[Resenha] Traição do Destino

Traição do Destino
Título Original: Veil of Pearls
Autor(a): MaryLu Tyndall
Editora: Fundamento           Páginas: 368
Lançamento: 2015               ISBN: 9788539507955
 ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|
Na fervilhante cidade movida por ricos fazendeiros, comerciantes e escravos, a recém-chegada Adália Winston tenta manter seu segredo: por trás da pele branca e dos bons modos, esconde-se uma escrava fugitiva. Nem mesmo sua fé inabalável ou o doce sabor da liberdade conseguem aplacar o medo de que, de repente, seu antigo dono a encontre e a arraste de volta para um mundo de sofrimento. Por isso, quando o jovem Morgan Rutledge, filho de uma das famílias mais influentes de Charleston, se encanta por Adália, ela resolve ignorá-lo. Mas o desejo de ser amada e protegida é mais forte e ela acaba se apaixonando pelo rapaz. Só que é ela quem acaba sendo levada para um mundo ao qual não pertence: a alta sociedade, onde o esplendor e a ambição traçam suas teias de intrigas, ciúmes e vingança, colocando em risco o destino do jovem casal. E agora: o amor entre Adália e Morgan será a salvação ou a ruína de ambos? Se seu terrível segredo de ex-escrava for revelado, Morgan abrirá mão de seu status e fortuna por um amor proibido e cheio de privações? Quando o passado bate à porta, o futuro pode não chegar.

Charleston, 1812

Traição do Destino, de Marylu Tyndall, publicado no Brasil pela Editora Fundamento, traz a história de Althea, uma jovem filha de um homem branco com uma mulher negra. Embora ela tenha a pele clara, após a morte dos pais não conseguiu escapar dos grilhões da escravidão e durante anos sofreu muitas humilhações e abusos. Aproveitando uma boa oportunidade, conseguiu fugir e foi viver em outro país assumindo o nome de Adália Winston.

Adália chega a passar fome antes de conseguir um trabalho e um teto para se abrigar. Graças ao seu talento com ervas medicinais torna-se ajudante do médico da cidade e finalmente começa a construir uma vida de liberdade. Logo chama atenção da pessoas de Charleston, em especial do filho caçula de um dos homens mais ricos da cidade, Morgan Rutledge. No começo a relação é conturbada, tendo em vista que ela não confia em jovens ricos e mimados, mas ele não desiste e faz de tudo para ganhar o coração da moça e mostrar que não é uma pessoa ruim.

Este livro foi uma agradável surpresa, não conhecia a autora mas arrisquei a leitura por ser de um gênero que gosto demais e afirmo que fiz uma ótima escolha. A trama, narrada em terceira pessoa, poderia ser até mesmo adaptada e virar uma novela ou minissérie tamanho o conteúdo que apresenta. Não é apenas um romance, é a saga de dois jovens em busca de um mesmo objetivo: liberdade.

Isso mesmo! Embora Adália fosse a escrava, Morgan também não era totalmente livre para ser e fazer o que desejava. Claro que a situação dela era a pior, mas nem por isso a dele deixa de ser importante.

Ambos são pessoas cativantes e de bom coração, embora ela possua muito mais atitude que ele na hora de fazer o bem . Adália é dona de uma fé inabalável e prega a palavra do Senhor sempre que tem oportunidade. Admito que gostei da personagem, admirei sua coragem e destemor, mas esse lado extremamente religioso me incomodou, eu não sou fã deste tema em livros, filmes e afins. Entretanto, por mais que ela demonstre suas crenças com tanto afinco, eu me prendi mais aos demais assuntos que estavam sendo abordados e por isso a leitura foi bem proveitosa.

Já Morgan é totalmente oposto e não acredita que exista um ser superior para ajudá-lo quando está cheio de problemas. No entanto ele acredita em seus sonhos e mesmo com todas as proibições do pai, dá um jeitinho de ir atrás de que quer. Nosso protagonista sonha em desbravar os sete mares e com a ajuda de um gentil capitão aprende o ofício da navegação. E sua vontade é tão contagiante que você torce para que ele consiga.

A narrativa foca nos dois jovens e com isso conseguimos conhecê-los bem. A autora trabalha tanto os dois juntos, como separadamente, dando mais corpo para a trama e tecendo um pano de fundo elaborado. A relação dos dois passa por várias fases e  não é possível prever o desfecho. Eu sinceramente não acreditei que no final fossem ficar juntos, eram muitas dificuldades, diferenças sociais, intrigas, pessoas que não aceitavam e o fantasma do dono de Adália que poderia aparecer a qualquer hora e reclamar sua escrava. Se o final foi feliz? Só lendo para saber.

