[Resenha] Todas as Pequenas Luzes

Todas as Pequenas Luzes
Título Original: All the Little Lights 
Autor(a): Jamie McGuire 
Editora: Verus                      Páginas: 350 
Lançamento: 2018               ISBN: 9788576867272
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads ||

 

Quando Elliott Youngblood vê Catherine Calhoun pela primeira vez, ele é apenas um garoto com uma câmera nas mãos que nunca viu algo tão triste e tão belo. Os dois se sentem excluídos e logo se tornam amigos. Porém, no momento em que Catherine mais precisa dele, Elliott é forçado a sair da cidade. Alguns anos depois, Elliott finalmente retorna, mas ele e Catherine agora são pessoas diferentes. Ele é um atleta bem-sucedido, e ela passa todo o tempo livre trabalhando na misteriosa pousada de sua mãe. Catherine ainda não perdoou Elliott por abandoná-la num momento difícil, mas ele está determinado a reconquistar a amizade dela ― e a ganhar seu coração. Bem quando Catherine está pronta para confiar outra vez em Elliott, ele se torna o principal suspeito em uma tragédia local. Apesar da desconfiança de todos na cidade, Catherine se agarra ao seu amor por Elliott. Mas um segredo devastador que ela esconde pode destruir qualquer chance de felicidade que os dois ainda têm.

Todas as Pequenas Luzes foi um livro que me surpreendeu do começo ao fim. Eu não esperava encontrar um história de Jamie McGuire que misturasse drama e suspense.

Jamie é mais conhecida por Belo Desastre e os demais livros que derivaram deste universo, desta forma eu já comecei esta leitura acreditando que fosse encontrar mais um romance no estilo de bad boy e mocinha “inocente”, só que não. Em primeiro lugar, Todas As Pequenas Luzes se passa com personagens mais jovens, que estão no ensino médio e sob tutela dos pais. Este último um ponto importante da trama para seu desenvolvimento geral.

Elliott Youngblood e Catherine Calhoun são dois jovens que se conhecem em torno dos 15 anos e desenvolvem uma amizade forte, com ares de um grande primeiro amor. Ambos buscam refúgio na companhia um do outro, aliviando-se da dureza de seus lares. Ela tem em casa uma mãe profundamente transtornada psicologicamente e ele um pai violento e uma mãe que aceita ser saco de pancadas. Para os dois estar fora de casa é um momento de ser apenas jovem, nada além disso.

Justamente quando o pai de Catherine morre de maneira inesperada, a mãe de Elliott o obriga a deixar a menina para trás e passam –se dois anos antes de ambos se verem novamente. Ele nunca a esqueceu e fez de tudo para estar ao lado da garota que fez seu coração bater mais forte. Ela, por seu lado, tem raiva de Elliott por ter ido embora sem despedidas quando ela mais precisava de um amigo.

Se fosse só esse desacordo entre os dois, a história seria mais um clichê young adult, só que não. Os dois anos que Cathie ficou só com a mãe, cuidando da pousada que ela montaram, foram anos de muita transformação e que guardam um grande mistério. Cathie não pode ser feliz e livre, ela precisa manter o segredo da pousada em segurança. Que segredo é esse?

A história tem um ritmo lento e de cara você não sabe bem onde vai dar esta relação de Elliott e Catherine. Inicialmente eu pensei que ia ser um romance clichê e que ambos iam se encontrar mais velhos, traumatizados, curar as feridas e se entender. No entanto, a história segue durante a adolescência deles e vai trabalhando o dia a dia de ambos em uma cidade que odeia Catherine e tem muito preconceito em relação as origens indígenas de Elliott.

No meio dessa cidade de fofocas, existe a pousada da mãe de Cathie, que deixa a todos curiosos com o que se passa lá dentro. Ninguém sabe quem são os hóspedes e o motivo da dona ser tão reclusa e hostil. Catherine se isola de outros jovens para evitar perguntas, mas Elliott não aceita seus distanciamento e luta para ajudar.

A relação dos dois é bonita e ele é um cara que cuida mesmo de quem ama. Ela nem sabe como retribuir, já que nunca teve alguém para cuidar dela. Cathie sempre cuidou. No entanto, ainda que o futuro do romance deles seja incerto, o que nos prende na obra é o que a pousada esconde.

O clima da história muda a cada vez que Cathie entra em casa, é um lugar sombrio e sufocante. Pelo pouco que a garota fala do lugar, a gente sabe que é perigoso, que ela é como uma escrava da mãe e dos hóspedes. O que aquelas pessoas podem fazer ou fazem, é algo não dito. Por ficar nas entrelinhas, pensamos mil coisas, mas garanto que nem de longe eu cheguei perto da verdade e isso foi uma surpresa enorme para mim.

