[Resenha] Se Não Houver Amanhã

Se Não Houver Amanhã
Título Original: If There's No Tomorrow
Autor(a): Jennifer L. Armentrout
Editora: Universo dos Livros      Páginas: 384
Lançamento: 2018                     ISBN: 9788550302973
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Lena Wise está sempre ansiosa pelo dia seguinte, especialmente porque está começando o último ano da escola. Ela está decidida a passar o máximo de tempo possível com os amigos, completar as inscrições da faculdade e talvez informar seu melhor amigo de infância, Sebastian, sobre o que realmente sente por ele. Para Lena, o próximo ano vai ser épico — um ano de oportunidades e conveniências. Até que uma escolha, um instante… destrói tudo. Agora Lena não está ansiosa pelo dia seguinte. Não quando o tempo que dedica aos amigos pode nunca mais ser o mesmo. Não quando as inscrições para a faculdade podem ser qualquer coisa, menos viáveis. Não quando há o risco de Sebastian jamais perdoá-la pelo que aconteceu. Pelo que ela permitiu que acontecesse. À medida que sua culpa aumenta, Lena está ciente de que sua única esperança é superar o ocorrido. Mas como é possível seguir em frente quando a existência inteira, tanto dela quanto a de seus amigos, foi transformada? Como seguir em frente quando o amanhã sequer é garantido?
Eu gosto bastante dos livros de Jennifer L. Armentrout. A autora tem uma escrita envolvente e sempre nos apresenta personagens muito reais. É fácil não apenas se identificar com eles em algum momento da leitura, como também ser cativado e até mesmo compartilhar de suas emoções/dramas.

Quando a Universo do Livros anunciou o lançamento de Se Não Houver Amanhã, eu logo quis ler. Quem me conhece sabe que se gosto do autor, nem confiro sinopse. Na real, eu sou bem avessa as sinopses, morro de medo de spoilers.

Assim, comecei a leitura sendo surpreendida a cada página. Logo no primeiro capítulo a protagonista está envolvida em algo que dá para perceber que colocou sua vida em risco. Parece um acidente, mas não é possível afirmar. Então, a história volta em alguns meses para nos mostrar o que aconteceu e como Lena Wise chegou a ficar entre a vida e a morte.

E a vida de Lena é tão corriqueira, tão cheia de todos os acontecimentos que cercam uma adolescente cursando o último ano do ensino médio e apaixonada pelo melhor amigo, que a gente esquece daquele drama do começo do livro.

É gostoso seguir com ela pelos seus dias na escola, no trabalho, com as amigas, com os problemas com o pai e com Sebastian. O melhor amigo e vizinho que Lena sempre o amou, mas nunca se declarou. Ambos seguiram com uma amizade cúmplice desde a infância, com ele entrando no quarto dela pela varanda todas as madrugadas e ficando lá conversando sobre tudo e todos.

No entanto, atualmente, as coisas estão diferentes. Pode ser a iminência de mudança por conta da faculdade. Lena está mais inquieta do que nunca e sente que esta paixão atingiu seu ápice. Ela precisa arriscar, mas teme perder o amigo se não for correspondida e essas incertezas acabam fazendo com que os dois acabem discutindo e se entranhando muitas e muitas vezes.

Lena, que por natureza é uma pessoa fechada, se recolhe mais para dentro de si e fica perdida em meio de tantas emoções. Ela até busca conforto nos seus livros (o quarto dela parece o meu e até nosso crush literário é o mesmo. Salve Rhysand!), mas concentrar-se é impossível. Até que…

Algo bem ruim acontece.

E eu estava curtindo muito o clima teen. Adoro este tipo de romance e a ambientação high school e quando menos esperava cheguei na situação que abre a história e em como Lena ficou entre a vida e a morte. Foi tipo como uma grande porrada, nada indicava aquela reviravolta. Nada nos levava a imaginar que ela e os amigos teriam uma experiencia tão traumática e a forma como Lena reagiria ao trauma.

Eu não sei como me sentiria no lugar dela e até mesmo não consigo achar que ela teve culpa de algo, mas o fato é que Lena acha que poderia ter evitado o que aconteceu e deixa de lado sua vida de adolescente para se martirizar. Eu li um livro semelhante não faz muito tempo e em ambos os casos os personagens achavam que suas vidas não tinham mais sentido e precisavam ser punidos e, nos dois livros, o psicólogo que os acompanhou foi muito habilidoso em conduzi-los para fora daquela zona escura e depressiva na qual mergulharam.

