[Resenha] O Vírus das Tulipas Vermelhas

O Vírus das Tulipas Vermelhas
Título Original: The Tulip Virus
Autor(a): Daniëlle Hermans
Editora: Record                    Páginas: 308
Lançamento: 2015               ISBN:  9788501087478
Virus ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Dois assassinatos, um mistério e uma flor mortal que atravessa gerações Alkmaar, século XVII. O respeitado taberneiro e negociante de tulipas Wouter Winckel é encontrado brutalmente assassinado no salão de seu estabelecimento. Ele era o mais respeitado negociante de tulipas da cidade e possuía a mais bela coleção de flores da região, incluindo a mais cobiçada e cara de todas, a Semper augustus. Londres, século XXI. Com inúmeros ferimentos, Frank Schoeller é encontrado à beira da morte por seu sobrinho Alec. Pelas últimas palavras do tio – e pelo livro que segura com toda a força –, Alec deduz que sua morte esteja de alguma forma relacionada às tulipas. Com a ajuda de dois melhores amigos, ele segue um rastro que não só os leva ao comércio de tulipas do século XVII e à morte de Wouter Winckel, mas também a um grupo de investidores ricos do qual Frank fazia parte. Alec então se depara com uma cientista ambiciosa, Tara Quispel, que, ao que parece, conhecia Frank muito bem, mas não pelas razões que ele imagina. Quando ficam claras as intenções de Frank e o que estava em jogo, todos os envolvidos passam a temer pela própria vida.
O Vírus das Tulipas Vermelhas é aquele tipo de livro que captura facilmente minha atenção, pois possui assassinatos e muito mistério. Eu adoro desempenhar meu papel de detetive aqui do sofá de casa e tentar adivinhar não só os culpados pelo crime, mas também a motivação. Neste livro foi exatamente o segundo item que me fez devorar as páginas em pouco mais de um dia, eu tinha todos os acontecimentos na minha frente e não conseguia ligá-los e achar uma razão válida e coerente para tanto sangue derramado.

A história acontece durante duas épocas distintas, sendo uma em julho de 1636, na cidade de Alkmaar, lá o taberneiro Wouter Winckel é torturado até a morte e seus filhos são deixados a cargo de um orfanato. Ele era um revolucionário que contestava o poder dominante da igreja ao mesmo tempo que também era um fabuloso cultivador de tulipas. As flores criadas por este homem eram objeto de cobiça e valiam muito dinheiro, tanto que a venda das mesmas poderia deixar um homem muito rico e outro arruinado. Já na Inglaterra, em pleno século XXI, outro homem é torturado brutalmente e morre nos braços do sobrinho. Frank Schoeller só teve tempo de entregar um livro sobre tulipas para Alec e pedir segredo sobre o assunto. Dois assassinatos que ocorreram após tortura, dois homens de pensamentos livres e tulipas. Qual seria a ligação entre Frank e Wouter?

Posso dizer que desde a primeira página já tive minha cota de choque, as mortes deste dois homens foram apresentadas em detalhes e possuem um elevado grau de violência, na verdade todas mortes ocorridas nesta obra são bem fortes e a autora não poupou esforços para nos fazer visualizar tais cenas. Eu não me incomodo com estes elementos, gosto de livros com esta pegada mais forte e embora fique perturbada, preciso descobrir os motivos.

Através de capítulos curtos, alternados entre passado e presente, vamos recebendo informações para tentar descobrir a verdade. A história da origem das tulipas e como estas flores influenciaram o homem e a sociedade de uma época é muito fascinante.  Conforme Alec busca respostas sobre o livro deixado pelo tio, vamos entendendo os fatos ocorridos no passado e como esta flor dava poder e prestígio para seus donos. Eu ficava imaginando se tudo era apenas por dinheiro ou se o lado religioso era a verdadeira razão, até pensei em terrorismo biológico. A autora manteve o suspense até as páginas finais, me deixando mais e mais agoniada, fico feliz por esta demora nas revelações não ter prejudicado o desenvolvimento da trama, pois muitas vezes segurar demais a informação acaba deixando a leitura bem cansativa e isso não ocorreu nesta obra.

