[Resenha] Submerso

Submerso
Autor(a): Eduardo Cilto
Editora: Planeta (Outro Planeta)     Páginas: 192                           
Lançamento: 2018                          ISBN: 9788542212730 
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
"ELETRIZANTE. EMOCIONAL. O RETRATO DE UMA GERAÇÃO. Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. Dividindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises. Lutando contra a nova vida e consigo mesmo, Dimitri é obrigado a passar o resto do ano em um acampamento para jovens desajustados que promete colocá-lo de volta aos eixos. POrém, um lugar que abriga tantos desajustados pode não ser tão perfeito quanto todos pensam, o que antes parecia ser a solução dos problemas, acaba se tornando apenas o começo de um dos maiores deles. “É no caos que minha mente se esvazia e meus pensamentos se encontram”."
Submerso, lançamento da Editora Planeta (Outro Planeta), é um livro escrito para jovens, sobre jovens.

Dimitri tem dezessete anos e perdeu a mãe cedo. Desde então vem buscando meios para fugir da dor. Ele se envolve com drogas, passa a beber e deixa o pai muito transtornado.

Em determinado momento o garoto parece estar se recuperando, mas em uma noite que resolve dar um passeio com os amigos se envolve em uma briga de bar e as coisas ficam piores do que antes. O avô de Dimitri é um homem rico e se oferece para pagar para ele uma temporada em um acampamento para jovens com diversos tipos de transtornos. Dimitri aceita e, no Acampamento Misfit, pela primeira vez, parece conseguir respirar novamente.

A trajetória de Dimitri é a de muitos jovens por aí, que perdidos e em busca de fugas, tomam o caminho das drogas e bebidas arranjando assim um problema ainda maior. Nem sempre são problemas em casa, afinal nosso protagonista veio de um lar de amor, mas podem ser diversos tipos de gatilhos e no caso dele foi a perda da mãe.

No acampamento, talvez pelo confinamento, pelas regras e por estar proibido de interagir com o mundo exterior, ele acaba tendo que se reformular e com isso acaba se encontrando. Ali, Dimitri faz novos amigos, encontra pessoas que estão tão perdidas quanto ele e consegue pela primeira vez colocar em palavras o que o consome.

A história é bem íntima, por ser narrada pelo ponto de vista de Dimitri, é possível para o leitor sentir a ansiedade que o consome, o desespero e a imensa solidão. Sabemos que mesmo com pessoas por todos os lados, ele se sente sozinho e sem saber como agir. O autor trabalhou com delicadeza toda a questão problemática de seu protagonista, não enveredou pelo drama exagerado e sim por uma trama mais realista e pé no chão.

Eu gostei desta abordagem sensível e pessoal. Lendo os agradecimentos de Cilto entendi como ele conseguiu traduzir tão bem as emoções de Dimitri. O autor mesmo tem seus próprios problemas e, como o personagem, já ficou submerso neles por muitas vezes.

A história é fácil de ler, é envolvente e ainda ganha um toque de mistério para nos deixar intrigados e cativos. O Dimitri é um garoto legal, um bom filho, um bom amigo e eu adorei o seu jeitinho de sempre querer ajeitar as coisas para os outros. Fiquei emocionada com a forma como lutou para melhorar não apenas por si, mas acima de tudo por seu pai. Também é muito bonito ve-lo querendo promover a reconciliação do pai e do avô, que há tempos estão afastados. Que menino adorável! Você torce por ele sem nem perceber.

Meu único parênteses fica por conta dos momentos finais, acho que muitas revelações e entendimentos vieram de uma vez e ficou um pouco corrido. Um epílogo teria caído como uma luva. Ainda assim,  este detalhe não me fez gostar menos da história. Foi formidável passar alguns dias naquele acampamento, conhecer seus integrantes e fechar o livro vendo a bonita mensagem que ele traz sobre esperança e recomeços. Não é vergonha buscar ajuda, nunca é tarde para lutar.



2leep.com

9 comentários:

  1. Oi Cida, tudo bem?
    Apesar do tema forte, a história do protagonista parece ser contada de uma forma leve. Fiquei curiosa. Dica anotada!!

    *bye*
    Marla
    https://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida

    Não conhecia o livro e achei a história bem interessante. Quando o autor coloca um pouquinho que seja de sua própria vivência na trama acho de deixa tudo ainda mais bacana, a história fica com mais propriedade.
    E adorei a capa também!

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, Cida.
    Acho que nunca li nada com esse tema, principalmente na visão de quem está passando pelo problema. Pareceu ser um livro que deve ser lido por todos porque infelizmente tem tanta gente passando por isso e é tão dificil se recuperar.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oooi!
    Eu nunca ouvi falar desse livro - pelo menos não que eu me lembre. Na verdade ele não faz muito meu estilo, mas a história parece ser bacana e parece que o livro realmente traz boas reflexões. ☺ Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida! Não conhecia o livro, mas o enredo parece bom! eu sempre gosto de ler os agradecimentos, às vezes tem coisas que nos fazem entender melhor a história rs Que pena que o final foi corrido, mas que bom que vc curtiu!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida!
    Eita, parece um livro intenso.
    Nunca ouvi falar, confesso, mas achei intrigante todos os esses sentimentos que a gente vive com o protagonista. Eu já to meio angustiado com o Dimitri só pelo que você contou.
    Não tenho muito problema com viradas e mais viradas no final. Depois de ler Caraval, acho que to pronto para algo doido e atropelado kkk.

    Abraços
    David
    https://territoriogeeknerd.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida,
    Nossa, estava ontem na livraria e conversei com uma amiga sobre esse livro.
    Na verdade, a recomendação não foi tão boa quanto a sua, mas fico curiosa porque não conheço a escrita do Eduardo e acho válido darmos uma chance.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. apesar dos comentários acerca da história não é um enredo que por essência me atraia, mas dica anotada!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, tudo bem? A capa desse livro me deixou super angustiada! Achei a sinopse muito interessante e a premissa de extrema importância. Aliás, a cada surgem mais e mais livros que contam histórias (ficção ou não) sobre jovens que precisam de ajuda psicologica e emocional, que enfrentam bullying, preconceito, problemas de diversos tamanhos e setores da vida. Fico impressionada com isso! E nada mais é do que o retrato da realidade. É um grito para olharmos para as crianças e jovens!

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!