[Resenha] Lobo Por Lobo

Lobo Por Lobo
Título Original: Wolf by Wolf (Wolf By Wolf #1)
Autor(a):  Ryan Graudin  
Editora: Seguinte                 Páginas: 360
Lançamento: 2016               ISBN: 9788555340192
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória. Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?


Oi! Eu sou a Jô. E de vez em quando vocês vão me ver por aqui.

Hitler venceu a guerra?

Fascinante e bizarro em igual medida.

Não! Ele não venceu de verdade, nem tampouco conseguiu espalhar sua ideologia desumana sobre a Terra, mas a autora Ryan Graudin ousou imaginar um cenário onde isso fosse real. Um mundo que foi dominado pelos países do Eixo. A Alemanha e o Japão são as potências supremas e absolutas e todos os anos testam os limites de seus jovens no Tour do Eixo, uma corrida de motos de mais de vinte mil quilômetros, que passa por três continentes e dois mares.

Sempre disputado por garotos, o Tour do Eixo foi revolucioado quando Adele Wolf se passou pelo irmão e venceu. Ela impressionou tanto Hitler que chegou ao ponto de dançar com ele e, prestes a disputar uma nova competição, ela poderá repetir o feito e ficar nos braços dele outra vez. Tão perto que poderia matá-lo. Mas, um grande MAS, Adele não quer isso. Não sabemos o que ela quer, pois será substituída por alguém que tem sede de justiça e vingança. Esta pessoa vai usar a identidade da vencedora para derrubar o terceiro Reich. Ela é Yael, uma sobrevivente dos campos de concentração.  

Yael faz parte da resistência e viu desde cedo as pessoas amadas morrerem por conta de Hitler. Cada uma dessas mortes é lembrada por ela, estão marcadas em forma de lobo na tatuagem que tem no braço. Cinco lobos. Quando foi presa, os alemães a usaram como cobaia de um experimento. O resultado foi que hoje ela pode mudar, ser quem quiser, tal como uma metamorfa. E com este poder tomará o lugar de Adele no Tour.

O Tour é uma das coisas mais emocionantes que já encontrei em uma história. A prova cheia de obstáculos é traiçoeira assim como cada um dos participantes. Para Yael não basta estar lá, ela precisa vencer para sem bem sucedida no plano.

É uma agonia insana seguir os passos de Yael e sua luta por uma causa e por uma identidade. Há uma confusão de emoções que inunda cada página deste livro. A jovem quer ser uma revolucionária, mas tem medo de derramar sangue (algo vital para vencer esta luta) e por muitas vezes eu desanimei com sua relutância, embora no final tenha notado sua grandeza.

A autora desliza entre passado e presente para construir sua personagem. A Yael que sobreviveu para fugir e aquela com uma missão, cada qual distinta e única. A menina capaz de trocar de pele que perdeu a si mesma neste processo.

E se não bastasse a dor de seus mortos e a morte de si mesma, ela se vê tendo que lidar com o mundo de Adele. Ter decorado a biografia da outra não a preparou para as relações humanas que travaria. Maravilhoso ver o choque e os conflitos dela. Independente de ser ou não Adele, Yael se viu perdida dentro da vida outra. Envolvida com um irmão gêmeo e um possivel ex-namorado. Interessante vê-la fingindo saber do que os meninos falavam, criar laços com eles que no decorrer do caminho foram verdadeiros, mesmo dentro da mentira. Mentira e verdade confundidas e fundidas.

Felix é o irmão de Adele e Luka o rival, amante, aliado, inimigo e sabe-se lá o que mais. Ambos dúvidas perigosas, pois no cenário apresentado ninguém é confiável. Nem você sai saber qual deles é sincero com Yael até a última página. Mentirosos ou não, ambos são tão intensos como a protagonista e o trio forma um grupo emblemático dentro da história. São carismáticos, fortes e maduros de uma forma que não seriam no mundo de hoje, a guerra os forjou.

Há ainda Adele que está ali e não está. Sabe-se que ela também tem sua própria história, uma só dela com estes meninos. A curiosidade sobre este detalhe foi imensa. Como será o momento, se houver é claro,  que os quatro vão ficar frente a frente? Um confronto iminente que precisa existir. Eu quero saber o lugar que cada um terá na vida do outro. É um momento de pura especulação, mas como não imaginar possíveis caminhos quando temos uma série e uma que valoriza ao máximo o “e se”, afinal foi este o ponto de partida da autora, um SE bem grande ao investir em uma história onde Hitler se deu bem. Assim posso também ter os meus “ses”. 

Não sou da época que Hitler tentou dominar o mundo, mas imagino o quanto foi difícil para quem esteve lá e mais ainda, nem consigo pensar se a realidade de Lobo Por Lobo fosse a nossa, mas acredito que se fosse seria igual ao que o livro apresenta. BRUTAL! Uma época que acabou em partes, pois suas marcas sobreviveram aos anos. Nunca serão esquecidas. Monstros reais. Talvez o pior período vivido pela humanidade. Ainda bem que meus filhos nasceram em época mais pacífica (ou quase isso).

