[Resenha] As Perguntas Que Não Quero Fazer

As Perguntas Que Não Quero Fazer
Título Original: The 10 PM Question
Autor(a): Kate De Goldi
Editora: Fundamento           Páginas: 232
Lançamento: 2015               ISBN: 9788539501304
as_perguntas_que_nao_quero_fazer ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads|
Frankie Parsons é um garoto inteligente, talentoso e faz listas para manter tudo sobre controle. No entanto, ele sente que alguma coisa está errada. Sua mente é inquieta e cheia de preocupações, seja com a ração da gata ou com as pilhas do detector de fumaça. Só quem compreende sua ansiedade e responde às suas perguntas é a mãe, uma mulher que há nove anos não sai de casa. E o mais estranho é que ninguém conversa sobre o motivo de ela viver como um pássaro engaiolado. Mas a rotina de Frankie começa a mudar quando a confiante Sydney muda para a escola dele e invade o seu mundo com um jeito despreocupado e uma curiosidade irritante. E é assim que Frankie, com a ajuda de sua implicante irmã, de Sydney e de Gigs, seu leal amigo, tentará desvendar segredos guardados a sete chaves e descobrir as recompensas de falar em voz alta o que antes estava calado. As perguntas que não quero fazer foi vencedor do prêmio Livro do Ano na categoria Jovem Adulto na Nova Zelândia. Neste livro, a autora Kate De Goldi trata com sensibilidade e uma pitada de humor inteligente as preocupações da juventude, as relações familiares, as amizades e a necessidade de mudar para amadurecer.
As Perguntas Que Não Quero Fazer, de Kate de Goldi, publicado no Brasil pela Editora Fundamento, foi mais um livro que me surpreendeu, eu sempre espero que livros protagonizados por crianças sejam totalmente leves e divertidos, mas esqueço que na vida real, tanto nós adultos, como crianças, podemos viver situações difíceis e dramáticas, vidas cheias de ansiedade e medos, não é por ser jovem que alguém está livre de problemas.

Frankie tem apenas 12 anos, mas é uma pessoa com muitas expectativas, extremamente ansioso, vive fazendo listas e preocupado com a mãe, uma mulher que há anos não sai de casa e finge que viver trancada entre quatro paredes é normal. Ele acredita se não estiver lá, ninguém cuidará dela, e pior ainda, teme ser acometido do mesmo problema e terminar isolado como ela. Ele é tão diferente de Gigs, seu melhor amigo que encara a vida de maneira divertida e descontraída, sem neuras.

Frankie é o caçula, tem uma boa relação com o irmão mais velho Louie e vive em guerra com a irmã Jordanna. O pai, chamado por todos de Tio George (inclusive pelos filhos), é uma figura, assim com as tias avós que fazem parte da rotina da família. São pessoas divertidas e incomuns, que vão sendo apresentadas ao leitor no decorrer da história enquanto vamos vendo a ansiedade do menino lhe corroendo diariamente, conduzindo- o rumo à um colapso iminente.

O livro é narrado em terceira e focado no protagonista, não é uma leitura de ritmo ágil, mesmo com poucas páginas apresenta algo mais lento e permeado com momentos reflexivos. Nas primeiras páginas vemos que o protagonista encara a vida com uma seriedade incomum para sua idade, mas conforme seus transtornos ficam claros entendemos os dilemas de Frankie. A doença da mãe não é revelada logo de cara e isso me fez questionar se seus pais não eram ausentes e relaxados, mas logo percebi que a crise em casa era parte disso, e que ninguém fazia ideia do que se passava com o garoto, mesmo que suas atitudes fossem estranhas, eles achavam que era o jeito dele, só a irmã Jordanna notava a verdade.

