[Resenha] Reboot

Reboot
Título Original: Reboot (Reboot #1)
Autor(a): Amy Tintera
Editora: Galera Record         Páginas: 352
Lançamento: 2015               ISBN: 9788501401090
Reboot OK ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

Quando grande parte da população do Texas foi dizimada por um vírus, os seres humanos começaram a retornar da morte. Os Reboots eram mais fortes, mais rápidos e quase invencíveis. E esse foi o destino de Wren Connolly, conhecida como 178, a Reboot mais implacável da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano. Como a mais forte, Wren pode escolher quem treinar, e sempre opta pelos Reboots de número mais alto, que têm maior potencial. No entanto, quando a nova leva de novatos chega à CRAH, um simples 22 chama sua atenção, e, a partir do momento que a convivência com o novato faz com que ela comece a questionar a própria vida, a realidade dos reinicializados começa a mudar.


Reboot é o primeiro livro da série de mesmo nome, da autora Amy Tintera, publicada no Brasil pela Editora Galera Record, na verdade,  pelo que vi é uma duologia até o momento e o segundo volume será Rebel.

Falou em distopia eu estou dentro, ou melhor, eu quero ler, afinal este gênero sempre me fascina por apresentar histórias onde os humanos estão vivendo um caos e o mundo como conhecemos deixou de existir. Os autores são bem criativos quando apostam nestes cenários praticamente apocalípticos para suas tramas, sempre me surpreendo ao abrir um livro e me deparar com algo pior que o do último que li, em alguns casos eu consigo acreditar que é possível, que cedo ou tarde podemos viver algo semelhante, em outros casos nem tanto, é surreal demais, e Reboot na minha opinião fica na segunda categoria, não deixa de ser criativo, mas eu não posso imaginar tal realidade, e se um dia acontecer eu não sei de que lado iria querer estar. Sabem, fiquei dividida. Permanecer como humana ou virar um reboot? Também fiquei em dúvidas se os reboots não são humanos também, só que num estágio de evolução avançado. Tantas perguntas, tantos dilemas provocados por este livro. Deixo claro que não há como escolher o que ser, mas minhas dúvidas são em qual situação eu estaria em melhores condições. E afinal! O que é um reboot?

Um vírus poderoso, o KDH,  surgiu e matou muita gente, só que a morte não era um fim definitivo, em alguns casos as pessoas voltavam,  e muito mais fortes, com uma capacidade de regeneração espantosa, mais bonitas e, de acordo com o tempo levado para esta reinicialização, com menos emoções. Na verdade, quanto mais tempo a pessoa demorava para voltar, mais forte e poderosa se tornava, o que lhe dava as condições para desempenhar melhor certas funções. Este novo ser ressurgido é um reboot.

Os reboots tinham idades variadas, de crianças até jovens de no máximo vinte anos. Embora sejam aqueles que morreram precocemente, não são vistos pelos amigos e família como o mesmo ente querido que partiu, na verdade são repudiados e tidos como aberrações, no começo do ressurgimento foram caçados e eliminados, eles não são imortais, um tiro na cabeça os derrota. Contudo, a CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano, que seria o equivalente ao governo naquela realidade, viu neles um exército em potencial, assim os reboots foram escravizados, treinados em luta e uso de armas e usados para caçar. A jovem Wren, levou 178 minutos para voltar, o que lhe deu a posição de mais forte e temida entre os seus, uma garota perigosa, implacável e insensível, feita para matar e nunca questionar, pelo menos até o dia que conheceu Callum, apenas um reboot de número 22, mas com o dom de mexer com suas emoções.

É com esta premissa que Amy Tintera desenvolve sua história, nos mostrando um mundo onde mortos voltam a vida e nos caçam e vice versa. Os reboots são criaturas novas, mas como citei, não decidi ainda se são humanos evoluídos ou zumbis bonitinhos, há vários fatos no decorrer da trama que fazem a balança oscilar, mas pela série de emoções que permeiam a história, vamos por hora apostar em uma nova espécie de humanos, apesar de cheiro de morte que possuem.

