{Resenha} O Espadachim de Carvão

O Espadachim de Carvão
Autor(a): Affonso Solano
Editora:  Fantasy Casa da Palavra      Páginas: 256
Lançamento: 2013      ISBN:  9788577343348


Filho de um dos quatro deuses de Kurgala, Adapak vive com o pai em sua ilha sagrada, afastada e adorada pelas diferentes espécies do mundo. Lá, o jovem de pele absolutamente negra e olhos brancos cresceu com todo o conhecimento divino a seu dispor, mas consciente de que nunca poderia deixar sua morada. Ao completar dezenove anos, no entanto, isso muda. Testemunhando a ilha ser invadida por um misterioso grupo de assassinos, Adapak se vê forçado a fugir pela vida e se expor aos olhos do mundo pela primeira vez, aplicando seus conhecimentos e uma exótica técnica de combate na busca pela identidade daqueles que desejam a morte dos Deuses de Kurgala.

O Espadachim de Carvão, publicado pelo selo Fantasy, é o primeiro livro do autor Affonso Solano, colunista do site TechTudo e criador do site e podcast Matando Rôbos Gigantes, hoje parte do grupo Jovem Nerd.

Este é um livro de fantasia e aventura bem criativo. O universo criado por Solano é algo que nunca poderia imaginar, começando já pelo próprio protagonista, Adapak, sua pele é escura como carvão e seus olhos totalmente brancos, dando impressão de ser cego, mas ele não é. Mesmo vivendo em um lugar com diferentes criaturas, ele é o único com esta aparência.

Kurgala é um mundo fantástico, com um mistura de humanos e todos os tipos de seres, que foi abandonado por seus quatro deuses. Adapak é um jovem de dezenove ciclos, filho de um destes deuses. O jovem foi criado por seu pai , em uma ilha, isolado de tudo e de todos, teve pouco contato com o mundo exterior. Além do pai conheceu outros dois homens, um menino e uma garota, nada além disso. Teve uma excelente educação, mas o que lhe sobra em conhecimento, falta em experiência de vida, Adapak não tem aquela malícia em relação à nada.

Um dia, a ilha é invadida e seu pai assassinado, a seguir o jovem se encontra em meio à uma luta por sua sobrevivência, tendo que abandonar seu lar em busca de respostas, afinal Adapak não sabe porque querem matá-lo, sua única pista é uma palavra sem sentido, "Ikibu".

O livro já começa em uma luta entre Adapak e seus algozes, com muita ação e muito sangue, e este tipo de acontecimento vai da primeira até a última página desta trama, não faltam boas lutas e muita perseguição no livro. O protagonista domina uma técnica brilhante de luta, Os Círculos Tibaul, algo fascinante que mescla raciocínio rápido e inteligência na hora de uma luta, exterminado qualquer inimigo num piscar de olhos.

A narrativa é em terceira pessoa, mesclando o presente, com o passado. Nos dias atuais vamos seguindo os passos de Adapak, dividindo com ele a busca por respostas. Ele precisa entender o motivo de estar sendo perseguido, e assim procura as poucas pessoas que conheceu, mas seu caminho de esperança, é logo minado por traições e o conhecimento do mundo real. Sua criação isolada não permitiu que imaginasse como as pessoas têm índoles diferentes, em sua inocência e boa fé, é vítima da maldade e ganância. Já nos capítulos que mostram o passado, vemos como foi a vida do rapaz, sua criação e descobrimos mais sobre a história de Kurgala e seus deuses. Em momento nenhum achei o livro cansativo, a forma como Solano conduz sua história é dinâmica, flui muito bem, mas senti certo incômodo no uso excessivo da palavra "bosta", pode até ser vista como uma gíria do povo de Kurgala, mas ao meu ver não caiu bem. 

Adapak é um mocinho que foge dos padrões de galã que arranca suspiros, sua aparência incomum  e a maneira violenta que age, assustam inicialmente, mas ao conhecer melhor seu jeito de ser, não há como não se deixar cativar. Ele é muito inocente, sua ingenuidade é mais perigosa que seus inimigos, pois ele não consegue perceber quando alguém quer lhe passar a perna. O rapaz passa por poucas e boas, mas tem sorte de encontrar gente honesta, como a capitã Sirara, que lhe dá uma boa ajuda em sua empreitada. Mesmo ele sendo um grande lutador, o melhor espadachim já visto, no fundo é apenas um jovem que já amou e teve seu coração partido, que fez de seu pai um herói e ao perdê-lo também se perdeu e que como nós, ama um bom livro de aventura e se deixa levar nas linhas de uma boa história.