Vejam bem, ele não era um garoto largado, ao contrário, de um jeito peculiar, aquela família era unida e muito afetuosa, o problema ali eram as perguntas não feitas, os assuntos não abordados e os problemas ignorados. É interessante ver que todos os dias, as dez da noite, Frankie ia até o quarto da mãe e lhe perguntava algo, ela lhe dava uma resposta adequada e ele ia dormir fingindo estar tranquilo, quando na verdade o que ele queria realmente falar estava lhe correndo por dentro.
É angustiante e triste acompanhar a jornada deste menino, mas também é alegre em alguns momentos, sua relação com as tias, com os pais e os amigos são belas e doces, mesmo com problemas, a vida de Frankie não era ruim, apensa mal resolvida.

Claro que esperamos por uma mudança, uma virada que permita que ele seja feliz, e isso começa com a chegada de uma menina em sua escola, Sidney, com sua total falta de bom senso e perguntas inconvenientes. A vida preto e branco, regrada e de listas de Frankie sai dos eixos. Sid leva uma vida caótica e bagunçada, totalmente oposta a dele e mesmo assim carrega em si um otimismo contagiante, algo que tira o amigo da zona de conforto, é o estopim para fazê-lo reagir e enfrentar seus medos e fazer suas perguntas, fiquei tão feliz quando ele procurou a irmã Jordanna e falou o que sentia e ela, sempre implicante e chata, se mostra compreensiva e prestativa,  amorosa de verdade e prova que ser reclamona era seu mecanismo de defesa, assim como o do irmão mais velho Louie era a rebeldia.

E assim, com personagens que se transformam a cada página, nos fazendo repensar toda aquela impressão inicial, Kate de Goldi nos conta uma história sensível e delicada, que transborda sentimentos, amor e amizade intrinsecamente ligados, pessoas com medo de se abrir, desabafar e dizer a verdade. Eu fiquei pensando ao fechar o livro quantas e quantas vezes nos calamos por comodismo ou mesmo medo, quantos problemas seriam mais fáceis de resolver se tivéssemos uma boa conversa com determinadas pessoas e dividíssemos o fardo que carregamos com elas. Sabe, muitas vezes podemos obter ajuda onde menos esperamos e acabar encontrando a felicidade de maneira mais fácil, não vou dizer que ao fazer suas perguntas Frankie achou um final feliz, não mesmo, mas ele achou um novo começo e foi pela primeira vez criança, deu os primeiros passos para superar o que lhe afligia e neste momento viu como sua família era unida e queria seu bem. Um livro lindo e comovente.






2leep.com

35 comentários:

  1. Oi!!

    Adorei sua resenha! Esse livro parece contar uma história maravilhosa sem deixar de lado a sensibilidade para se tratar de certos assuntos.
    Com certeza irei querer lê-lo em um futuro próximo!

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida!

    Me apaixonei por esse livro por causa da capa e do título (achei genial, daqueles títulos que gritam o nome da gente). Mas depois de ler sua resenha, percebi que me identifico muito com o livro e com a história. A única diferença é que não tenho irmãos e tenho 20 anos, mas de resto... Fiquei com mais vontade de ler ainda!

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Realmente parece ser um livro lindo! Amo leituras assim, que tratam do relacionamento familiar e isso aos olhos de uma criança deve ficar bem mais legal.
    Amei a resenha! Bjs <3

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida,
    Não conhecia o livro, mas curto os juvenis.
    Fiquei curiosa sobre a mãe e achei essa capa adorável.

    Gostei muito do que li na sua resenha.

    bjs e tenha uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo joia?
    Eu ainda não conhecia o livro, e gostei bastante do que acabei de ler, o desenvolver da história parece ser muito bom !! Adorei *-*