A história é narrada por Wren, que desde as primeiras páginas trava uma luta interna com suas emoções, algo que não deveria fazer parte de sua vida, já que pelo seu número, 178, não poderia sentir mais nada, só que não é bem assim, ela pode até ter a fama de matadora insensível, mas observando sua amizade com a colega de quarto e depois a ligação com o 22, fica claro que ela só havia trancado seu coração por algum tempo, apenas para sobreviver.

Callum chega e tira a vida de Wren dos eixos, outros com seu número nem chegariam perto dela, mas ele é muito sem noção, ou quem sabe ousado demais, flerta descaradamente com ela e aos poucos quebra sua casca, o resultado é que eles ficam tão próximos, que pela primeira vez Wren questiona seu modo de vida: é justo ser apenas uma arma escravizada pela CRAH? O resultado desta ligação é uma busca desenfreada por liberdade, os primeiros passos para destruir a divisão social e quem sabe permitir que um mundo onde reboots e humanos vivam em paz seja possível.

Eu confesso que apesar da fama, eu não vi Wren com uma ameaça, com a tal badass que todos temiam, mesmo que bata em muita gente, ela amoleceu facilmente quando confrontada e desafiada pelo 22, eu achei que foi rápida demais essa sua transformação, esperava mais resistência de sua parte, mas apesar disso, eu gostei de Wren, ela é uma pessoa tão perdida e que precisa de um motivo para sua vida, que fica impossível não torcer para que algo de bom lhe aconteça, algo que a faça sorrir e ser feliz. Callum é um cara inconveniente e não faria meu tipo, muito petulante se vocês me entendem, não é má pessoa, tem boas intenções  e sei que muita gente vai cair de amores pelos seus sorrisos de moleque e jeito doce, mas Wren cuida demais dele, eu gostaria que fosse um mocinho mais durão, mais bad boy, não adianta, eu gosto dos caras mais terríveis.

A história é empolgante e interessante, com começo, meio e fim bem delineados e um texto ágil. Este universo reboot fascina, devorei o livro, não há como terminar um capítulo com a curiosidade saciada, você quer mais informações e quando Wren se rebela, aí sim fica impossível largar o livro, ela assume nos momentos finais uma postura de liderança admirável, suas atitudes são grandes atos de pura coragem. Mesmo que seu coração esteja totalmente aberto para emoções, há uma nova força na garota, muita determinação, a verdadeira 178 que eu esperava encontrar lá no começo. Definitivamente, ser um reboot é triste, pois fica claro que eles sentem como nós e o desprezo do vivos é cruel, ser usado e trancado como um animal perigoso não é nem um pouco legal, e me surpreendeu ver que ainda assim eles aceitavam isso com humildade.

O final não é com um cliffhanger, é daqueles que nos mostram que os personagens estão seguindo rumo a uma nova fase, de muitas mudanças e recomeço. Um livro que nos introduz perfeitamente nesta nova realidade e não sei se estou imaginando coisas ou não, mas fiquei com uma pulga atrás da orelha em relação a morte de Wren, parece que não foi por acaso. Espero o próximo ansiosa. Leiam Reboot.




2leep.com

41 comentários:

  1. Oi Cida,

    Também fiquei muito interessada quando vi que era uma distopia mas preferi ver os comentários primeiros antes de solicitar para a editora e vi que pelo jeito é uma distopia bem diferente e que agrada o bom normalmente dessas distopias é que a leitura segue rápida e ágil e vale muito a pena sempre ler esses livros e mergulhar neste universo novo!

    Dica anotada livro marcado na lista!

    Beijos tenha um ótimo dia!

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Cida =D

    Já falei que eu estou indo à falência por causa das suas indicações? hahahah
    Como sempre, mais uma resenha para me convencer a ler um livro *-*
    Sou como você, falou em distopia estou dentro! E este livro, por tudo o que você falou, parece ótimo! Vou ler, com certeza!

