma a justiça foi feita, não que a violência seja algo certo, nem mesmo cogitável, mas que dá vontade de fazer certas pessoas sentirem na pele sua própria maldade, isso dá vontade sim. Ai gente, este livro é tão real, e mostra como as pessoas podem ser feias, por mais bela que seja sua aparência, o interior é muito podre. As vítimas não são tão vítimas assim.

Jodi Picoult gosta de um tribunal, e assim como no outro livro dela que li, o momento decisivo se dá em meio a um julgamento, e tive a sensação de que nem sempre a verdade é a melhor saída, as vezes ela é pior que a mentira, pois revela aquilo que os olhos não viam e o coração não podia sentir. O livro não termina com um felizes para sempre, como eu disse é real, e muito vivo, então esperem por um final do tipo… e a vida segue para todos, superar e seguir em frente.

Gostei muito e recomendo, mas leiam com calma, e não esperem algo doce e meloso, é uma leitura para mexer com você, crua, sincera. Não chorei, mas fiquei bem tocada por tudo, principalmente pela falta de respeito e arrogância que nos cercam. Sim, eu recomendo, e espero em breve ler outros livros da autora.




2leep.com

35 comentários:

  1. Oi Cida,
    não conhecia o livro e a capa me afastou totalmente dele, mas a historia parece ser bonita, mas não leria no momento, estou devorando livros, não daria para ler bem calma e tranquila rsrsrs

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu intercalei com outros Van, não atrapalha em nada, até porque não consegui ler de uma vez só por ser bem tenso.

      Excluir
  2. Oiiiiiiiiiiiiiiii
    nossa, esse livro parece ser bem intenso né?!
    N é meu gênero favorito mas confesso q fiquei bastante curiosa!!

    Bjoooooooooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. não me interessou muito pelo livro, sei lá a história não me chamou a atenção e a capa então não ajuda em nada huasshauh

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  4. Eu confesso que não me interessaria pelo livro se o visse na livraria, mas depois de ler a sua resenha, que foi muito boa, me deu muita vontade de ler :)
    bjs
    http://www.letrasdanana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro muito bom, e como eu já conhecia o trabalho da autora sabia que não iria me decepcionar.

      Excluir
  5. Não tinha lido nada a respeito desse livro ainda, mas adorei a resenha, me deixou ansiosa para conhecer.
    Mas acapa ñ me chamaria atenção em uma livraria.

    http://livrosumapaixao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas já quero ler. Primeiro pela autora, que é sensacional! Segundo pelo tema, que embora seja fora da minha zona de conforto, costuma propiciar leituras maravilhosas. E terceiro pela sua resenha, que me aumentou ainda mais a minha certeza de que é uma leitura que preciso fazer!

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, acredito que você vá ter uma excelente experiência.

      Excluir
  7. Eu li um livro dela e confesso que ela sim, sabe mexer com a gente. A forma como ela escreve e tão real que toca profundamente a gente. Confesso que fiquei mexida quando terminei de ler A Menina de Vidro, porque a Jodi desperta sentimentos na gente como poucos autores conseguem fazer.
    Vou já adicionar o livro a minha lista, beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi cida, que magnitude este livro tem!!
    Nunca li nada do gênero e eu já ouvi falar de O Pacto, mais deste não..
    Eu gostaria muito de ter a oportunidade de ler..
    Parabéns pela resenha ^^

    beijos mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/
    PS: Eu sumi pq tirei uns dias de férias!!

    ResponderExcluir
  9. O tema é realmente bem atual, e tenso! Parece ser um livro bom para refletir um pouco sobre o mundo em que vivemos. Nunca li nada da autora, mas acho que vou sim dar uma chance :D
    Valeu pela dica e ótima resenha

    Beijo
    http://heysisteraj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. achei uma trama forte, acho que vai ser um livro pra surpreender!!! nunca li nada com essa temática explosiva!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Já li um livro com essa premissa e foi uma leitura emocionante, que me marcou muito.
    Não conhecia esse livro da Jodi, mas só pela sinopse já fiquei interessada. Sua resenha serviu pra confirmar o que imaginei. Provavelmente lerei!

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Kel que despertou seu interesse, espero que você leia em breve.

      Excluir
  12. Cida, o enredo me lembrou alguns de meus seriados favoritos - aqueles de investigação criminal e tal. Por isso e pela resenha, sei que irei gostar bastante! Mas preciso estar bem relaxada antes de começar a ler, pois sei que irá mexer comigo. Igual aconteceu contigo.
    Ah, não fazia ideia de que se tratava de algo tão intenso e impactante só olhando para a capa. Vou até procurar por outros livros da autora. :)
    Eu concordo com você, violência não é e nunca será aceitável, mas pessoas como essas têm que tomar uma enorme dose de bom senso. É triste e irritante.
    Amei a resenha!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Rafa! Tem vezes que não há como deixar de pensar em castigo, certas pessoas passam muito tempo impunes.É muito legal o livro, o fator psicológico é forte.

