[Resenha] O Mapa de Vidro

O Mapa de Vidro
Título Original: The Glass Sentence (The Mapmakers Trilogy #1)
Autor(a): S.E. Grove 
Editora: Verus                      Páginas: 392
Lançamento: 2015               ISBN: 9788576863540
mapa ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Ela conhecia o mundo somente por meio de mapas. E não tinha ideia de que eles poderiam ser tão perigosos. Boston, 1891. Sophia Tims vem de uma família de grandes cartógrafos. Desde a Grande Ruptura em 1779, quando todos os continentes foram lançados a uma era diferente – da pré-história a um futuro distante – esses exploradores viajam e mapeiam o que é conhecido como Novo Mundo. Há oito anos, desde que seus pais não retornaram de uma missão urgente, ela vive com seu tio Shadrack, o melhor cartógrafo em Boston. A vida com seu brilhante, adorado e distraído tio, ensinou Sophia a cuidar de si mesma. Quando Shadrack é sequestrado por pessoas que estão atrás de um poderoso artefato, ela é a única que pode salvá-lo. Ao lado de Theo, um refugiado do oeste, ela embarca em uma aventura por cidades secretas e mares desconhecidos baseando-se apenas nos mapas deixados por seu tio e sua intuição. O que Sophia e Theo não sabem é que suas próprias vidas estão em perigo quando se descobrem segredos há muito enterrados. O mapa de vidro vai fazer você mergulhar em um mundo de fantasia autêntico e intrigante, com uma heroína que vai ganhar o seu coração.
Mistério, ação e aventura na dose certa.

Mapa de Vidro, primeiro volume da trilogia  The Mapmakers, de S.E. Grove, conseguiu me prender desde a primeira página e até o último capítulo minha empolgação não diminuiu tamanha a criatividade da autora na composição desta história.

Tudo começa em 1779, quando ocorre a Grande Ruptura. Os continentes se partiram e diferentes eras surgiram, em alguns lugares o homem voltou a era pré-histórica, em outros está vivendo num futuro não distante que é difícil de imaginar.  O caos foi instaurado, a pirataria está em voga e as expedições de exploração também. Um mundo praticamente virgem e esperando para ser desbravado, no entanto, alguns homens querem impedir esta busca de conhecimento e em Boston, no ano de 1891, a lei para fechar as fronteiras vai ser votada e,  se aprovada, ninguém vai poder entrar ou sair do Novo Ocidente (EUA)

Sophia Tims foi criada pelo tio Shadrack, um grande cartógrafo que pretendia ensinar a arte dos  mapas para a garota, assim ambos poderiam viajar em busca dos pais dela que há anos estavam perdidos em uma viagem de exploração. O tempo era curto e eles precisavam partir antes das fronteiras serem fechadas, mas eis que surgiram estranhos homens com horrendas cicatrizes no rosto e sequestraram Shadrack. Assim, a prioridade de Sophia passou a ser salvar o tio e para isso ela precisava viajar para outras eras e lugares em busca de ajuda.

Um mundo complexo, engenhoso e muito inovador. A autora soube criar algo bem diferente e criativo, além de muito original. A maneira como tudo é apresentado para nós é de fácil assimilação e até mesmo palpável. Você enxerga praticamente o que está escrito, tanto que é possível sentir a passagem de uma era para outra naturalmente. O clima de uma Boston imersa em discussões políticas, ruas sujas e portos lotados é tão convincente, quanto o clima medieval que rege as Terras Baldias e seus modos mais rústicos. Não só o lado físico é explorado, há um trabalho detalhado em relação ao aspecto cultural, evidenciando as diferenças entre estes povos surgidos de diferentes eras. É interessante e fascinante, a vontade de ser um explorador e desvendar cada um deste locais me invadiu, o mesmo ânimo que dominava os personagens me contagiou.

Grove é didática em sua narrativa em terceira pessoa, mas nunca cansativa ou monótona, ela nos ensina como tudo funciona e se transforma durante a jornada de sua protagonista Sophia em busca do tio, assim vivemos algo muito dinâmico. A aventura e ação constantes fazem com que a história só fique melhor a cada minuto e mais empolgante. Sabemos que estamos fazendo enormes descobertas que nos levarão para algo muito maior.  Há uma enxurrada de segredos revelados, tornando a história mais e mais elaborada.

Sophia acredita que precisa apenas resgatar Shadrack, mas logo percebe que um estranho artefato que ele deixou para ela é a peça fundamental para entender como se deu a Grande Ruptura e quem sabe a chance de reverter os resultados deste acontecimento. Ela tem em mãos um mapa de vidro, que nem longe se assemelha aos de papel que conhecemos, na verdade todo e qualquer mapa que existe nestas eras foge dos clichês, não são simples linhas no papel, são memórias guardadas em madeira, água, vidro, corpos e onde você conseguir imaginar. Misturando ciência e magia, a história do mundo foi gravada em diferentes materiais no intuito de revelar memórias.