Em um livro com menos de 300 páginas, Solano conseguiu não só montar uma história legal, mas construir um universo novo, e nos apresentar isso de forma detalhada. Ele nos traz uma nova cultura, novos seres, novas crenças. Porém demorei um pouco para entrar de vez no enredo, pois o autor segura certas revelações e acabei ficando mais perdida que Adapak, pois somente com as investigações do rapaz e com os flashes do passado é que consegui compreender melhor, na verdade é o passado que nos esclarece, pois o que está por descobrir tem que ser revelado aos poucos, para nos levar ao clímax do livro. O que quero dizer é que, para mergulhar de cabeça na trama e sentir na pele, precisamos saber de fatos que aconteceram anteriormente, pois são estes fatos que nos permitem a visão de tudo, assim se os capítulos do passado tivessem sido antecipados, teria sido mais fácil pra mim, no entanto, passado esta dificuldade, só vibrei e fiquei roendo as unhas para saber os segredos que escondiam de Adapak, e olha que não foram poucos.

Embora seja um livro de fantasia, não posso deixar de ver sua ligação com o mundo real ao mostrar  nas diferentes personalidades de seus personagens os defeitos e qualidades da natureza humana, inveja, cobiça, sede de poder, inocência, fé, honestidades entre outros. Podem ser criaturas que não existem, mas suas ações não são estranhas para nós, o melhor neste contexto é observar o crescimento e amadurecimento de Adapak, que mesmo tendo sofrido pelas armações dos outros e descobrindo que muito de seu mundo foi baseado em mentiras, ele não perdeu a fé e a esperança. A verdade que poderia lhe destruir, foi a força motriz que lhe permitiu seguir em frente e tornar-se mais forte. Ele nos inspira a sermos fortes frente as piores adversidades.

O final é fechado, mas se Solano quiser pode nos dar ainda muitas outras aventuras com Adapak, eu torço para isso, pois ele é uma figurinha mais do que agradável, sua sensibilidade é cativante.





2leep.com

32 comentários:

  1. Dá até vergonha ver minha resenha agora depois da sua. Toda completona, toda detalhada, eu fico com medo de contar as coisas e deixo tudo escondidinho. O livro com certeza é muito bacanudo, eu curti bastante;

    ResponderExcluir
  2. Oii, o livro parece ser muito bom, com a sua resenha deu-me vontade de lê-lo, algum dia espero ter essa oportunidade...
    Ótima resenha!
    Beijinhos
    Júlia
    http://anothersimplewords.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amei a resenha.
    http://www.blogflordelis.com/
    Obs: Obrigada por comentar lá no meu blog.

    ResponderExcluir
  4. Bem diferente esse livro
    Não conhencia, mas parece ser bom

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não curto muito, esse estilo de fantasia retratado no livro, mas achei interessante essa ligação que autor fez com o mundo real. Então quem sabe eu leia um dia e acabe gostado

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!
    Que protagonista diferente, hein? Achei interessante essa ideia do autor em criar um protagonista que foge dos padrões.
    Não conhecia o livro e mesmo após ler sua resenha positiva, não fiquei interessado. Acredito que não curtirei muito a história. Talvez eu lesse apenas por curiosidade. Somente.
    Enfim, gostei muito da resenha! (:
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  7. Oiiii, gostei mto mesmo da sua resenha, rsrs' Parabéns!
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas com a sua resenha me pareceu mto interessante, bem diferente!!!
    Amei o Adapak *--*
    Com certeza ele já esta na minha lista de livros que eu irei ler!

    Tem resenha nova lá no blog, quer dar uma passadinha por lá?
    Desde já eu agradeço...
    -Ivie
    -Fallen in Me

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida, sua resenha ficou fantástica.
    Mas realmente este não é um livro que me chamou a atenção, não me atraiu muito.
    Beijoos!