É uma história sensível e delicada  passada numa época onde a cor da pele poderia determinar toda a vida de uma pessoa. A autora dá especial destaque para as diferenças de classes e para a forma maldosa como as pessoas poderosas agiam com aqueles menos afortunados. Vemos o lado do luxo e o lado da pobreza. Vemos o amor, a esperança e a fé tentando vencer. Há um romance proibido para criar expectativas no coração dos leitores e muitas intrigas para nos deixar aflitos.

É um romance de época diferente dos que estou acostumada a ler. Não se passa na Inglaterra, não há nobres e nem aquele toque de humor que deixa a história hilária e ainda há este lado cristão, mas ainda assim me cativou e foi ótimo encontrar algo diferente, com um teor mais sério. 

2leep.com

15 comentários:

  1. Oie, Cida!
    Descobri esse livro a pouco tempo, tenho muita vontade de ler, pois amo o gênero. Meu único receio é que essa pegada mais séria não me cative tanto, pois amo os que tem um ar mais engraçado. Mesmo assim pretendo comprar para desvendar essa história.
    Beijinhos!
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida!
    Confesso que achei esse livro com um quê de Escrava Isaura.
    Eu também não curto muito personagens muito religiosos em livros e afins, mas acho que é um quê pra vermos como eles veem o mundo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Não curto romance de época, então, de cara, descartaria o livro. Contudo, a sua resenha me animou um pouquinho, principalmente por ser um romance fora do padrão normal dos de época.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir
  4. senti que o enredo é bem forte e dramático, eu gostaria de ler, ja que fiquei bem curiosa!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oi flor, com essa forte carga dramática não tem como não amar o livro! fiquei curiosa!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o livro, fiquei bem interessada na premissa, gosto muito de romances e li poucos romances de época. Gostei muito da sua resenha, me deixou curiosa pela leitura.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida, tudo bem?

    Nossa, não conhecia o livro, mas fiquei bem interessada. Há algum tempo eu também li um livro com um enredo que daria fácil para ser adaptado em uma minissérie ou novela das seis.
    Também não gosto quando abordam religião nos livros. Eu acho que há uma linha muito tênue entre o bom senso e a doutrinação, e a maioria dos autores erra na mão.
    Mas mesmo assim fiquei curiosa para conhecer essa história! :)

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  8. Oi, Cida!
    Que saudades de ler esse gênero! Não conhecia esse livro, mas fiquei tentada em lê-lo por causa da sua resenha.

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  9. É um romance de epoca bem diferente mesmo, acho que eu demoraria um pouco pra me adaptar, mas a história tem tudo pra ser ótima!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova no blog de "Eu te amo, você me assombra", vem conferir!

    ResponderExcluir
  10. Parece uma história gostosa de ler. Li poucos romances de época, mas tenho vontade de ler mais...

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
  11. Cida!
    É mesmo um romance histórico diferente.
    Não me importo com a abordagem cristã, afinal, todos tem suas crenças. Fiquei intrigada porque ela mexe com ervas, porque geralmente que mexe com elas está mais ligado a bruxaria.
    Gostaria de fazer a leitura.
    “Só sei que nada sei.” (Sócrates)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe do TOP COMENTARISTA de Janeiro, são 4 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  12. Oi Cida,
    Achei esse romance de época, diferente. Mas, se as editoras querem apostar no que está vendendo tem que inovar mesmo.
    Acho que daria uma chance. Religião sempre gera uma torcida de nariz nas leituras, mas eu gosto.

    Tenha uma linda quarta. =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  13. Oi, Cida.
    Não gosto muito de romances de época, mas essa parece ser uma ótima leitura. Amei a resenha ;)
    Beijos!


    Borboletas de papel Ƹ̴Ӂ̴Ʒ

    Conheça o novo projeto literário #12HistóriasBrasileiras e participe!

    ResponderExcluir
  14. Nossa que interessante esse livro, não conhecia e como vc destacou ele é um romance de época diferente dos demais e por isso chama atenção. Esse drama da escravidão e busca pela liberdade deve deixar o leitor nos nervos em vários momentos. Enfim fiquei curiosa e amei a dica. Beijos e parabéns pela leitura!!!

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
  15. Oii!! Uool! Amoooo esse gênero! Já tinha visto em outras resenhas! E eu adorei! Qro ler! Bjs!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!