    Beijos,
    Livy
    nomundodoslivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Livy! Fico super feliz em saber disso, também curo muito suas indicações, não só de livros, mas de filmes, séries e música. Bjos!!!

      Excluir
  3. Oi Cida, tudo bem flor?
    Nossa, esse livro parece ser muito intenso. Achei interessante essa premissa dos reboots, me fez lembrar vampiros, mas de uma maneira menos "brilhante", se é que me entende. A dica está anotada, pois também gosto de mais de distopias, e essa parece ser uma das boas.
    abraços,
    Amanda Almeida
    http://amanda-almeida.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida...
    Até então não tinha ouvido falar do livro, mas também adoro distopia e me interessei. Apesar de eu estar lendo pouco distopias nos últimos tempos.
    Adorei ver os elogios e saber que o livro é bom. Uma ótima dica.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Que premissa incrível! Eu adoro distopias e esse livro me chamou muito a atenção.
    Achei interessante como a autora recriou os zumbis de uma maneira até mais humana, e, além disso, ainda colocou a parte política na obra, com a escravização desses novos seres.
    Sem dúvida é um livro que merece ser lido.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de abril. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!

    estava meio sem sal p topar uma leitura dese livro, mais daí peguei emprestado com uma amiga e acabei me surpreendendo de tal forma que realmente fui pego de surpresa, já que eu esperava mais uma distopia cheia de clichês e triângulos amorosos. Reboot cumpriu sua promessa e correspondeu todas as minhas expectativas." Reboot " foi um dos poucos livro que eu terminei, e simplesmente não estava cansado, eu só queria mais daquilo,e já não vejo a hora de ler o "REBEL " segundo volume desta distopia...inclusive ótima resenha... *-----*

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bom?
    Meu deus! é a SEXTA resenha q leio sobre esse livro, já conheço a história de cor kkkkkk é isso, me entrego, está na minha listinha de compras mensais de livros, estou gamado no mundo criado pelo autor! simplesmente perfeito

    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida :)
    Eu estava super curiosa para ler esse livro, mas como dei uma sumidinha dos blogs não tinha lido não vi nenhuma resenha dele. A sua foi a primeira e me deixou morrendo de curiosidade de ler. \o/
    Assim como vc eu também gosto muito de ler distopias e, muito embora tenha achado alguns enredos bem previsíveis, não me canso delas. \o/
    Não tinha muita noção do que esperar do livro, mas já vi que vou gostar bastante. Uma pena ser série, elas andam me levando a falência. Mas como esse primeiro tem um "fechamento" já dá para aguardar o próximo sem arrancar os cabelos. rs
    Vou ler! :)
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Neyla! Dá sim, você não vai ficar desesperada e de coração partido com o final, mas claro que se gostar do primeiro, vai querer conferir o que virá pela frente.

      Excluir
  9. não é uma história que muito me anime, não!
    de verdade não senti aquela empatia pelo enredo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Primeiro livro de uma série é uma coisa que me desanima ultimamente.
    Mas pelo que li e pelo tanto de elogios que vc deu, acho que vale a pena acompanhar a série toda.
    Gostei desse negócio de morrer e voltar... Um super zumbi, rsrs.

    Adorei a resenha!!

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie Cida =)

    Fiquei sabendo desse livro por um vídeo que assisti, e achei a premissa dele interessante.
    Ando fugindo um pouco de séries, até por que tenho muitas para concluir, mas a sua resenha me deixou bem curiosa para conhecer a história mais a fundo.

    Desse jeito vou a falência viu rs...

    Beijos e um ótimo final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  12. Que interessante esse livro.
    Confesso que não conhecia, fiquei bem curiosa.
    Quando leio vírus, automaticamente vem zumbis na minha mente hahahha mas essa história é bem original, pelo menos nunca vi outra semelhante hihi
    Quando tiver oportunidade, lerei!

