[Resenha] Além-Mundos

Além-Mundos
Título Original: Afterworlds (Afterworlds)
Autor(a): Scott Westerfeld
Editora: Galera Record         Páginas: 546
Lançamento: 2016               ISBN: 9788501107572
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Scott Westerfeld, autor da série Feios, retorna em mais uma aventura de tirar o fôlego. Darcy Patel escreveu seu primeiro livro em um mês. Não muito tempo depois, se mudou para Nova York, para realizar o sonho de viver de escrever. Lizzie se prepara para mais uma viagem de avião, até terroristas invadirem o aeroporto e começarem a atirar em todos. Desesperada, Lizzie se joga no chão. Eu estou morta, eu estou morta... No fim, está tão convencida de pertencer ao lugar dos mortos que acaba atravessando a fronteira do além-mundo. Darcy criou Lizzie. A menina de Além-mundos é sua protagonista. Enquanto Lizzie se vê cada vez mais envolvida nos assuntos dos mortos e do submundo, Darcy luta para se manter no paraíso do YA, na Big Apple, e quanto mais Darcy aprende e amadurece, mais a história de Lizzie também cresce. Ou seria o contrário? Sempre atravessando as barreiras entremundos, as duas irão se redescobrir, se reescrever e explorar os infinitos mundos dentro de si mesmas.
Sempre que falam de Scott Westerfeld citam a série Feios, mas diferente da maioria eu conheci o trabalho do autor lendo a Trilogia Leviatã (), que figura entre as minhas leituras favoritas e recomendo de olhos fechados.

Eu já sabia que a imaginação dele era fértil e ousada e depois de ler Além- Mundos tive a confirmação de que este autor gosta de dar aos seus leitores histórias que são mais do que apenas histórias, são uma jornada épica que mistura o real e o fantástico.

Além-Mundos é um livro dentro de um livro. Uma história dentro de outra história.

Temos de um lado Darcy Patel, jovem prestes a ingressar na universidade que se vê escrevendo um livro no prazo de apenas trinta dias e a seguir tem em mãos um contrato de publicação não só para o primeiro trabalho, mas também para uma sequencia. Decisões e escolhas precisam ser feitas e mesmo contra a vontade dos pais ela deixa a Filadélfia, adia a entrada na  universidade e vai morar sozinha em Nova Iorque para se dedicar a carreira de escritora.  Lá conhece outros autores, tanto experientes como debutantes, e vai aos poucos percebendo que agora faz parte daquele mundo.  Revisar o livro se torna um desafio, viver por contra própria também e Darcy vê como crescer não é tão simples assim.

De outro lado temos Lizzie que passa pela terrível experiência de um ataque terrorista em um aeroporto. Isso lhe causa uma experiência de quase morte. Não! Ela não entrou em coma, mas a necessidade de salvar-se foi tão grande que ela descobriu a capacidade de viajar para um mundo além do nosso, onde as almas passavam para fazer a travessia para o eterno descanso.
Lizzie era um tipo de pessoa conhecida como psicopompo. Viva mas com a capacidade de ver, falar e conduzir almas. Ela se viu interagindo com fantasmas e se apaixonando por um deus da morte hindu.

O que liga Darcy e Lizzie? A primeira é a criadora e a segunda a criação, ou melhor dizendo, Lizzie e sua aventuras são produtos da imaginação de Darcy, são a história de seu livro.

Gente! Este livro é muito louco e inteligente. Westerfeld conta a história das duas garotas ao mesmo tempo de maneira ágil e intrigante. Os capítulos são alternados entre as duas, sendo os de Darcy em terceira pessoa e os de Lizzie em primeira. O que ocorre é que você lê o de uma querendo saber o que está se passando com a outra, na verdade você deseja ter a capacidade de ler sobre as duas ao mesmo tempo,  já que ambas vivem histórias que nos enchem de expectativa.

Com Darcy mergulhamos no processo de formação de um escritor e tudo que está intrinsecamente ligado a não apenas escrever, mas publicar um livro. Que coisa complicada e trabalhosa! Especialmente quando se é tão jovem e dependente dos pais, com a missão de mostrar que seu sonho não é um sonho e sim uma escolha de futuro e carreira. 

Os pais de Darcy não viam escrever como um ganha pão e ela precisou ser bem firme para não fazer o que eles queriam. E além desse dilema há o processo que antecede a publicação. Uma infinidade de detalhes que eu nunca imaginei existir, afinal o livro já chega prontinho na minha mãe e eu nunca parei para pensar no processo por trás de tudo. Não que eu acreditasse que fosse simples, sei que demanda esforço, mas confesso que sempre vi este esforço mais no sentido de pesquisa por parte do autor e capacidade do mesmo de colocar no papel uma ideia genial de maneira atraente. Divulgação, revisão, contatos, editores, agentes e até mesmo uma mudança do final para tornar a obra comercial foram aspectos que me surpreenderam por sua complexidade.

Já com Lizzie temos uma experiência sobrenatural sombria e eu que amo o gênero fiquei gamada nas aventuras delas ao lado de fantasmas e um deus da morte cheio de charme. Há até um serial killer e um velho medonho. O clima é pesado e tenso desde o começo e posso dizer que adoraria ter em mãos os livros de Darcy Patel, desejei sem dúvidas uma série completa escrita por ela.

