[Resenha] O Príncipe Leopardo

 Príncipe Leopardo
Título Original: The Leopard Prince (Princes #2)
Autor(a): Elizabeth Hoyt 
Editora: Record                   Páginas: 322
Lançamento: 2017              ISBN:9788501109835
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
O segundo livro da aguardada série de romances de época com uma forte pitada de erotismo! A única coisa que uma dama jamais deve fazer... Lady Georgina Maitland não quer um marido, embora ela pudesse ter um bom administrador para cuidar de suas propriedades. Ao pôr os olhos em Harry Pye, Georgina percebeu que não estava lidando apenas com um criado, mas com um homem. É se apaixonar... Harry conheceu muitos aristocratas — incluindo um nobre que é seu inimigo mortal. Mas nunca conheceu uma dama tão independente, desinibida e ansiosa para estar em seus braços. Por um criado. Ainda assim, é impossível ter um relacionamento discreto quando ovelhas envenenadas, aldeões assassinados e um magistrado furioso tumultuam o condado. Os habitantes culpam Harry por tudo. Enquanto tenta sobreviver em meio à desconfiança e manter o pescoço de Harry longe da forca Georgina não quer perder outra noite de amor.
O Príncipe Leopardo é o segundo volume da Trilogia dos Príncipes, de Elizabeth Hoyt, publicada no Brasil pela Editora Record. Aqui temos três amigos e cada livro traz o romance de um deles. Eu comecei a ler a trilogia por este segundo volume e não me senti perdida, são livros bem independentes.

Não é uma história medieval, o tal príncipe é um personagem de uma história que a mocinha conta. Ela é fã de contos de fadas e dá uma de Sherazade com seu alvo. 

Georgina Maitland é uma moça solteira, vinda de uma família de irmãos que se dão super bem para compensar os inúteis pais e que graças a uma herança é independente e dona de seu nariz. Ela contrata, para cuidar das terras que herdou,  um administrador - Harry Pye –, e justamente ele será seu par romântico.

A atração cresce entre a dupla aos poucos, enquanto estão as voltas com alguns crimes que estão acontecendo nas imediações das terras de Georgina. Um vizinho dela, que odeia Harry, cisma que o administrador é o culpado e começa uma caça as bruxas para acabar com o rapaz. Georgina não aceita isso e parte na defesa de Harry e aí já sabem, durante a investigação, um homem e uma mulher podem descobrir mais do que pistas de um crime. Eles descobrem afinidades, prazer na companhia um do outro e como incendiar os lençóis.

A história é bem ágil, tanto que logo no primeiro capitulo estranhei já mergulhar no meio de vários acontecimentos. Alguns romances de época começam com prólogos, geralmente relatando um  fato do passado que serviu de percussor para o que está acontecendo no presente, mas Elizabeth Hoyt preferiu já colocar o presente a todo vapor e tornar os fatos do passado um dos mistérios que temperam a trama.

O romance de Georgina e Harry é super gostoso de acompanhar, mas foi mesmo investigar a onda de crimes e entender os motivos do vizinho dela odiar Harry que me prenderam na leitura. Na verdade, ambos os assuntos foram bem equilibrados e com a chegada dos irmãos dos protagonistas tudo ficou ainda melhor e muito divertido. Sem dúvidas estes parentes mereciam livros só deles.

Harry é um ótimo protagonista masculino, apesar de meio calado no começo. Mas quando ele resolve falar, minha nossa, que homem decidido e teimoso. A principio não quer aceitar que Goergie é a mulher de sua vida, não pode aceitar viver com a patroa rica e ser chamado de brinquedinho da madame. Ele vai tirar a gente do sério  com essa cisma.

Georgie é uma fofa, sua independência, decência, generosidade e anseios são cativantes. E mesmo que tenha a mania de fazer as malas e correr quando a situação foge do controle, ela é uma personagem marcante de cheia de espirituosidade. E ousadia! Como eu adoro essas mocinhas que quando querem algo partem para o ataque.

O clima não é cheio de requinte como sempre vemos, com bailes, fuxicos e eternos chá da sociedade, mas nem por isso a história perde o charme. Passada no campo, tem todo um clima bucólico e de cidade pequena, com pessoas cheias de segredos que queremos descobrir.

É tudo bem pé no chão aqui, sem firulas. Apreciei este aspecto da obra, que a tornou mais próxima de nós que não andamos por aí caçando marido em bailes cheios de mocinhas afetadas e debutantes. O pessoal aqui acorda cedo para trabalhar, lida com os problemas do dia a dia, com corações partidos, traições, mentiras e no final do dia ou bebe um cerveja gelada ou cai nos braços de um amante delicioso.

Em suma, eu adorei O Príncipe Leopardo. Durante a leitura me falaram que O Príncipe Corvo é ainda melhor e estou super curiosa para saber o que a autora aprontou desta vez. E claro que O Príncipe Serpente também já está na wishlist, acho que deve ser o mais tórrido do três. Recomendo.

Nota: Já disse que estou apaixonada por essa capa? Tenho uma quedinha por capas brancas e essa me dá vontade de tirar várias fotos. 





9 comentários:

  1. Eu sou louca pra ler o primeiro, mas nunca tive oportunidade. Acho as capas um arraso.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, eu também sou apaixonada pelas capas dessa série e também acho que é um livro mais sóbrio, o que foi tb bem positivo!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Eu até curti esse livro, mas achei a história que ela conta um tanto viajada kkkk
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Olá, Cida.
    Comprei essa trilogia por causa das capas hehe. Mas acabei amando as histórias. Diferente do que aconteceu com a outra série da autora que está sendo publicada pela editora. E acabei escrevendo a resenha e até hoje não publiquei hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Também adorei a capa, os detalhes são lindos.
    Curti saber que a história foge dos "frufrus" dos bailes que sempre acontecem nos romances de época. O fato de ter toda uma investigação também é bacana.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!
    Eu adoro as capas dessa série, assumo, mas as premissas em si não me chamam atenção, infelizmente. Nao sei porque, mas nao consigo sentir vontade de conhecer os casais.

    Abraços
    Emerson
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Eu tinha essa coleção todinha aqui em casa, era da minha mãe, só que como ela não gostou dos livros, nós fizemos uma troca e não os tenho mais, porém não senti vontade de lê-los após ela me contar os detalhes que não a fizeram gostar, sabe?
    Uma pena...
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Tenho vontade de conhecer essa trilogia.
    A pegada me doa diferente das outras do estilo, fora que essas capas são lindas mesmo.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  9. Oi, Cida

    Eu gostei bastante de O Príncipe Corvo, espero que você goste também.
    Quanto a O Príncipe Leopardo, ainda não li, mas tenho tanto ele quanto O Príncipe Serpente aqui.
    Eu gosto dessa diferenciação nos enredos dessa trilogia, de não ter a parte fútil da sociedade com os inúmeros bailes e trocas de vestido. Rs Vou ver se leio ainda esse ano, pois não é uma prioridade.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!