É muito bom! Há tempos não encontrava um livro jovem tão inteligente, questionador e desafiador com personagens falhos, reais, vivos. Fascinante e bizarro. Instigante e polêmico. Ricamente construídos, CHEIOS DE FÚRIA, fome, suspiros e GRITOS. Yael é um vulcão em erupção no engajamento em sua missão, na fraqueza de não saber quem é. Ela é falível, não uma heroína munida de super poderes, mesmo com sua metamorfose.

Este toque fantástico não é gratuito, foi inserido tanto para mostrar o tamanho da brutalidade de Hitler na busca por sua raça pura, quanto para mostrar que as aparências enganam e são superestimadas, não sendo o que importam pra valer. Somos essência, não apenas imagem. Uma história para levar as pessoas a buscar a verdade por trás da ficção, É certo que vai contagiar você. Não apenas para entreter, é para também refletir. Obra prima da literatura jovem que vai falar sobre honra, dever, vida, morte, ideologias, dignidade, sobrevivência, preconceito, política e direitos humanos. Talvez, quem sabe, ali haja amor.






2leep.com

13 comentários:

  1. Oi, Jô!
    Confesso que essa capa e essa premissa não me chamam muita atenção, mas como curto livros que se passam na Segunda Guerra, vou dar uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Natal Literário
    Participe do Sorteio de Fim de Ano
    Participe da promoção três anos de Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  2. Oii Cida

    O livro parece ser forte, bem interessante e já imagino que prende do começo ao final, só essa possibilidade que ele apresenta já desperta a minha curiosidade. Com certeza quero conferir essa história..

    Beijos

    Resenha Atual

    ResponderExcluir
  3. Baby, sua resenha está impecável como sempre, porém dessa vez o livro não me conquistou.
    Esse inferno astral está um saco. Na verdade nada me agrada. Volto pra ler essa resenha depois, rsrs. tô muito insuportável. hehehehe

    Bjksssss

    ResponderExcluir
  4. a trama parece bem interessante, mas não é um enredo que me atraia por agora
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Amei a premissa desse livro, fiquei super curiosa!
    Espero ver você sempre por aqui Jô amei sua resenha! Beijos!!!

    www.lendo1bomlivro.com.br
    @lendo1bomlivro

    ResponderExcluir
  6. Olá, Jô.
    Eu fiquei curiosa com esse livro desde que vi ele nos lançamentos. O cenário já é muito promissor, imagine um mundo onde Hitler venceu e ainda mais tem toda uma historia construída nesse cenário. Eu já queria ler, agora então, quero muito.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Jô! Oi Cida!
    Nossa, nem me fale, imagina se isso tivesse acontecido mesmo? :(
    Apesar de você ter gostado bastante do livro, a história não me atraiu tanto... Não sei se leria.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não conhecia porém por se tratar de um assunto que tenho bastante interesse posso até pensar em colocar na listinha de leituras.
    abraço!
    Squad Of Readers

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, tudo bem?

    Gostei da premissa, parece ser um livro muito forte, com muitos temas bons! Acho que é uma obra pra ser digerida sem pressa, né?

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Olá, Cida!!

    Sua resenha está maravilhosa como sempre! Mas o livro em si não me conquistou, que é bem estranho, já que adoro livros assim. Acho que devo está em uma fase de ler livros mais leves!
    Beijos,
    https://teattimee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Gostei muito da resenha, cenários de guerra me atraem muito e só de pensar em um futuro alternativo onde Hitler ganha a guerra eu fico pensando como seria isso? Como estaria o mundo de hoje se ele tivesse vencido? Será que ainda haveriam judeus e ciganos por exemplo? Será que eles ainda continuariam com os experimentos em gêmeos? E com toda essa tecnologia avançada? Eu já quero ler o livro pra ontem. Sua resenha ficou belíssima.
    Aproveitei pra seguir seu cantinho e ficar por dentro das próximas novidades.
    beijinhos,

    https://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi, Jô!
    Quando vi o título não imaginei que se tratasse de um história pela qual eu poderia me interessar. Me enganei! Adoro livros que tenham como tema a Segunda Guerra. O tema me atrai e me assusta na mesma proporção. Terrível pensar num mundo onde Hitler saiu vencedor... Louca pra saber o que Yael fez!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  13. Nossa especie é uma coisa incrível de se vê néh?!?! Olha as maravilhas e desgraças que podemos produzir e espalhar sobre a face da terra! O nazismo é um ideal que não foi forjado apenas por Hitler e não morreu com ele ou foi derrotado com a II Guerra Mundial, mas o que seria de nós se eles tivessem vencido a guerra e se ele não tivesse morrido, se aquele simbolo do pior que nossa especie já produziu ainda existisse... Eu penso e sofro só de pensar! É de congelar a alma! Mas, vou dizer, não sei se aquilo foi o pior já feito por nossa especie, as vezes acho que o pior ainda está por vim! Sim, sou pessimista!

    Eu gostei desse livro pela cara e pelo titulo, fiquei na expectativa pela resenha e a resenha me arrebatou. A tensão e a força da história estão na sua resenha gritando, convidando, convocando quem tem coragem para ir ali e ler o livro. Eu já estou aqui louca para levantar a mão e ir lá ler!

    Jaci
    #DoQueEuLeio

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!