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida,
    Já comentei algumas vezes que distopia não é meu gênero literário favorito, mas “Reboot”, conseguiu despertar meu interesse. Achei bem interesse a ideia de zumbis “civilizados” e com um propósito. Dica anotada!!

    *bye*
    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. callum realmente não é uma má pessoa, mas acho que por ele ter ficado quase nada morto, por assim dizer ele acabou ficando desse jeito.
    eu simplesmente adorei esse livro <3 super recomendo e não vejo a hora de ler a continuação.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alice! Isso é verdade, mas eu gosto dos caras mais durões, e ele foi doce demais para o meu gosto.

      Excluir
  15. Eu conhecia o enredo do livro, mas eu não tinha me interessado pela história até ler a sua resenha. Acho que por ser uma distopia diferente, e com personagens interessantes como esses, num universo completamente novo, a leitura com certeza vale muito a pena.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Tô morrendo de vontade de ler esse livro! A sinopse é ótima e sua resenha está muito boa. Adoro esses cenários, seja em livro, série ou filme, porque sempre me deixam ligada na história. Que bom que você gostou. Espero conseguir ler logo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oii
    Já até salvei o nome do livro aqui, já tinha visto a capa mais nem sabia sobre o que falava e foi bom saber, acho distopias bem legais. Foi bom ver sua opinião e entender um pouco do livro.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi, Cidoca!
    Tudo bom?
    Amiga, eu estou com esse livro na minha lista de desejados desde o lançamento.
    Ainda não consegui ler. Eu amo distopias também, e só a capa e sinopse dele já tinha me conquistado, agora com essa sua resenha, que sempre é maravilhosa, eu estou desesperada pra ler.
    Achei muito bacana o fato de um reboot "menos qualificado" ter conseguido chegar até ela e fazê-la mudar tanto. E mesmo que ela não tenha resistido tanto... Talvez ela só precisasse de alguém sem noção mesmo, que tentasse se aproximar dela, já que todos aparentemente sentiam medo dela. rsrs
    Adorei, quero mesmo ler ele.

    Beijinhos!
    Jaque - Meus Livros, Meu Mundo.

    ResponderExcluir
  19. Oi Cida, tudo bom?
    Como uma boa amante de distopias, meu olho cresceu para ler esse livro e as resenhas só aumentam minhas expectativas. Bom, apesar da protagonista não demostrar toda a força que a sinopse promete, pelo visto ela conseguiu se redimir no final do livro e adoro protagonistas assim. Bom, estou feliz por ser apenas uma dualogia e espero curtir a leitura.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

  20. Eu também venho namorando esta distopia a muito tempo, e fiquei muito feliz quando a Galera anunciou que traria ela para o Brasil.
    Livros que terminam em cliffhanger geralmente não me animam, mas esse em particular entrou na minha lista por conta de todo o "barulho em torno dele".
    Além de ser apaixonada por livros de romances também sou fascinada por ficção então acho que esse livro é o meu número. E graças à Deus é uma duologia... e não uma daqueles séries imensas que nos fazem esperar anos e anos.


    Beijos! Parabéns pela resenha!

    Viviane Gonçalves
    vsg_caue@hotmail.com

    ResponderExcluir
  21. Já queria muito ler porque tb amo distopias, depois da sua resenha, que por sinal foi maravilhosa e me deixou ainda mais com vontade de ler e principalmente por saber a minha opinião sobre o que são esses seres, se são ou não bons e principalmente sobre esses conflitos que eles sofrem, o que me lembrou um pouco a hospedeira, essa luta.... enfim gostei demais e espero ter a oportunidade em breve.
    Parabéns pelo blog!!!!

    Beijos!!!

    Bianca Valente
    biancasvalente@gmail.com

    ResponderExcluir
  22. Cida1
    Distopia também estou dentro.
    Achei um tanto complicado entender o funcionamento do mundo pós apocalíptico aqui,
    Vírus, mutação... talvez se ler o livro fique mais fácil, mas gostei da sua análise.
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Cida,tudo bem?