    Beijos
    intoxicadosporlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. oi flor, desde o lançamento foi o que mais me atraiu da editora, é bom conhecer mais do enredo
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Cida!
    Triste ver uma criança com tão pouca idade, já tão maduro e cheio de problemas.
    E aí que acho o papel dos psicólogos importante. Uma boa orientação profissional poderia colocar o menino a repensar. E que bom que encontrou pelo menos um caminho com a colega de escola que dá uma nova luz a vida dele.
    Feliz dia das mães!!!!
    “Às mães de todo planeta, Ofereço o brilho de um cometa, Para tal beleza comparar, Sem jamais pestanejar, Por Deus abençoada, Por Maria imaculada, De seu ventre surge a vida, Mãe tu és consagrada.”(Marcos G. Aguiar)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Cida!
    Nossa! Protagonista tão jovem e já carregando o mundo nas costas, não deve ser fácil.
    Bom que ele teve o auxílio da coleguinha desnorteada para mostrar a luz no final do túnel.
    O livro parece intenso e que bom que as coisas melhoram um pouco no final.
    Semaninha cheia de luz e paz!
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu já estava de olho nele por causa da capa.
    Achei fofíssimo pela resenha... Tão emocionante e já vi que vou gostar. Vou chorar com toda a certeza, mas vou gostar sim.

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eis um problema bem comum que enfrentamos no dia-a-dia: a falta de diálogo.
    Aparentemente, Frankie amadurece muito ao decorrer do livro e isso é bom. Gosto de acompanhar personagens amadurecendo, porque é um bom momento para rever minhas próprias atitudes.
    O livro foi pra lista de desejados :)

    ResponderExcluir
  11. Cida essa é a segunda resenha que leio desse livro e a confesso que fiquei imprecionada com a intensidade desse livro, pensei que fosse algo bobinho que falasse de liberdade. Mas fico feliz que vc tenha gostado e que a leitura tenha acrescentado uma mensagem tão importante na sua vida.
    Com certeza as pessoas, as famílias e o mundo poderia ser melhor sem os diálogos fossem mais explorados, se as diferenças fosse encaradas com a mente mais aberta e se o medo não fosse tão paralisante, mas motivador para se superar.
    Adorei sua resenha, parabéns pela leitura. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
  12. Quero muito ler esse livro, muito mesmo! Tudo nele me atrai, desde a sinopse até a capa e os comentários das pessoas sobre ele. Hahaha
    Um abraço!
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  13. Muita gente falar bem desse livro, mas infelizmente até agora ainda não senti a vontade de fazer a leitura, mesmo sabendo que a narrativa é linda e muito comovente. Espero que depois me sinta interessada, porque a sua resenha está ótima!

    ResponderExcluir
  14. Adorei a resenha! Não conhecia esse livro, e ele parece ser aquele tipo de história que mexe com você. É raro eu gostar de algum livro com protagonista criança, mas esse parece ser muito bom.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  15. Olaaa
    Estou morrendo de vontade de ler esse livro, a capa é muuuito linda e o enredo me atraiu muito, adoro livros assim, sua resenha esta ótima e que bom que gostou tanto da leitura, espero amar quando ler.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  16. Oi Cida, tudo bem?

    Acabei de ver uma resenha desse livro também. Confesso que passaria batido por essa leitura, se não fosse a resenha de vocês. Parece mesmo ser uma história tocante. Não curto leituras lentas, mas adoro um livro que me faça repensar em alguns conceitos.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá Cila, isso também acontece comigo eu sempre me esqueço que livros com o personagem principal sendo criança pode acarretar de ter temas fortes, pelo que você falou da historia parece ser do tipo que eu gosto, onde a um pouco de drama, mas um desenvolvimento legal do personagem principal e secundários.

    Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  18. Oi Cida, tudo bom?