    Jaque

    ResponderExcluir
  9. Bem interessante a sinopse do livro, acredita que nunca ouvi falar dele? A Fantasy tem publicado títulos bem legais hein...
    Não é uma opção de leitura no momento, pq estou tão atolada de coisas que estou dando preferência para os "++", porém, vou mandar pra lista de desejados futuros :p

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Cida!
    Eu gosto de história que trazem mundos novos e bem trabalhados, ainda mais quando essa trama se desenvolve em um poucas páginas sem se tornar ruim. O protagonista é bem "diferente", não ta no protótipo lindo, loiro do olho azul rs gostei disso :)
    Com certeza vai pra minha lista de leitura! Já estou em duas promoções dele e espero ganhar alguma rs
    Beijos
    Descobrindolivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Cida!
    Esse Adapak parece ser um protagonista diferente, fiquei imaginando um cara com tanta habilidade corporal e nenhuma habilidade social, deve ser interessante ver o personagem conhecendo o mundo. Ótima resenha ;)
    Beijos... Elis Culceag.
    * Arquivo Passional *


    ResponderExcluir
  12. Me pareceu ser um ótimo livro .
    Gostaria de lê-lo , quem sabe

    Vem conhecer meu cantinho.
    http://livroselivrosana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Já tinha visto uma resenha desse livro, mas não sabia que o autor era colunista do TechTudo. Não sei se o livro iria me interessar porque não curto muito esses livros super fantasiosos e tal. Mas, claro, um livro bem trabalhado e bem explicado torna-se fantástico =D

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Acho bem legal essa coisa que você falou em relação ao autor ter criado um universo novo e diferente. Isso é extremamente difícil num mercado literário que está aos poucos perdendo a originalidade.
    Eu gosto do título do livro e adoro essa capa. Iria adorar ler *-*

    (desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  15. Oi Cida! Aaaaah, mais um que vai IMEDIATAMENTE para a lista de desejados, haha! Fiquei muito curiosa a respeito da obra, melhor ainda saber que ele passa um reflexo do que somos, sempre nos fazem repensar.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  16. A Fantasy tem lançado livros ótimos, já tinha ouvido falar de "O espadachim de Carvão", mas não achei que ia me interessar tanto...

    Agora, "bosta" uma gíria do povo Kurgala?! Como assim?? kk
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eles usaram tanto a palavra que achei parte do vocabulário local, só pode ser.

      Excluir
    2. Ah Cida, normal né. É para o personagem "xingar" sem ser censurado, antes bosta que c@%@&!* e "otras cositas más". Particurlarmente acho que deixa mais humano o personagem.

      Excluir
  17. Parabéns pela resenha, a primeira que leio desse livro, que para falar a verdade, eu não conhecia. Gostei mesmo.... e essa gíria "bosta", acho que não cai bem mesmo né?!! ehheheheh

    ResponderExcluir
  18. Essa foi a primeira resenha que li desse livro e fiquei bem curiosa!! O livro parece ser muito bom e fiquei interessada em lê-lo!!

    ResponderExcluir
  19. O livro parece ser demais, já estou um tempo querendo lê-lo!! Ótima resenha.
    Super abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Já li uma resenha falando sobre ele e gostei muito.Depois de sua resenha então não há como deixar de ler.É diferente do que costumo ler mais me pareceu muito bom.Beijos.

    ResponderExcluir
  21. Na verdade ,poucos mocinhos são negros (falando sério)
    e o fato de um rapaz ser um bom lutador e ingênuo isso me deixou intrigada :D

    ResponderExcluir
  22. Sua resenha é perfeita,me deixou só com mais vontade de ler o livro *O*
    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Olá Cida,

    Achei interessante esse livro e acho que iria gostar de ler...parabéns pela resenha...abraços.

    http://devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Estou super interessado nesse livro *-*
    Parece ser bem legal :)

    Gabriel - Umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. Nossa, achei o livro muito interessante! Completamente a minha cara e do tipo de livro que gostaria muito de ler. Adorei todo o enredo, achei muito interessante ele ser filho de um deus e viver nesse ambiente bem diferente e ter que se retirar dele, acredito que a historia é sensacional pq ai já se cria um conflito e ele terá seus objetivos a partir de então. Nossa quero ler!!

    ResponderExcluir
  26. Oi tudo bem?

    Fiquei estusiasmada, pelo perfil do protagonista, como vc diz, é bem fora do "padrão" de mocinhos que sempre vemos por ai, e a ingenuidade dele deve ser tbem muito cativante!
    Gosto muito de livros de fantasia, e acho que vou mergular nesse! Quero saber os secredos de Adapak
    bjos

    ResponderExcluir
  27. Esse história tem tudo o que procuro em um livro desse gênero: Protagonista carismático, fantasia, magia, aventura, amadurecimento de personagem, ligação com o mundo real, narrativa agradável... enfim, quero ler muito em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  28. SEGUIDOR: WILLIAN

    Quero muito ler esse livro, as resenhas que li criaram uma expectativa muito boa, a história parece ser cativante e bem amarrada, já coloquei na minha lista.

    ResponderExcluir
  29. quero muito ler este livro parece muito bom

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!