    Eu não sou muito fã de distopia, mas algumas conseguem me ganhar. Gostei da premissa de Rebot e vou tentar ler e ver se gosto.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá...
    Também gosto dos caras mais terríveis. Vai entender.. kkkk.. :)
    Quando vi só a sinopse o livro não me chamou a atenção, mas sua resenha me convenceu. Eu o leria numa boa. Parece muito interessante. E enquanto você ia descrevendo esse ar "distópico", imaginei muito cenas de filme. hsuahsuahsa.. Será que daria uma adaptação legal?
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Oiii, tudo bem??
    Ahhhh adorei mais essa resenha de Reboot... é uma distopia que estou louca para ler... adorei saber que o mocinho é meio frágil... só vemos mocinhos fortes e dominadores... ver um que "depende " da proteção de uma mocinha é ótimo... fiquei mais curiosa ainda de ler... essa história me fascinou desde a sinopse e a capa... quero muito ler... assim que tiver a oportunidade... xero!

    ResponderExcluir
  26. Amei essa renha do livro, amo distopias, amo livros desse gênero, já estava na minha lista de desejos, vc apenas intensificou ainda mais minha vontade em tê-lo/lê-lo!!!!
    Bianca Valente

    ResponderExcluir
  27. Estou louca para ler esse livro :) espero ganhar a promoção \o/
    Como sempre você arrasando nas resenhas ;)

    ResponderExcluir
  28. Eu gostei bastante da historia desse livro.
    Fiquei super curiosa pra saber sobre esse universo reboots.
    Eu adoro livros que falam sobre algum tipo de infecção, vírus.

    ResponderExcluir
  29. É uma historia bem diferente das que eu já vi. Parece ser um universo bem interessante.
    Bom também essa ideia personagem feminino forte e masculino fraco, geralmente é ao contrario.

    ResponderExcluir
  30. Quando ouvi falar do lançamento fiquei interessado pela premissa, mas com tantos livros para ler, acabei esquecendo desse.
    Realmente parece ser uma historia interessante.

    ResponderExcluir
  31. Eu não conhecia este livro mas ele me deixou curiosa. Não costumo ler livros assim, eu leio mais romance.
    Essa seria uma boa historia par a um filme ou uma serie.

    ResponderExcluir
  32. Eu realmente gostei dessa historia. Vou esperar sair os outros livros pra ler tudo de uma vez.
    Odeio ficar esperando o lançamento

    ResponderExcluir
  33. Oi, Cida!
    Esse livro parece muito bom
    "Descobri" as distopias recentemente e me encantei!
    Fiquei muito curiosa para saber mais sobre esse romance entre 178 e 22
    Já tinha lido algumas resenhas desse livro, mas até agora não sabia que se tratava de uma duologia :O
    Beijo!

    ResponderExcluir
  34. Distopias estão entre meus livros preferidos atualmente. Justamente por trazer uma realidade alternativa e que pode muito bem se tornar daqui daqui a pouco tempo, tendo em vista o mundo louco, agressivo e desordenado em que estamos vivendo.
    Zumbis mais bonitinhos é um diferencial. Eles tem um certo charme, mas aquele negócio de excesso de sangue jorrando e partes do corpo decrépitas me afastam um pouco desse de tipo de seres ficcionais.

    ResponderExcluir
  35. adoro ficção científica, muito bom!, fiquei ainda mais curiosa ler um livro de ficção que consiga prender minha atenção do começo ao fim!

    ResponderExcluir
  36. adoro ficção científica, muito bom!, fiquei ainda mais curiosa ler um livro de ficção que consiga prender minha atenção do começo ao fim!

    ResponderExcluir
  37. Amo todo tipo de livro de ficção científica, e ler sua resenha me deu ainda mais vontade de ler esse livro!

    ResponderExcluir
  38. Já tinha ele marcado no Skoob como desejado tem tempo, desde que lançou. No começo não curti muito a capa, mas quando li a sinopse, me apaixonei.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!