A história parecia ser leve, mas não é.  Jennifer L. Armentrout criou um drama adolescente profundo e doloroso, uma história que machuca nosso coração ao ver uma menina doce e de futuro brilhante se afundar em dor e tristeza. Eu não consegui aceitar, queria ir lá sacudir Lena e falar que ela não era culpada, mas sei que essa não era a questão. Não adiantava ninguém falar, ela precisava superar, acreditar novamente em si e se perdoar. A irmã e a mãe foram bem legais com ela, mas foi mesmo Sebastian que impressionou pela paciência e pela fé na amiga.

Se Não Houver Amanhã é uma história sobre o amanhã, sobre a incerteza de que vamos ter esse dia e por isso precisamos viver da melhor maneira possível o presente. Não ter medo do hoje, não protelar decisões, não temer dizer que amamos alguém. É também sobre segundas chances, sobre confiar, se abrir e perdoar. É sobre amor e amizade. É sobre crescer. Uma história bem bonita e que me agradou demais. 


2leep.com

13 comentários:

  1. Oi, flor! Tudo bom?
    Eita que eu tô bem surpresa por esse livro ter uma trama mais pesada. Pela capa e pela sinopse, não parece carregar uma história tão pesada do tipo.
    Fiquei bastante curiosa pra saber o que aconteceu com a mocinha; vou colocar na lista pra procurar na próxima compra!

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nenhum livro da autora, gostei demais da sua resenha, fiquei curiosa pra ler e já anotei na minha lista :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida, tudo bem?
    Ainda não li nada da autora, mas gosto quando livros além de oferecer uma boa leitura, ainda deixam uma bela mensagem. Sem falar que fiquei curiosa para saber o porque de Lena ter perdido a vontade/esperança.

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Legal que a história é carregada de lições.
    Nunca tinha sequer ouvido falar nesse livro.
    Deve ser porque esteja meio por fora dos lançamentos por uns dias rs.

    Gostei da lição carrega, quero conferir.

    Tenha uma ótima noite!

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida!
    Eu leio sinopse assim mesmo que é pra não ter tanta surpresa assim... e pela sinopse desse livro, eu já sabia que viria algo mais pesado. Só essa capa que destoa um pouco do assunto, mas acho ela linda.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida, conhecendo a autora eu já imagino o soco que vc levou rs Eu fiquei com receio de ser muito forte, mas agora a curiosidade voltou!! Quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  7. Cidaaaa, eu também quis ler esse livro desde o lançamento só que ainda não conheci.
    Adoro a autora e essa capa está linda!
    Gosto muito da temática e acho que essa história sensível iria me prender do começo ao fim.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. olá, como vai?
    Estou doida pra ler esse livro a muito tempo, parece ser muito bom.

    Beijos!!
    https://sentimentos-de--uma-garota--bipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá, Cida.
    Eu tenho esse livro aqui na estante, mas não estou muito animada em ler ele não. Na verdade ganhei ele em uma caixa literária e como esperava outro livro, fiquei meio com raivinha dele hehe. Mas gosto da escrita da autora e um dia vou ler ele. Não achei que a história ia puxar mais para o drama, e esse é outro motivo para eu ter raiva porque não selecionei esse gênero para receber na caixa hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida,
    Que tenso esses sentimentos pesados que rondam a personagem.
    Fiquei curiosa pelo que aconteceu mais o acompanhamento com psicólogo, deve ser um ponto legal.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  11. Oiii Cida

    Eu tb adoro a escrita da Jennifer, ela envolve a gente com suas histórias. Se não houver amanhã tem toda a pinta de ser um livro que vai me emocionar, porque como vc disse a gente começa embalado pelo clima teen gostoso de high school e então de repente há essa reviravolta que torna tudo mais obscuro e queremos salvar a protagonista enquanto somos meio que obrigados a assistir a espiral de desespero que ela se entrega. Deve ser um tapa na cara mesmo. Quero conferir esse livro.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  12. Oi, Cida!
    Já li muitos livros passados dentro desse universo teen, de escola e tal, mas fui cansando. Pela sua resenha, esse se encaixa nos que ainda me interessam: mais dramático e menos superficial. Confesso que fiquei bem interessada.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  13. Oi, Cida

    Me abraça que eu também sou super avessa à sinopses, raramente as leio.
    Fiquei curiosa agora para saber o que de tão ruim acontece para ela internalizar tanta culpa.

    Beijo
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!