Eu fiquei tão imersa nesta obra que nem vi as quase quatrocentas páginas passarem, simplesmente me perdi neste universo incrível e me diverti demais. Não só meus olhos brilharam com tanta novidade, mas também fui cativada pelo carisma dos personagens. Sophia é uma menina madura para sua idade e até um pouco carente, tem muita dificuldade em se situar no tempo - o que na sua realidade configura uma grande deficiência –, e embora ela se sinta diminuída por ser diferente, eu não vi nada disso, pois sua luta constante para superar as fraquezas nunca a empobreceram e sim a tornaram digna de muito respeito. Guiada pelo coração foi ousada e destemida. A vontade de protegê-la surgiu fácil.

Ao seu lado temos o enigmático Theo, os divertidos piratas Calixta e Burr, a cartógrafa Veressa e seu pai, a governanta Sra. Clay e claro seu tio Shadrack. Todos desempenham papel importante na história e tem o devido destaque. A autora não deixou de explorar nenhum de seus personagens e lhes deu as próprias histórias correndo paralelas ao tema central. Até a vilã, Blanca, é alguém que não merece totalmente nosso ódio, pois chegou onde chegou devido a motivos válidos e sua vida por si só daria um outro livro.

E a cada minuto que o final ficava mais próximo eu ia notando semelhanças deste mundo pós-ruptura com o nosso, embora seja algo ocorrido no passado muitas vezes eu tinha a impressão que nosso futuro poderia ser exatamente igual, resultado de nossas ações como desperdício constante de reservas naturais, o agravante da ameaça iminente do aquecimento global, a poluição,  devastação do meio-ambiente e assim por diante, tudo aquilo que pode levar o mundo à um colapso e desregular tempo e ambiente. Apesar de o universo de O Mapa de Vidro ser bem fantasioso, não é tão impossível assim. Este livro apresenta uma história que nos permite imaginar uma infinidade de possibilidades para o mundo.

O final foi redondinho, mesmo sendo parte de uma série a autora fechou um ciclo, claro que existe margem para continuação e temos um indício claro da próxima missão da jovem Sophia. Aguardo ansiosa pela reunião desta turma e mais aventuras. Quem curte aventuras estilo A Bússola de Ouro com uma mistura de Indiana Jones pode ler sem medo. Um dos melhores que li este ano, senão o melhor. ♥

Nota: A edição do livro apresenta mapas tanto do mundo, como dos continentes e me ajudou bastante no sentido de seguir os passos dos personagens e até mesmo me localizar melhor nesta nova realidade.

2leep.com

11 comentários:

  1. Cida!
    Gosto muito quando um livro traz mapas, embarco em cada detalhe deles.
    E aqui me parece que os mapas guardam segredos que colocam a vida dos protagonistas em perigo.
    Fiquei bem curiosa em poder ler esse livro, bem diferente dos que ando lendo.
    “A vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.”(Soren Kierkegaard)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não sou muito fã de serie que se passa nesse período, mas eu me interessei bastante por essa, o enredo parece ser gostoso.
    http://ancorandoomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Amo livro assim que são grandes mas são tão bons que nem vemos as paginas passarem . Gostei muito do que você mostrou na resenha e espero em breve poder ler .
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida !
    Esse livro foi uma leitura tão boa pra mim, é um livro brilhante Amei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Cida
    O livro é bem grandinho né. Mas se mesmo assim foi proveitoso, eu até pensaria em ler.
    Ainda não conhecia, e não sei se me interessaria logo de cara. Porém, como gostei da resenha, acho que daria uma chance ao livro. Sem contar que gosto de aventuras.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. achei legal a preocupação em ambientar o leitor dentro da trama, pois como o enredo é diferente precisa desse cuidado especial
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oieee
    Mann preciso ler esse livro, adoro livro que prendem o leitor, fora que tem coisas que amo como caos e pirataria kk
    Beijinhos Screepeer
    Screepeer

    ResponderExcluir
  8. não conhecia a trilogia.
    livros que te fazem se sentir dentro dele, fazendo parte da história e compartilhando das mesmas ideias é incrível. senti isso com ENDGAME. e esse livro parece ser bem parecido.
    gostei da ideia e inteção do autor.

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Li algumas resenhas e também um comentário muito elogioso sobre esse livro o que me despertou a curiosidade sobre ele e agora vejo aqui a sua resenha muito bem trabalhada. Logicamente que quero muito ler o livro.

    ResponderExcluir
  10. Oi
    Não conhecia esse livro e simplesmente adorei a dica e a resenha,
    é bom saber que é um livro original e diferente e já chamou minha atenção quando li original.
    A história realmente parece ser incrível e eu gosto de livros com Mapa.

    http://momentocrivelli.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!