É uma história de forte carga dramática e psicológica, que deixa o leitor até triste pelos personagens. Senti muito aperto no peito por tudo que aconteceu com Cathie. A jornada dela é bem pior que a de Elliott. O começo mais lento pode desanimar, mas vale a pena seguir e ir se aprofundando na trama, pois o que a autora preparou é bem interessante de acompanhar. Quando a gente chega no final fica de queixo caído com uma certa revelação e até voltei e reli alguns trechos para ver se eu não tinha prestado atenção, mas não, foi tudo muito bem orquestrado para enganar o leitor. Eu recomendo! 


17 comentários:

  1. Eu amei essa indicação, já vou colocar na minha listinha para ler em 2021. Adoro esse tipo de livro <3
    Beijos,

    Marcela Miranda

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida! Tudo bom?
    Se fosse qualquer outra autora eu ia querer muito, mas a Jamie com as polêmicas de supremacia branca e mais um monte de escrotidão que saíram lá fora... Menina, fico longe e recomendo fazer o mesmo!
    Autora que se estivesse aqui no BR seria bolsominion pura, deus me free.

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ei, Cida, tudo bem? A história parece bem interessante, um bom mistério sempre deixa o leitor instigado e quem não gosta de uma história de amor? Mas pela carga dramática, eu passo a leitura. Mas que bom que você gostou e se surpreendeu!

    Books House

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida! Tudo bem? Que bom que você me lembrou desse livro! Eu já tinha me esquecido, confesso! eu gosto da autora e agora fiquei curiosa pra saber o que acontece com a protagonista! Vou me preparar para a carga dramática!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Oi!

    Acho lindo isso de fazer o leitor voltar as páginas para reler algo depois de uma revelação (amo fazer isso com os meus leitores...rsrsrs). Esse livro parece ser bem misterioso. Amei a resenha, me interessou.
    Parabéns!

    Até!
    https://nsmoraes.com.br/

    ResponderExcluir
  6. A Jamie ficou tão marcada pra mim com Belo Desastre que hoje em dia nem leio mais nada dela...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  7. oie, amei a resenha. Esse é um livro que ando enrolando faz um tempo rs, sem coragem nem uma pra ler, quem sabe algum dia.

    Beijos
    https://deliriosdeumaliteraria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Cida.
    Confesso que não sou muito fã da autora. E nem é porque agora ela entrou na lista dos cancelamentos hehe. Eu não gostei nem de Belo Desastre nem de Red Hill que foram os únicos que li dela. E não sei se leria esse. Fiquei curiosa para saber sobre o segredo, mas não estou muito no clima de ler livros dramáticos no momento.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida,
    Eu gosto muito da escrita da Jamie! Já li algumas obras dela e nenhuma foi decepcionante, por mais que tenha algumas problemáticas que precisam ser levadas em consideração. PORÉM, é claro que eu quero ler esse livro, ele super faz meu estilo! kkkkk
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bem?
    Ainda não conhecia, valeu pela dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  11. Eu adorei a sua resenha e a sua forma suave de levar a história!
    beijos

    https://ludantasmusica.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Eu aqui roendo as unhas pra saber o segredo da Cathie, haha. Pode me dizer, não ligo pra spoiler!
    Inicialmente a premissa do livro parece mesmo que vai por um caminho clichê, mas a história se transforma, uma pena que o ritmo é lento, o que me faz perder a paciência em algumas leituras, mas já coloquei o livro na minha lista e vou dar uma chance a ele.
    Ahhh... passei a seguir o blog, eu gosto tanto daqui, não sei por que ainda não seguia, haha.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  13. Acho que jamais iria associar o livro a mesma autora de Belo Desastre kk, sou bem desatenta a certos detalhes. Que bom que a leitura funcionou para você. Creio que vi poucas menções a este livro.

    Abraço

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  14. Oi Cida,

    Já ouvi falar do livro, mas confesso que a história nunca me interessou.
    Que bom que você curtiu a leitura e teve um misto de sentimentos.

    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  15. Oi Cida,
    Por algum motivo pensei que esse livro fosse natalino.
    Me lembrou um pouco o clima de leitura de Eleanor & Park, então daria uma chance. Fora que fiquei curiosa sobre esse mistério.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  16. Adorei a resenha, eu ainda não conhecia esse livro, mas me interessei super.
    Bisous,
    BLOG PEQUENO MUFFIN | LARA REIS
    www.pequenomuffin.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi Cida, tudo bem?
    Quando comecei a ler a resenha pensei de cara no clichê dos jovens "quebrados" se recuperando pelo amor (e eu não curto esse plot). Mas conforme fui lendo entendi que tem muito mais do que isso na trama, e fiquei curiosa pelo mistério da pousada.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!