[Resenha] Celular

Celular
Título Original: Cell
Autor(a): Stephen King  
Editora: Suma                      Páginas: 384
Lançamento: 2018               ISBN:9788556510723
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Onde você estava no dia 1º de outubro? O protagonista Clay Riddell estava em Boston, quando o inferno surgiu diante de seus olhos. Bastou um toque de celular para que tudo se transformasse em carnificina. Stephen King - que já nos assustou com gatos, cachorros, palhaços, vampiros, lobisomens, alienígenas e fantasmas, entre outros personagens malévolos - elegeu os zumbis como responsáveis pelo caos desta vez. Depois de anos de tentativas frustradas, o artista gráfico Clay Riddell finalmente consegue vender um de seus livros de histórias em quadrinhos. Para comemorar, decide tomar um sorvete. Mas, antes de poder saboreá-lo, as pessoas ao seu redor, que por acaso falavam ao celular naquele momento, enlouquecem. Fora de si, começam a atacar e matar quem passa pela frente. Carros e caminhões colidem e avançam pelas calçadas em alta velocidade, destruindo tudo. Aviões batem nos prédios. Ouvem-se tiros e explosões vindos de todas as partes. Neste cenário de horror, Clay usa seu pesado portfolio para defender um homem prestes a ser abatido, Tom McCourt, e eles se tornam amigos. Juntos, eles resgatam Alice Maxwell, uma menina de 15 anos que sobreviveu a um ataque da própria mãe. Os três sortudos - entre outros poucos que estavam sem celular naquele dia - tentam se proteger ao mesmo tempo em que buscam desesperadamente o filho de Clay. Assim, em ritmo alucinante, se desenrola esta história. O desafio é sobreviver num mundo virado às avessas. Será possível?

Talvez hoje não seja um bom dia para usar o celular...

Oi! Aqui é a Jô trazendo o mestre para vocês. Celular é mais uma grata surpresa de Stephen King para seus fãs. Neste livro o autor mostra uma realidade onde as pessoas que estavam usando celulares sofrem algo e, do nada, viram zumbis. Contudo, zumbis de King não são apenas zumbis. Eles são seres mais complexos e muito interessantes.

Clay Riddell estava em Boston dando pulos de alegria por ter conseguido vender uma de suas histórias em quadrinhos. Não via a hora de voltar para casa e contar a novidade para o filho e para a ex esposa. Verdade seja dita, acho que Clay pretendia até reconquistar a mulher. Quando para perto de um carrinho de sorvetes vê o caos tomar conta do mundo. Uma executiva e duas garotas que estavam perto usando celulares começar a agir de maneira estranha, falar de maneira ininteligível e atacar outros seres humanos, ou melhor, devorar. Logo toda a cidade começa a colapsar.

Clay vê aquilo com horror e não demora a entender que os celulares são a causa. Não sabe como, mas sabe que quem tinha um aparelho destes e estava usando foi contaminado por algo. O  jovem consegue encontrar pessoas, que como ele, ainda são normais e passa a fazer parte de um trio que vai lutar pela sobrevivência. Tom McCourt e a adolescente Alice Maxwell serão os companheiros de jornada. Vamos com eles tentar entender o que está acontecendo com a humanidade?

Os três personagens têm uma relação muito boa e bastante carisma. Sua jornada para primeiro sair de Boston, arrumar um lugar seguro para planejar e depois ir atrás da família de Clay é cheia de fatos interessantes e bons diálogos. A construção da amizade deles é deliciosa de acompanhar e a cada novo capítulo eu me via mais e mais apegada a cada um deles.

King descreve de maneira convincente a transformação de humanos em zumbis, mas a grande sacada do autor fica por conta de não fazer estas criaturas serem apenas devoradores de gente e sim de fazê-los evoluir. Os zumbis de King, em intervalo de dias, se transformam. Não apenas comem humanos, passam a comer alimentos normais. Eles aos poucos desenvolvem habilidade de seguir em grupos, como aves migratórias e a depois se comunicam pelo poder da mente. Os zumbis de King conseguem ler nossos pensamentos e até nos manipular para dizer o que desejam. É incrível a imaginação do autor, é fabulosa a repaginada que ele deu nestas criaturas horrendas.

Clay, Tom e Alice vão se dando conta aos poucos de toda essa evolução e ficam assustados, mas nunca desistem de seguir em frente e tentar achar um saída. É empolgante esta força.

A história é rápida de ler, não tem aquela abordagem tão pesada como outras do autor e posso afirmar que quem teme ler King por causa de se assustar fácil, pode apostar em Celular que não é uma história para assustar, na verdade ri bastante durante a leitura. Tem, sim, cenas de embrulhar o estômago, mas se você assiste filmes de zumbi sabe o que esperar.

E mesmo não sendo terror, é uma excelente criação do autor, que mostra nas entrelinhas diversas faces do ser humano e de seu caráter. O cenário de caos é convincente e acredita-se que o mundo está mesmo acabando. É um apocalipse zumbi oriundo dos celulares. Como não imaginar isso acontecendo para valer? Não tem um final totalmente fechado, deixa espaço para a imaginação do leitor completar certas lacunas, mas a história é tão envolvente e os personagens tão cativantes que fechamos o livro satisfeitos e já com saudades.  Leiam!



2leep.com

6 comentários:

  1. Oi Jô! É esse o livro que vou ler do Stephen King então, pois até hoje não li um livro do autor porque sou muito medrosa, então vou apostar nessa história que, apesar dos zumbis que me aterrorizam o pensamento também, acho que vou conseguir lidar melhor do que se fossem seres sobrenaturais. Adorei a resenha, me motivou muito a ler e FINALMENTE conhecer uma história do mestre King.
    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oii Cida.
    Eu estou apaixonada pela sua resenha dessa obra que parece ser magnifica. Primeiro, eu amo livros que sejam fictícios ao extremo. Segundo, críticas sociais é comigo mesmo. Terceiro, escrita convincente: menina, que eu que estou esperando para ler.
    Amei de mais sua resenha.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  3. Oi Jô. Tudo bem?
    Eu não costumo ler terror, mas como você falou que não é um terror e pelas descrições dos zumbis fiquei com vontade de ler. Coloquei na lista.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Jô! Oi, Cida!
    Esse foi o primeiro livro do King que li e amei! É o meu favorito de todos dele que já li. Fiquei bem feliz quando a Suma relançou porque é uma ótima história. Pena que a adaptação ficou uma grande bosta.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  5. Oi Jô,
    Será minha próxima leitura e espero não olhar para meu Celular de forma diferente hahaha Gosto com finais assim, abertos e mais reflexivos. Espero curtir também.

    até mais,
    Nana e Leticia - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  6. Olá, Jô.
    Se zumbi burro já é ruim, imagine esses então hehe. Eu não sou tão fã do autor, acho seus livros muito grande sem necessidade porque a maior parte das páginas é só enrolação. Mas esse acho que eu leria.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!