[Lançamentos] Editora Planeta (@PlanetaLivrosBR)

Olá pessoal!

Confiram as novidades da Editora Planeta


Doce Lar, Tillie Cole, Primeiro livro da série de maior sucesso da autora de Mil beijos de garoto Aos vinte anos, Molly Shakespeare acha que já sabe de tudo. Ela leu Descartes e Kant. Ela estudou em Oxford. Ela sabe que as pessoas que te amam também te deixam. Mas quando Molly se muda da cinzenta Inglaterra para começar uma nova vida nos Estados Unidos, ela descobre que ainda tem muito a aprender. No Alabama os verões são mais quentes, as pessoas mais intimidantes e os alunos de sua nova escola muito mais viciados em futebol. Após conhecer o famoso quarterback Romeu Prince, Molly só consegue pensar em seus olhos castanhos, cabelos loiros, físico perfeito... e em como sua vida tranquila e solitária parece estar a ponto de mudar drasticamente.
Eu Sou Eric Zimmerman, Megan Maxwell, "Meu nome é Eric Zimmerman e eu sou um poderoso empresário alemão. Sou conhecido por ser um homem frio e impessoal, que gosta de sexo sem amor e sem compromisso. Em uma as minhas viagens à Espanha, conheci a jovem Judith Flores. Ela me fez rir, me fez cantar, até me fez dançar, e eu não estava acostumado com nada isso. Quando percebi que estava sentindo mais do que deveria, achei que era hora de me afastar. Mas acabei voltando. Essa mulher me atraía como um ímã. Nosso relacionamento foi desde o início marcado por altas doses de fantasia e erotismo, e eu queria ensinar Judith a curtir o sexo de uma maneira que nunca ela nunca havia imaginado. E você? Se atreveria a descobrir o lado submisso, dominante e voyeur que existe dentro de todos nós?"



O que Eu Tô Fazendo da Minha Vida?, Daniel Bovolento, Autor de Por onde andam as pessoas interessantes? e Depois do fim a maioria das pessoas está em algum lugar de dúvida. Seja na crise dos vinte e poucos anos, na de meia-idade, nos sintomas da ansiedade ou da depressão brotando de dentro do peito, nos amores mal resolvidos ao longo da vida ou na nossa luta diária para aceitar quem nós somos: todos nós estamos no meio de alguma batalha. Até hoje, não conheço uma alma viva que soubesse exatamente o que queria da vida. Os lugares de dúvida da nossa vida podem ser obscuros, trapaceiros e cheios de armadilhas, mas também podem oferecer algum tipo de esclarecimento se decidirmos encarar nossos demônios. Em o que eu tô fazendo da minha vida? Daniel Bovolento nos convida a revisitar o passado, perdoar pessoas importantes, discutir os amores que valem a pena e tentar enxergar alguma luz durante a pior fase da nossa vida. “O que importa, no fim do dia, é como você se sente dentro da sua própria busca pela felicidade.”.
Submerso, Eduardo Cilto, Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. Dividindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises. Lutando contra a nova vida e consigo mesmo, Dimitri é obrigado a passar o resto do ano em um acampamento para jovens desajustados que promete colocá-lo de volta aos eixos. Porém, um lugar que abriga tantos desajustados pode não ser tão perfeito quanto todos pensam, o que antes parecia ser a solução dos problemas, acaba se tornando apenas o começo de um dos maiores deles. “É no caos que minha mente se esvazia e meus pensamentos se encontram”.