      Excluir
  13. Parece ser um livro bem forte. Gostei do tema, que apesar de ser uma coisa triste, é algo que infelizmente vemos bastante hoje em dia.
    Não gosto muito de capítulos longos, mas ainda assim fiquei curiosa para ler. Não li nada da Jodie até hoje, mas acho bacana livros que mexem com a gente.
    Bjo

    ResponderExcluir
  14. Nossa, adorei a resenha. Olhando a capa não imaginava que se tratasse de um assunto tão forte e digno de atenção com este. Fiquei super afim de ler o livro. Valeu pela dica. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  15. Olá Cida, que resenha maravilhosa. Nunca li da Jodi, mas sinto que esse é o livro certo para começar. Adoro me surpreender, adoro histórias reais e profundas. Esse livro parece ter tudo isso e muito mais.

    Beijos
    Caline - Mundo de Papel
    http://mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Me interessei muito por esse livro, até porque me lembrou de um caso recente que aconteceu aqui no Brasil, no Rio de Janeiro. Triste realidade...

    ResponderExcluir
  17. Me interessei muito por esse livro, até porque me lembrou de um casa recente que aconteceu aqui no Brasil, no Rio de Janeiro. Não é a toa que ficou no Best Seller do New York Times...

    ResponderExcluir
  18. Oie:)
    Adorei a resenha♥
    Quando vi a capa a primeira vez não sabia do que o livro se tratava. A estória parece ser bem interessante e é uma triste realidade. Na vida real nós vemos vários casos muito semelhantes a esse. Nunca li nada da autora, mas tenho muita vontade de ler O pacto.

    Beijoss
    http://cupcakedeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Oie Cida
    não lembro de ter visto esse livro, então não sabia da existência dele, nem imaginava que tratava sobre bullying.
    Parece ser no mesmo estilo de Precisamos falar sobre o Kevin. Nunca li nada da autora, e vou começar por esse.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos falar sobre Kevin eu não li , mas se segue esta linha deve ser bom, deixa eu dar um tempo de leituras tensas, que pego ele.

      Excluir
  20. Não conhecia o livro, gostei muito da postagem ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/
    http://lizajoneslivros.wix.com/lizajones

    ResponderExcluir
  21. Eu ainda não conhecia o livro, mas ele parece ser maravilhoso! Gostei *-*

    Beijos, www.rayramii.com

    ResponderExcluir
  22. Cida, sua resenha ficou fantástica! Se só com a resenha já fiquei emocionada eu imagino hora que estiver lendo este livro. Já coloquei ele na minha lista de desejados e assim que conseguir adquiri-lo irei devorá-lo. Parabéns pela resenha maravilhosa!!
    beijos
    http://nolimitedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Cida, tudo bem?
    Eu confesso que não consegui ler livros com essa temática. Pra ser sinceral mal consigo ver notícias de situações desse tipo. Imagino que o livro seja de fato muito bom e escrito para nos fazer refletir, mas acho que não leria, não agora.
    Abraços
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  24. Sempre tive vontade de ler um livro dessa autora, mas esqueci o nome dele no momento. Eu tinha visto o lançamento desse livro, mas não parei para analisá-lo direito, a história é densa e você está certa quando diz que essa tragédia ficou comum, é lamentável e é por isso que o hoje o bulling é tratado com mais cuidado, afinal cada um tem o seu limite e é imprevisível o modo como cada um reage quando o seu limite é ultrapassado. Fiquei instigada a conhecer o Peter e a Josie, ótima resenha.
    Abraços,
    Raquel – Viajando com Livros.

    ResponderExcluir
  25. Gosto muito de livros e filmes com essa temática, lembrei na hora do filme "Precisamos falar sobre Kevin"...
    Gostei de tudo, resenha, capa... creio que vou ler mais esse! haha

    ResponderExcluir
  26. Oie amiga
    Eu acabei conhecendo essa autora agora, mas pelo que li de sua resenha ela é uma ótima escritora.
    O livro tem uma temática forte e real. Uma história densa e cercada de tragédia. Eu pretendo ler esse livro e já adicionei as minhas leituras.
    Parabéns pela resenha amiga.
    Beijos

    Jéssica - Leitora Sempre
    www.leitorasempre.com

    ResponderExcluir
  27. Com certeza é um livro que vem dar um tapa na cara da sociedade. Gosto muito de leituras com temas atuais e difíceis, e o bullying é um dos meus favoritos.
    Não tenho o que falar mais do que: eu vou comprar sem sobras de dúvidas!

    ResponderExcluir
  28. Adoro leituras que mexem comigo. Eu não compraria essa livro se fosse depender só da capa, achei muito simples, mas também como eu não sei o que se passa na história toda eu nem posso dizer muita coisa... Vou ler =)

    ResponderExcluir
  29. Adoro leituras que mexem comigo. Eu não compraria essa livro se fosse depender só da capa, achei muito simples, mas também como eu não sei o que se passa na história toda eu nem posso dizer muita coisa... Vou ler =)

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!