Eu atribuo o fato da história permanecer envolvente  do começo ao fim por ter um lado humano bem forte, não é só mistério e morte, os personagens têm seus problemas pessoais sendo trabalhados no decorrer da investigação. Alec, ao chamar seus amigos de infância Damian e Emma para ajudar na busca, reviveu um triângulo amoroso adormecido e nunca superado, assim temos este conflito pessoal correndo paralelo aos crimes.

A forma como a narrativa foi conduzida é muito boa, com um texto fluido e objetivo. As linhas de tempos não são confusas e você fica bem situado e cheio de expectativa até o momento que ambas se conectam. A história das tulipas é bem fundamentada e convincente, apresentada para leigos, ou seja, não precisa ser especialista em botânica para entender. No entanto senti falta de uma maior exploração dos criminosos, não dos motivos, mas de seus executores, pois no final a impunidade prevaleceu e fiquei com algumas perguntas sem resposta. Os detetives da Scotland Yard poderia ter tido mais destaque também e quem sabe aproveitados em futuras obras da autora. A parte histórica e comportamental  é mais forte, bem construída e envolvente, já o lado criminal acabou começando cheio de possibilidades e acabou sendo desenvolvido de maneira mais simplista, com um final não tão detalhado quanto eu esperei e bem rápido.

Eu gostei, mesmo com as ressalvas, não há como não ficar cativo do começo ao fim e alimentar diversas suspeitas. O meu lado detetive-amadora não conseguiu paz em nenhum momento. É o livro de estreia de Daniëlle Hermans e acredito em seu potencial para escrever. Aguardo por mais livros neste estilo e que possam apresentar assuntos tão interessantes quanto O Vírus das Tulipas Vermelhas.





2leep.com

18 comentários:

  1. Oi Cida, não conhecia esse livro e adorei a dica. Assim como você, amooo dar uma de detetive e explorar todas as minúcias da trama atrás ou dos culpados ou de uma razão lógica. Me frustro quando não consigo, mas, ao mesmo tempo, fico feliz quando o autor consegue me dar voltas e não ser óbvio. Acho que só li até hoje 2 livros com cenas explícitas e detalhadas de violência e isso é muito impactante mesmo. Ó, posso dizer? Tô sentindo falta das suas estrelas ao final da resenha.. kkk elas eram um indicativo ótimo para eu saber, resumidamente, o que você achou da obra e se a indica ou não :P hehe Beijos, Mi

    Blog Recanto da Mi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você notou! Foi uma mas pequenas mudanças que resolvi fazer.

      Excluir
  2. Cida, eu não conheciam, mas fiquei bem entusiasmada pela trama. Creio que posso arriscar adquirir sem medo, acho que ja é da natureza querer decifrar as coisas
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thaila! Espero que lei e curta muito.

      Excluir
  3. Cida, eu não conheciam, mas fiquei bem entusiasmada pela trama. Creio que posso arriscar adquirir sem medo, acho que ja é da natureza querer decifrar as coisas
    felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Assim como você, adoro livros com mistérios e uma pegada policial. Então, a sua resenha me chamou logo a atenção, principalmente por causa da premissa da obra. O único ponto dos mencionados que me desagrada é o fato dos vilões não receberem tanto aprofundamento. Adoro quando eles são bem trabalhados.
    Ótima resenha. Darei uma chance a obra.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  5. Quando vi o título, jurava que era algo com doença e tals. Fui trouxa
    Mesmo assim, curto muito livro do estilo. Lembra muito Labirinto da Kate Moss, também nessa de passado e presente.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que resenha gostosa de ler. Amei de verdade e estou interessadíssima em ler o livro, que eu desconhecia até agora.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Cida! Tudo bem?

