[Resenha] O Anjo de Hitler

O Anjo de Hitler
Título Original: Hitler's Angel 
Autor (a): William Osborne
Editora: Seguinte    Páginas: 272
Lançamento: 2013     ISBN: 9788565765145

Leni tem catorze anos, é austríaca, judia e muito corajosa. Refugiada na Inglaterra durante a Segunda Guerra Mundial, certo dia é convocada pelo almirante MacPherson para a missão mais perigosa de sua vida... Otto é alto, bem magro, tem olhos castanhos e vive na Inglaterra - sua família foi aprisionada pelos nazistas. Ele adora se meter em confusão e é por isso que, quando o almirante sugere que ele ajude o governo inglês numa missão ultrassecreta, ele aceita na hora. Otto e Leni são enviados à Alemanha para resgatar uma garotinha chamada Angelika. Pouco se sabe sobre essa pequena órfã misteriosa em quem a Inglaterra tanto aposta como a arma secreta que colocará o ponto final naquela guerra sangrenta. Leni, Otto e Angelika enfrentam grandes desafios, descobrem segredos importantíssimos e acabam mudando os rumos deste episódio tão marcante para a história.

O que me levou a escolher este livro foram dois elementos muito atraentes, ser um infanto-juvenil e ter como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial. Gosto muito de histórias passadas nesta época, e imaginei que a abordagem aqui seria bem leve, já que a sinopse do livro nos dá ideia de uma grande aventura. Vamos ver?

O livro começa com Otto fugindo da Alemanha. Apesar de ser oriundo deste país, o jovem não faz parte da juventude nazista, na verdade, nem ele, nem a família concordam com a loucura de seu líder, Hitler, e após o pai, a mãe e o irmão terem sidos capturados pelos soldados do Terceiro Reich, Otto só viu uma chance de sobreviver, um abrigo na Inglaterra. Na terra da rainha, o menino encontrou um novo lugar para viver, porém ele vivia metido em confusão, ali, definitivamente, não era um lar.

Leni, uma jovem judia vinda da Áustria, também uma fugitiva das garras de Hitler, encontrou na Inglaterra seu refúgio, ela é uma garota atrevida que trabalha na entrega de sangue, um serviço de guerra, mas nem por isso cansativo, Leni gosta do que faz. Ela sente-se bem ao ser útil.

Otto quer sair das confusões em que vive e Leni quer além de ser útil, tentar ajudar o pai e os irmãos que ficaram na terra natal, e com estas motivações, eles aceitam, sem exitar, a proposta de ajudar a Inglaterra contra a Alemanha nesta guerra, tornando-se assim agentes secretos. Sua missão: roubar um criança.

O Anjo de Hiltler é um livro mais sério do que pensei, embora tenha cenas divertidas, é um livro com enredo mais maduro. Otto e Leni são personagens com uma vida endurecida pela realidade de uma guerra, são pessoas que foram obrigadas a separar-se de suas famílias e começar uma nova vida em um país estranho, sem ao menos saber se aqueles que amam ainda estão vivos. É uma época que destruiu vidas e mudou destinos, fazendo jovens assumir responsabilidades de adultos antes mesmo de sair da infância. Por este tom, temos então, uma dupla de protagonistas sem tempo para brincadeiras, somente para sobreviver. No entanto, isso não os torna imune as inseguranças da juventude, o que percebemos facilmente nas atitudes que tomam no decorrer da história.

A missão de ambos, que na minha opinião foi aceita muito rápido por eles, é algo que os intriga, afinal não fazem ideia de quem seja a criança que vão roubar, sabem apenas que ela é um trunfo para a Inglaterra. Angelika é a criança, e mesmo que o leitor tenha certeza que sabe quem ela é,  também está enganado, eu fiquei surpresa pela revelação final. 

No começo achei tudo muito fácil, imaginava que a missão teria muitos empecilhos e eles fossem encarar muitas dificuldades, isso tirou aquele gostinho de aventura que tanto gosto de encontrar em livros do gênero, a facilidade tirou a empolgação, a vontade de torcer pela dupla. Eu estranhei o fato de a história se passar no meio da guerra e não vermos as marcas da mesma no cenário, era como se eles estivessem à margem de tudo. Mas depois que eles pegam a menina, aí sim, vemos uma corrida alucinada para salvar a pele, e gostei deste ritmo, era assim que queria me sentir desde o começo, aflita com o que estava por vir na próxima página. 

Otto e Leni são a dupla da discórdia, viviam em desacordo, e mesmo que algumas vezes tivessem a mesma opinião, a atitude não era a mesma, até quando lutavam pela vida um do outro, eu não conseguia ver um laço de união, aquele sentimentalismo que surge entre companheiros de batalha. Ah! E estes não são seus verdadeiros nomes, eles só os dizem no final.

Mas foi Angelika quem me cativou, a menina é tão doce, meiga e inocente, que não há como não gostar dela. Seu papel na trama foi algo que me encantou, mas também me deixou triste, pois ela na verdade é considerada pelos outros apenas algo para barganha, e ver uma criança tão adorável ser tratada com tanta frieza, não é algo que seja fácil de aceitar. Mas o que poderia ser feito? Era uma fase onde as pessoas deixaram a humanidade na gaveta, foram poucos que a mantiveram lado a lado, diariamente.

Eu esperava um enredo mais leve e mais emotivo, porém me surpreendi com a intensidade da trama, principalmente no tocante aos personagens, que mesmo jovens, tem uma personalidade densa. Suas escolhas não foram fáceis, e a de Angelika a que me marcou mais, eu não imaginava aquele desfecho, e embora tenha gostado muito da história, o final não me deixou feliz, tanto pela decisão do autor em relação ao destino de um personagem, quanto a explicação de alguns fatos. Ficou algo no ar, deixando para o leitor a dedução. Puxa vida gente, não foi justo, não é série, então cabe a nós a conclusão.

