[Resenha] A Mentira

A Mentira
Título Original: The Liar
Autor(a): Nora Roberts 
Editora: Bertrand Brasil       Páginas: 490
Lançamento: 2016               ISBN: 9788528620764
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Shelby Foxworth perdeu tanto o marido quanto as ilusões. O homem que lhe dera uma filha e a vida de uma rainha não era o que ela imaginou que fosse. Após o luto de perder Richard, Shelby descobre as montanhas de dívidas que ele deixou para trás. Descobre que ele era um mentiroso, tão falso quanto o diamante no seu anel de noivado, e que o homem que ela amava não está simplesmente morto. Ele nunca existiu. Após vender tudo que pode, Shelby parte com a filha de três anos para o sul, buscando o conforto da sua cidade natal. Lá, porém, também encontra a promessa de algo mais: Griffin Lott, um empreiteiro bem-sucedido e determinado a conquistá-la. Shelby pode até ter sido jovem e ingênua quando se casou com Richard, mas agora está descobrindo sua independência, tomando atitudes sensatas para construir uma nova vida e redescobrindo o que realmente importa. Porém, o passado volta para assombrá-la — e a vida dela e de Griff estão em risco.
A Mentira, de Nora Roberts, foi lançado agora no final de 2016 e para os fãs da autora traz mais uma história de amor que vai além do romance entre um homem e uma mulher. É uma história sobre família, amigos e até mesmo uma pitadinha de mistério.

Shelby Foxworth abandonou a cidade natal, a família, os amigos, a faculdade e tudo que lhe era familiar para casar com um homem deslumbrante que conheceu. O casamento que a princípio parecia um conto de fadas, com o passar do tempo provou-se se uma gaiola de ouro. Ela tinha uma vida de luxo e riqueza, mas a cada dia Richard se tornava mais frio e distante. Ela a tratava com desdém e quando tiveram uma filha tudo ficou ainda pior. Não! Ele não era violento, mas a forma como humilhava a mulher e a impedia de ser ela mesma doía bastante.

No entanto, Shelby ainda tinha esperança de ter uma família e até mais um filho, só que Richard morreu em um acidente e ela veio a saber que não apenas tinha uma divida de milhões para saldar, como ele não era quem dizia ser. Em resumo a vida dela desde que deixou os pais para trás, exceto pela filha, foi uma grande mentira.

Logo nos primeiros capítulos vamos vendo a protagonista descobrir o quanto foi enganada. A cada armário, gaveta ou mesmo um bolso de um casaco do marido que abria uma nova surpresa. Ela se deu conta que em sua passividade nunca soube exatamente como ele ganhava dinheiro ou mesmo o que fazia diariamente. Ela foi ingênua e teve que literalmente pagar por isso.

É admirável a força de Shelby para enfrentar tal situação. Ela vende cada item da casa que vivia e parte de volta para sua cidade natal sem ficar implorando pela ajuda de ninguém. Mesmo quando reencontra a família não despeja a verdade sobre seu drama e só com muita insistência é que eles conseguem fazê-la falar. Gosto bastante de personagens assim, que não ficam com aquela lamentação e choradeira e que partem para a luta e buscam um recomeço. Afinal de que adianta chorar o leite derramado, não é?

Na cidade em que nasceu,  Shelby vai ter que reencontrar suas raízes e fazer as pazes com aqueles que magoou com sua partida repentina. E não vai ser uma trajetória simples, pedir desculpas nem sempre é fácil ou melhor as pessoas aceitarem as desculpas é que é complicado. E assim Nora Roberts nos leva por um passeio por uma pequena cidade dos EUA, com fofocas, histórias antigas e uma união que só estes lugares pitorescos possuem. O núcleo de personagens se expande e temos então não apenas uma viúva e sua filha, mas uma comunidade inteira para conhecer.

Os personagens são muitos, mas cada um tem seu papel garantido na trama e contribui de maneira significativa. Além disso as histórias paralelas são bem legais também e quando surgiu o romance eu tinha até esquecido que teríamos um grande amor para Shelby.

Nora sempre consegue me dispersar dos casais com os paralelos e ouso dizer que não foi a primeira vez que a história de amor foi o que menos chamou minha atenção. É legal ver uma pessoa honesta aparecer para a protagonista, mas acho que faltaram arroubos de paixão na relação. Ok! Ela já tinha tido sua dose de ilusão e buscava algo mais realista, mas ainda assim eu queria um pouco mais de calor e emoção. Eu curto aquelas cenas bem malucas e um pouquinho teatrais de amor e lençóis em chamas. Shelby e seu par são tão diretos às vezes que o clima se quebra.

O que me empolgou mesmo foi a vida cotidiana dos moradores da cidades, as pequenas diferenças, as amizades e rivalidades e claro o mistério ao redor de Richard.

O tal marido já está morto no começo da história, mas é de longe a pessoa mais interessante da trama. A cada novidade sobre ele que surgia eu ficava mais cheia de teorias e lá pela metade já tinha adivinhado aonde aquilo tudo ia chegar. Só faltava entender a razão dele para ter casado com Shelby.

Estes romances mais atuais da autora têm muito em comum e tenho notado o quanto ela não se fixa mais apenas na mocinha e sim em toda uma geração de mulheres batalhadoras. Avós, filhas, netas e até bisnetas.  Nora a cada dia parece trazer mais de sua vida, de sua realidade, para suas obras e a importância da nossa base familiar e da família e amigos nos bons e maus momentos.

Ponto extra para ambientação e clima da história. Novamente senti vontade de fazer as malas e ir conhecer a cidade da protagonista. O clima de aconchego e  de proteção é palpável. Por pior que seja a situação você sente que há uma luz no fim do túnel e esperança no final. É bem gostoso esperar pelo melhor.

Em suma é um romance que segue a fórmula Nora Roberts de ser, assim não esperem encontrar algo nunca antes usado pela autora. Mas é familiar e você sente-se em casa, de volta para universos sempre confortáveis. E mesmo que você saiba onde está pisando, a jornada não é menos encantadora e como sempre seu coração vai se aquecer e ficar cheio de amor




2leep.com

7 comentários:

  1. Olá, Cida.
    Fiquei a resenha toda mudando de ideia sobre ler ou não a cada novo paragrafo que lia. Esse mistério sobre o marido morto me interessa muito. Fiquei aqui na curiosidade para saber mais sobre ele. Mas esse novo romance já não me interessa tanto. Não sou muito fã da autora, mas acho que leria sim.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida, eu nunca li nadinha da Nora, mas ouço tantos elogios que estou que não me aguento para ler alguma obra dela. Espero gostar tanto quanto você.
    Beijos
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Confesso que nunca li livros dessa autora, por mais que ela tenha escrito muitos de sucesso, mas fiquei curiosa a respeito.

    http://gemanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Vergonha que ainda não li nada da Nora, só atraso haha
    Mas esse já me chamou atenção de cara por ter um toque de mistério.

    tenha uma ótima semana =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  5. Cida, fiquei bem curiosa a respeito da trama, de cara ja me encantei com a personalidade de Shelby!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Cida!
    Lendo sua resenha, eu tive um feeling da ambientação como se fosse na Trilogia da Magia.. Isso me deu muita vontade de ler esse livro.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida!
    Eu nunca li nada da Nora, acredita?! Mas sempre ouvi falar muito dela. Gostei do clima de mistério e adorei a ambientação. Livros e filmes que se passam em pequenas cidades assim me prendem demais! Fico como você, quero logo fazer as malas.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!