Só que embora Lizzie tenha uma história ótima, esta é ainda a história de Darcy. Conforme a escritora amadurece, a personagem passa pelo mesmo tipo de transformação. Quando Darcy passava por desafios, Lizzie corria riscos e se via em situações mais e mais perigosas. Darcy ia aprendendo e Lizzie se tornava mais forte. Mesmo sendo duas garotas de personalidades tão distintas são espelhos uma da outra.

Sem dúvidas Darcy teve a sorte de encontrar pessoas legais que a incentivaram e deram aquela força e por isso sua jornada é suavizada. O mundo de Darcy é bonito e cheio de cores enquanto o de Lizzie é cinza e triste, na verdade não me lembro de felicidade para Lizzie.

Eu gostei mais de Lizzie e não vou negar, isso porque de alguma forma Darcy não era tão corajosa quanto sua personagem. Não que fosse covarde, mas sempre precisava de um empurrãozinho. É compreensível em partes, mas a imaturidade dela contrasta fortemente com a desenvoltura e  iniciativa de Lizzie e chega um momento que a criação supera o criador. 

Ambos os núcleos tem seu atrativo, individualidade e atmosfera, mas ainda assim estão ligados. Com maestria Westerfeld mostra que são parte de um todo, um belo casamento. É um livro relativamente grande (quase seiscentas páginas), mas a leitura fluiu facilmente e quando fechei queria ainda mais, não senti as páginas passarem. Poderia com certeza ter continuação para sabermos como Darcy se saiu depois do lançamento e o  que reservou para sua heroína.  Westerfeld é um mago! Além-Mundos é diferente! Tem caldo! Eu adorei! 



2leep.com

13 comentários:

  1. Oiii Cida

    A série Feios nunca me chamou a atenção, talvez porque logo no começo já sem querer pesquei um spoiler enorme. Essa nova série do autor tem uma pinta ótima e pela resenha se nota que é bem envolvente, tenho vontade de conhecer a escrita do autor acho que quando tiver a oportunidade irei começar por essa série

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Justamente esse combo de histórias no livro que me despertou o interesse nesse livro. Achei super genial isso e quero muito conferir.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. a proposta é interessante e tem elementos bem bacanas, mas de verdade não um enredo que me convença ou motive, eu simplesmente não curto esse tipo de leitura

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, já fazia tempinho que qria ler resenhas desse livro, eu amei!
    Enredo e capa perfeitos, parece ser uma leitura agradável e rápida!
    Adorei a resenha! Ansiosa pra conferir!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Cida, tudo bem?
    Que resenha empolgante! Nunca li nada do autor, mas fiquei mega a fim de conferir este livro. Vou colocar nos desejados do Skoob e logo que der, vou adquirir.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá anjo. Quando li a sinopse fiquei um pouco confusa, mas depois que li sua resenha, onde explicou melhor como funciona acabei entendendo e este modo me lembrou um pouco de O Lago Negro da Juliana Daglio onde temos os capítulos das escritora e outros são da sua personagem. Gostei da premissa, a capa é linda e ainda não li do autor!

    Beijão da Lari!
    Brilliant Diamond | Fan Page

    ResponderExcluir
  7. Gosto muito do autor, um dos meus favoritos! Muito boa tua resenha, me deixou curiosa para ler!

    www.priscilaaborda.com

    ResponderExcluir
  8. Sou louca para ler a série Feios, nunca li nada do autor, mas tenho muita vontade. Não conhecia esse livro, de início fiquei um pouco confusa, mas gostei muito da sua resenha, me deixou curiosa pela leitura, parece ser um livro muito bom!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  9. Que livro criativo, creio que Lizzie sofria ou ganhava tudo aquilo que Darcy gostaria de viver. Com certeza esse é um livro que gostaria de ler. Bjos e parabéns pela resenha ♥️

    http://blogliterariodois.blogspot.com.br/2016/08/resenha-para-ella-com-amor.html?m=0

    ResponderExcluir
  10. Óia!!!!!! Que bom que você gostou! Assim eu me animo, rsrs.
    É que ganhei este livro e estou sem coragem justamente por causa do tamanho dele, mas já que você garante, e já que você gostou tanto dessa Lizzie e se quando fechou o livro ainda queria mais... Então não tenho porque correr. Bora ler este livro!!

    Bjks

    Lelê

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada sobre o autor, mas a história parece boa, bjocas.
    https://pedagogaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oiii! Que resenha de tirar o fôlego, adorei! E esse livro todo diferente, aain fiquei muito curiosa agora. Já quero tê-lo em mãos, adorei o seu blog :)

    *Beijokas -Hellen Barros.

    http://www.apenasgiz.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida, tudo jóia?
    Quem leu Feios, Leviatã ou Os primeiros dias sabe como é a escrita de Scott: cativante, esperta, precisa e viciante. E quem correu para ler Além-mundos esperando por isto pode ter se decepcionado um pouco, como foi o meu caso. No começo, eu sequer diria que este tinha sido um livro escrito pelo Westerfeld, não reconhecia nada dele ali. Então eu esperei um tempo e fiquei remoendo as histórias na minha cabeça, em segundo plano, enquanto lia outros livros.
    Scott teve uma idéia e acreditou nela, assim como sua personagem Darcy, e assim nasceu Além-mundos. Nesse sentido, Scott se superou com certeza e entregou uma história que, como ele nos quis fazer acreditar, poderia ter sido escrita por uma adolescente.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!