    Esse livro realmente tem uma narrativa extremamente tocante e que faz a gente pensar em várias coisas. Concordo quando você fala da narrativa mais lenta e até citei isso na resenha. São 200 páginas que devem ser absorvidas e sentidas. Gostei da Sidney e fiquei feliz também quando o Frankie consegue se abrir pra Jordana. Esse livro me tirou da zona de conforto.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Cida.
    Eu achei a ideia desse enredo boa, mas o fato da leitura exigir tempo, se desenvolver mais lentamente e ser bem reflexiva, toma mais tempo, e no momento prefiro algo mais fluido.
    Pretendo ler sim, mas na hora certa, e não é agora.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  20. Gostei bastante do enredo do livro, já que sou/fui "Frankie" em muitos momentos da minha vida. Por sorte, me tornei um pouco "Sidney" a tempo. Ainda não alcancei um equilíbrio entre as duas vertentes, mas pretendo fazê-lo o mais rápido possível. Espero que o livro me ajude nisso!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Li em algumas resenhas por aí que ao terminar de ler o livro, a impressão que temos é algo faltando no final. Mas mesmo assim o livro ainda é muito bom e vale a leitura.
    Adoro livros sensíveis e delicados, que transbordam amor e amizade. Após ler a sua resenha fica impossível não colocá-lo na lista de leituras mesmo não sendo uma leitura rápida e ágil com li por aí.
    Parabéns pela resenha, adorei!

    Beijos!
    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir
  22. Livro muito interessante, deve ser uma leitura beeem reflexiva. Não costumo fazer leituras com essa temática mais tensa mas gostei bastante desse livro, parece ser muito bonita a história.

    BJOS!
    http://luadeneonblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Só em ler a sinopse e a resenha já me apaixonei pelo livro só recuei um pouco quando você disse que não é uma leitura ágil :/
    mas estou doida para ler.

    ResponderExcluir
  24. Deve ser um livro muito lindo mesmo, cheio de sensibilidade. Não sei ainda se incluo na minha lista de leituras, fico muito comovida com livros com crianças.

    ResponderExcluir
  25. Boa resenha!
    Apesar de ser um livro contado por uma criança, ele parece ter uma historia maravilhosa e emocionante.

    ResponderExcluir
  26. Não costume muito ler livros que contando a historia da família pelo ponto de vista de uma criança.
    Mas parece ser uma boa historia, divertida e sensivel.

    ResponderExcluir
  27. A premissa me deixou curioso, mas não sei se vou ler.
    Tenho pego tantos livros que custam a se desenvolver e não me surpreendem.

    ResponderExcluir
  28. Li algumas resenhas de pessoas que não gostaram desse livro, acho que a maioria.
    Estou meio receosa de ler, também não é o meu tipo de livro.

    ResponderExcluir
  29. Não me lembro de ter lido nenhum livro no ponto de vista de uma criança
    Parece ser uma historia boa mas ainda não sei que coloco na minha lista de leitura.

    ResponderExcluir
  30. Legal sua resenha, como já comentado acima, também não me lembro de ler um livro do ponto de vista de uma criança ... bom, já coloquei no meu Skoob como livros para ler em 2015.

    ResponderExcluir
  31. Resenha muito bacana. Mesmo o livro tendo uma temática meio tensa você conduz o leitor a não desistir. Eu gostei muito a história porque fobias e medos são assuntos a refletir e gosto de livros que fazem pensar e não só para passar o tempo.

    ResponderExcluir
  32. Pela capa eu esperava uma história bem diferente, bobinha até. Mas sua resenha me mostrou uma história profunda, que leva a questionamentos que mesmo nós, adultos não ousamos fazer abertamente.
    Quero muito conhecer a trama que envolve esse garotinho e como ele lidou com tudo isso. Acho que teve um final feliz né?

    ResponderExcluir
  33. ótima resenha; adoro estudar o ser humano e tudo que podemos ser, com nossos problemas , alegrias , angústias e aspirações diferentemente do nosso olhar, temos nesse livro o olhar infantil! Mal posso esperar para ler!!

    ResponderExcluir
  34. Acho gostosas leituras de livros com esse tema: familia, amizade, etc. A capa do livro é linda (amo livros amarelos) , tudo a ver com a história.

    ResponderExcluir
  35. Acabei de ler este livro e adorei!
    Gostei muito da sua resenha também!
    Abraços!
    Mi!
    http://meulivrodocelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!