    Puxa, que resenha incrível! Nunca ouvi falar desse livro e você acabou de me deixar infinitamente curiosa para conhecer a história que carrega. Faz muito tempo que não embarco em um suspense criminal com doses históricas, com direito a muito sangue, então valeu a dica!

    Um beijo,
    Doce Sabor dos Livros - docesabordoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Cida!
    já vi que o livro vai me conquistar também...Mistérios e assassinatos sempre me conquistam se bem escritos.
    E aqui como se passa em duas épocas distintas, me deixou ainda mais curiosa.
    Adorei/!
    “A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita.”(Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  9. Oi Cida, sua linda, tudo bem
    Que pena que a parte da investigação não teve destaque, pois é a que eu mais gosto. Eu tenho um detetive amador dentro de mim, logo, você me deixou super curiosa para descobrir a natureza dessas tulipas. Será que a explicação é um pouco mágica, sobrenatural, pois se homens estão ficando ricos por causa delas e por consequência morrendo, ela não são flores normais. E ainda existe esse livro que antes de morrer ele tentou proteger. Você não me deu nenhuma pista, isso não vale!!!!!! O livro parece ser bom apesar das ressalvas, mas fiquei com receio apenas dessas cenas mais cruas, dependendo do grau, eu não leio. Dica anotada, quem sabe mais a frente!!!!! Adorei sua resenha!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie Cida =)

    Também tenho esse lado de detetive armadora, e fico bem chateada quando descubro o grande mistério rápido de mais rs...
    Não conhecia o livro, mas não curto muito histórias em que a violência é meio gratuita, fato do o por que eu ter desisto de ler os livros da sério Guerra dos Tronos.
    Pela sua resenha, apesar de alguns ressalvas a história parece ser bem interessante. Só fiquei meio com o pé atrás por causa do ponto que comentei acima, mas que sabe eu não acabe dando uma chance ao livro se tiver oportunidade?
    Sua resenha me deixou bem curiosa ^^

    Beijos e um bom final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  11. Eu simplesmente sou encantada por livros de mistério, que me prendem na leitura e eu como você fico tentando adivinhar as coisas que podem acontecer, confesso que me interessei muito por esse livro, ainda não conhecia mas pretendo ler, sua resenha está muito boa.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Vi resenha deste livro em outro blog e tinha posto ele na minha lista e agora lendo sua resenha vejo que tenho que compra lo logo pra ler , mas com uma lista enorme pra mim ler esta meio dificil encaixa lo , mas espero ter a oportunidade de ler lo ate o final do ano .
    Parabéns pela resenha!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, Cida
    Olhando pela capa nao parece a premissa que tem.
    Gostei muito, pois adoro ficar tentando adivinhar também. Me interessei muito pelo livro e leria com certeza, apesar das ressalvas.


    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Cida !
    Amoo livros que fazem querer ser uma ''Sherlock'' da vida, eu não conhecia o livro, mas achei sua resenha bem completa e fiquei bem interessada acho que esse livro vai me ganhar apesar das ressalvas é um livro que vou tentar encaixar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Adoro livros de mistério e também adoro bancar a detetive. Fiquei muito curiosa para saber como as flores influenciaram a sociedade da época, deve ser muito interessante. Só chateada pela impunidade ter prevalecido, depois de cometerem crimes tão cheios de crueldade.

    ResponderExcluir
  16. não conhecia o livro e admito que pela capa eu não o leria. sim, julgo os livros pela capa. sim, perco muita história boa por causa disso.
    livros que contenham mistério já fazem com q eu sinta muita vontade de ler. quando a leitura flui então... aí que é bom.
    já li um livro que tinham cenas violentas e fiquei me sentindo muito mal, por imaginar a cena. se esse tem um ELEVADO GRAU de violência, vou morrer várias vezes lendo.
    a obra parece ser incrível e eu quero conferir. espero não passar mal com determinadas partes do livro

    bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!