[Resenha] O Sol Também É Uma Estrela

O Sol Também É Uma Estrela
Título Original: The Sun Is Also a Star
Autor(a): Nicola Yoon
Editora: Arqueiro                 Páginas: 288
Lançamento: 2017               ISBN: 9788580416589  
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história. Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois. O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

O Sol Também É Uma Estrela é mais um dos elogiados livros de Nicola Yoon voltados para o público jovem adulto. Eu quis ler logo que vi, isso por ter gostado bastante de outro da autora e por ter uma história de amor ambientada em Nova Iorque, cenário que acho incrível para romances em filmes e livros. Não sei vocês, mas tenho uma quedinha por esta cidade e também por Londres e Paris.

Eu já sabia que seria um romance instantâneo, está bem óbvio na sinopse e quando isso é esclarecido logo de cara não me incomoda. Gosto de amores à primeira vista, as situações que os permitem acontecer e a forma intensa na qual os personagens mergulham de cabeça numa relação inesperada e, no caso deste livro, com prazo de término praticamente inevitável.

Natasha é um imigrante jamaicana que vive ilegalmente nos EUA. O pai cometeu um erro e a família foi descoberta, agora ela está vivendo seu último dia no país que ama e tentando encontrar uma solução para que sua partida seja adiada ou mesmo cancelada definitivamente. Ela é uma garota cética, que não acredita em amor, milagres e afins. Para Tasha tudo pode ser comprovado pela ciência. Fatos são seguros e isso rege seu universo.

Daniel é filho de um casal de imigrantes coreanos, mas tanto ele quanto o irmão nasceram nos EUA. Os pais sonham com futuros brilhantes para os filhos, cursos nas melhores universidades americanas que garantam carreiras bem remuneradas e de sucesso. Assim o rapaz está seguindo para uma entrevista de admissão em Yale quando vê Natasha na rua agindo de maneira peculiar, literalmente embalada por uma música. E naquele momento Daniel acredita que aquele garota bonita tinha que fazer parte de sua vida.

Ele faz de tudo para se aproximar. O moço que deveria ser médico, mas que deseja é ser poeta, é um romântico assumido e sonha com romances épicos. Ao trocar as primeiras palavras com Natasha e ver que encontrou uma personalidade totalmente oposta a sua, se convence que precisa fazê-la acreditar em amor e paixão e deste momento em diante vamos segui-los por um dia em Nova Iorque para ver se Daniel conquista o coração de Natasha.

Beijar é apenas um outro modo de falar, só que sem palavras.

Pode até parecer uma história simples de romance adolescente, mas engano meu pensar assim, a verdade é que Yoon usa sua dupla de protagonistas para falar de uma infinidade de assuntos. Há preconceito, suicídio, relações familiares, adultério, crises conjugais, imigração ilegal, diferenças culturais, sonhos, expectativas, esperança, amor, religião, fé e destino.

Eu adorei ser surpreendida por uma trama tão densa e reflexiva. Daniel e Natasha não se apresentam apenas um ao outro, eles se apresentam para nós e com isso trazem uma bagagem interessante para ser desvendada. No caso dele é até algo mais simples, mas no dela é de partir o coração. A relação dela com o pai é marcada por muita mágoa e você sente a dor de Natasha em cada referencia ao pai. Na verdade a vida familiar da protagonista é super complicada e quando você compara os problemas dela com os de Daniel pode até achar o garoto fútil.

Não desgostei de Daniel, longe disso, apenas afirmo que o que ele enfrenta não é tão sério. Eu gostei dos dois e da relação que construíram.  Eu sou mais como ela, não acredito em algo predestinado e tal, e dificilmente cederia a todo o amor que Daniel quis despejar em sua vida. No entanto, curto histórias assim, afinal gostaria de ser mais crédula nesse sentido.

A forma como ensinaram um ao outro a ver o mundo de maneira diferente foi excelente. Nem tudo é razão. Nem tudo é emoção. O encontro de Daniel e Natasha os ensinou o equilíbrio exato entre estes dois fatores e mesmo sem saber se vão ou não ficar juntos no final temos a certeza, assim como eles, que aquele dia valeu a pena e os mudou para o resto da vida.

A narrativa é alternada entre Natasha e Daniel, mas em alguns momentos Yoon abre parênteses para curiosidades e para personagens secundários. A forma que a história é contada é o trunfo da obra. É ágil, viva, inteligente e poética. Há uma sensibilidade latente, assim como uma grande carga emocional. E o final apesar de diferente do que imaginei, me comoveu bastante.

Em suma é mais um livro adorável da autora que ganhou meu coração. Ela não é adepta de desfechos tradicionais, então abram a mente  para o inesperado. É uma histórias de “ses” , que evidencia como nossas escolhas ecoam não apenas em nossa vida, mas também no universo. Recomendo.


E, se confiança, é um dos fundamentos do amor, talvez o costume de olhar nos olhos seja um modo de construí –la ou reforçá-la. Ou talvez seja mais simples do que isso.  Uma simples busca de conexão. De ver. De ser visto.





2leep.com

8 comentários:

  1. Oi, Cida

    Muito amor por esse livro. Eu já terminei querendo ler de novo, pode isso? Hahaha
    A Nicola é sensacional, de uma sensibilidade ímpar e de uma mente brilhante. Quero ler tudo o que essa mulher escrever!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Segunda resenha que leio desse livro hoje e eu já estou quase convencida a dar uma nova chance à autora.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção #Sorteio1KSeguidores

    ResponderExcluir
  3. Oi Cida,
    A proposta da autora parece bem interessante, fiquei curiosa para saber como ela desenvolve a relação entre Natasha e Daniel. Ótima resenha!!!

    *bye*
    Marla
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Amore, eu gostei disso... Fiquei interessada em conhecer Daniel. Sério... essa coisa que você desgostou foi o que mais me atraiu... Vai entender.

    Adorei e claro que lerei!!!

    Bjks e tô com saudade ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá, Cida.
    Eu não li nada da autora, então não sei o que esperar. Amei essa capa e leria só por ela hehe. Eu sou das que não gosta de amor miojo, acredito que tenham atração, mas amor só com o tempo hehe. Assim que der eu vou ler ele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Estou bem curiosa em relação aos livros dessa autora.
    Esse tem uma proposta bem interessante explorando a imigração. Adorei a dica.

    P.S: Obrigada pela força lá no blog ♥

    tenha um ótimo feriado =D
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  7. Oi Cida!! Eu estou com o livro aqui em casa prontinho pra ler, espero conseguir em breve. Só pela resenha eu já super me identifico com a Natasha e acho que vou curtir a leitura!

    BJs, Mi

    O que tem na nossa estante
    Sorteio A guerra que salvou a minha vida

    ResponderExcluir
  8. eu fiquei bem contente d ever tantos pontos positivos na trama, fico cada vez mais curiosa com os enredos de Nicola, espero ler o sol também é uma estrela em breve
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!