Os nomes e fatos citados foram baseados em acontecimentos reais, há um apêndice no final explicando quem foram as figuras históricas usadas pelo autor. William Osborne além de escritor, é também roteirista, e acho que esta história daria um bom filme, é bem objetiva, sem aprofundar-se em detalhes e isso tornaria a adaptação bem próxima do original.




2leep.com

20 comentários:

  1. Adorei a Resenha, quando comecei a ler a resenha e me deparei com o nome Otto pensei logo no pai de Anne Frank...
    Eu quero ler esse livro, gostei bastante da sinopse e o fato que te desagradou pode ser o que mais me agrade pois eu não gosto muito de complicações e enrolações...

    Estandy Books - A Estante Da Andy

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida,
    eu não conhecia o livro e confesso que a capa não me chama atenção, mas lendo sua resenha tive certeza que não é meu estilo de livro. Não leria por enquanto.

    Abraços.

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  3. Já tenho visto várias resenhas do livro por aí e ele já havia me chamado atenção por tratar sobre a segunda guerra mundial que é uma temática que amo ler. Pretendo um dia ler tudo sobre o assunto. É incrível que a cada coisa que leio descubro um fator novo que me deixa abobada. Hitler nunca cansa em me surpreender. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  4. Também gosto de histórias que se passam na guerra, ainda mais quando são baseadas em fatos reais, como esta. Porém, não me senti tão atraída pela história desse livro :C

    Beijos,
    Caroline
    http://criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Então eu adoro livros que contam sobre a 2 guerra mundial, sou bem aficionada nesse tema desde o ensino médio, acho que ia gostar de ler esse livro, mas tenho medo de ficar frustrada com o final, pois saber que tudo é real, que foi baseado em algo real pode me deixar um pouco abalada, por mais que saibamos das crueldades é dificil imaginar que são reais
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie amiga
    Também gosto de histórias que sem passam na guerra. O primeiro livro que li sobre esse assunto foi O Diário de Zlata, bem marcante pra mim.
    Eu gostei da proposta do livro e leria sem problemas.
    Parabéns pela resenha.
    Beijos

    Jéssica
    Leitora Sempre
    http://leitorasempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Adoro livros que passam na Segunda Guerra Mundial, então esse aqui não pode faltar né!!!

    Adorei a resenha,
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida!
    Já li algumas resenhas desse livro e tenho muito curiosidade de ler porque gosto quando tem elementos históricos no enredo. Gostei também dos personagens, vou ler o livro assim que tiver oportunidade. ;)

    Beijos,

    Rafa{Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
  9. Olá Cida!
    Fiquei curiosíssima para ler o livro, gostei da resenha e da forma como você escreve, sou nova aqui estou conhecendo seu blog agora e adorando :D
    Já estou fazendo parte para acompanhar suas postagens!
    Ah, tenho um blog sobre educação e lá também faço resenha de livros, porém infantis! se quiser conhecer meu cantinho, fique a vontade irei ficar muito feliz!
    Até mais.

    Diário de Jardineira

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cida.
    Eu só li um livro se tratando do tema, e gostei bastante, apesar de ter chorado horrores. Não sei se estou pronta pra ler outro livro assim, mas mesmo assim vou colocar na lista porque me interessou bastante.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida! parabéns pela resenha! ótima, como sempre! Agora que já sei melhor sobre o que é eu posso decidir se quero ler ou não :) não é meu gênero favorito mas gostei bastante da estória :)
    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oie Cida =)

    Assim, como você tenho um fraco por livros e filmes que se passam na Segunda Guerra, mesmo sabendo que vou chorar horrores.

    Sua resenha me chamou muito a atenção para o livro, principalmente por que eu não conhecia ele. Mesmo tenho uma narrativa mais séria, acredito que vou gostar bastante dele.

    Adorei a dica!

    Beijos e um ótimo domingo;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  13. Gosto desses livros sobre as Guerras Mundiais, como o "Menino do Pijama Listrado". O Anjo de Hitler parece seguir esse mesmo enredo, e estou curiosa para lê-lo :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tive oportunidade de ler O menino do pijama listrado ainda, mas a vontade é grande.

      Excluir
  14. Oi,

    Ainda não li esse livro, mas vai entrar para lista dos livros "vai ler" rsrs

    Bjs!

    Viciados Pela Leitura



    ResponderExcluir
  15. Oi Cida!
    Curto livros que se passam na Segunda Guerra Mundial, apesar de mexerem muito comigo. Eles me deixam para baixo, entende?
    Acredito que esse, por ser juvenil, talvez não seja tão denso como muitos esperam. Talvez eu goste.
    A história parece ser instigante.
    Pretendo ler em breve e espero gostar.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  16. Opa, falou Hitler já me interessei haha. Não, não sou nazista, mas sou apaixonada por historia e nao tem como ignorar a importancia deste homem pra ela. Adoro livros que abordem as guerras, especialmente a Segunda. Mesmo com alguns pontos negativos que voce ressaltou, vou arriscar a leitura.

    Um beijo
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Acho a ideia desse enredo super legal e original, mas para ser sincera estou fugindo um pouco de leituras mais para o infanto-juvenil, não estou na "vibe", entende?
    De qualquer forma não descarto uma leitura futura. É só questão de momento mesmo.

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  18. Adorei a resenha! Gosto muito de livros que envolvem a história da segunda guerra, sempre fico tocada pelas histórias. Talvez eu leia quando estiver num clima de leitura pesada...

    Paola
    uma-leitora.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Se eu for ler terei que ter um lenço do lado para me acompanhar.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!