Tudo o que Eu Sempre Quis Dizer, mas só Consegui Escrevendo, Maria Ribeiro, "E você não sabe, porque afinal você só tem 18 anos. Você também não sabe que, lá na frente, embora continue doendo sempre, você meio que vai se acostumar e vai até fazer uso de alguns perrengues para escrever ou atuar. Daqui de onde te escrevo, do futuro do Lulu Santos (de onde ele vê a vida melhor), mais precisamente do ano de 2017, 24 anos depois de tudo o que você está vivendo agora, eu te asseguro: a vida é boa, Maria. Você vai ter filhos, amores, trabalhos bonitos; vai ter amigos, histórias, encontros. Mas o mais legal eu deixei por último: você vai ter você, companheira. Inteira e independente, e em cima de duas pernas firmes. Mas ó, isso só em 2017. Conto com você. Beijos, Maria "
O Amor que Sinto Agora, Leila Ferreira, Confidências de uma filha para a sua mãe Quatro anos depois de perder sua mãe, Leila Ferreira decidiu abrir a carta que ela deixou para ser lida depois de sua morte. Foi da necessidade de responder a esta carta que nasceu este livro. O amor que sinto agora é o desabafo extremamente corajoso de uma filha que quebra o silêncio de uma vida. A mistura de realidade e ficção é protagonizada por Ana, uma mulher que enfrentou um casamento fracassado, violência sexual e depressão, mas aprendeu a construir saídas. A conversa, em forma de cartas, relata viagens feitas ao Egito, México e França, mas o grande deslocamento feito por Ana é existencial. É dele, acima de tudo, que ela fala, e é impossível não se emocionar ao acompanhar a reconstrução, dolorosa e bela, do amor de Ana por sua mãe e pela vida.

 
Um Amor de Sete Vidas, Sérgio Chimatti, "Apesar de honesto e trabalhador, Diego, filho de Ruth se torna alcoólatra. Apaixonado por gatos, ele levava todos os bichanos que encontrava abandonados para casa, mas, era sua prima Cristiana quem cuidava deles. As histórias dos pais de Diego e Cristiana foram omitidas durante anos, mas o destino e forças espirituais começaram a revelar a Cristiana a verdade sobre o seu passado e de sua mãe. Como um verdadeiro amigo, o gato Café iluminava e encorajava Cristiana em cada momento de solidão e desconfiança. Nesta história, o leitor se surpreenderá com o que pode acontecer na vida após a morte, como o amor incondicional dos animais pode levar luz onde há trevas, a importância da verdade acima de qualquer coisa e como as relações familiares são um divisor de águas entre o amor e o rancor na vida de qualquer pessoa. "
Ladrões de Livros. A História Real de Como os Nazistas Roubaram Milhões de Livros Durante a Segunda Guerra, Anders Rydell, “Milhões de livros esquecidos de milhões de vidas perdidas” Quando decidiu seguir o rastro dos saqueadores de livros do período nazista, o jornalista sueco Anders Rydell lançou- -se numa jornada de milhares de quilômetros pela Europa. Seu intuito era compreender os fatos que levaram a essa ação tão cruel e descobrir o que ainda existe de tudo o que se perdeu durante a Segunda Guerra. “Milhões de livros esquecidos de milhões de vidas perdidas”, foi o que constatou o autor após percorrer as mais remotas bibliotecas do continente. Mas o que de fato desejavam os soldados de Hitler com a pilhagem de livros pertencentes a judeus, comunistas, políticos liberais, maçons, católicos e tantos outros grupos de oposição? Como esse crime literário sem precedentes na história contribuiu para o aniquilamento cultural dos povos perseguidos pelo nazismo? Ladrões de livros – A história real de como os nazistas roubaram milhões de livros durante a Segunda Guerra relata em detalhes os saques efetuados em bibliotecas, livrarias e acervos pessoais no período nazista e mostra, ainda, como um pequeno time de bibliotecários trabalha heroicamente para tentar devolver esses exemplares às vítimas do Holocausto e suas famílias. Uma narrativa emocionante que revela o que um único livro pode representar para quem perdeu tudo no conflito mais sangrento da história.


2leep.com

4 comentários:

  1. doce lar parece ser fofinho, eu gostaria
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Ano passado tive a oportunidade de conhecer o Daniel Bovolento e estou super ansiosa por esse livro dele.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oii,

    Gostei de muitos lançamentos dessa lista e minha querida lista de desejados só engorda com eles!
    Aiaiai... a lista tá crescendo e o tempo para ler parece diminuir! A balança não tá equilibrada, hahaha!

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Cida.
    Estou vendo bastante comentários nos grupos do face sobre o livro Eu sou Eric Zimmerman, mas não é o tipo de livro que sou fã. Mas me interessei por Doce lar por causa da autora.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!