[Resenha] Hyperbole And a Half #HyperboleNaPlaneta

Hyperbole And a Half
Título Original: Hyperbole and a Half: Unfortunate Situations, Flawed Coping Mechanisms, Mayhem, and Other Things That Happened
Autor(a): Allie Brosh
Editora: Planeta             Páginas: 224
Lançamento: 2014       ISBN: 9788542203073
REsenha Hyperbole and a half ||Compare & Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||

Em Hyperbole And a Half – situações lamentáveis, caos e outras coisas que me aconteceram, a autora apresenta alguns dos textos mais lidos e comentados em seu blog e também muito material novo, inclusive histórias sobre seus cachorros (um deles aparentemente com leves problemas mentais), sua luta para lidar com a depressão e a ansiedade que insistem em dominá-la, além de anedotas hilárias sobre sua tumultuada infância. Sim, Allie foi uma criança difícil. Talvez a mais difícil de todas. Por exemplo, uma vez ela comeu um bolo inteiro só de birra porque sua mãe a proibira. E ela também atazanou a vida da família quando ganhou um papagaio de brinquedo que repetia tudo – tudo – que ela queria. Inteligente, irônico e absurdamente engraçado, o livro traz o estilo inimitável de Allie nos textos e nas ilustrações, além de algumas de suas típicas reflexões que conquistaram o coração de inúmeros leitores.
O inteligente e irreverente blog Hyperbole And a Half, da americana Allie Brosh, é um dos mais criativos e acessados do mundo. Por meio de histórias em quadrinhos, ela conta fatos de sua vida cotidiana, desde a infância até os dias atuais, de forma irônica e bem humorada. Nada de paliativos, Allie é bem sincera em suas histórias, não enfeita nada para fazer com que seja perfeito, ao contrário é sincera ao extremo, mostrando seus defeitos e fraquezas, mas sempre de uma forma hilária e muito autocrítica. Depois de tanto sucesso, as melhores histórias publicadas, foram reunidas neste livro, que leva o mesmo nome do blog e logo tornou-se um best-seller do New York Times.

Temos no livro histórias, que vão da Allie criança até a mulher adulta, posso dizer por este vislumbre de sua vida, que ela é uma pessoa de gênio forte, determinada demais, teimosa ao extremo. Contudo, vemos fragilidade e medo em outras situações, debates consigo mesma sobre ser uma pessoa melhor e não conseguir forças para isso, ficando presa em uma zona de conforto.

Cada história foi uma experiência diferente, a primeira e na minha opinião a mais genial, Sinais de Alerta, conta como a Allie de dez anos teve a ideia de escrever uma carta para seu eu do futuro, colocando ali suas prioridades e enterrando a mesma para o confronto de anos mais tarde. Foi interessante ver a mulher adulta analisando a criança, resolvendo entrar na brincadeira e dar conselhos. Não é possível ter essa interação com nosso passado, mas imaginem que legal poder dar umas dicas para nosso eu de dez, onze, doze anos... ajudando a se sair bem nos momentos difíceis, ou mesmo evitando danos no futuro, no estilo, "tome menos refrigerante para não ter celulite".

Já pensou em fazer uma carta para seu eu do futuro? Ver como você mudou?

Allie também nos diverte contando sobre suas cachorras incomuns, Simplória e Ajudante, duas figuras que deram trabalho para a família, com suas peraltices e dificuldade com aprendizado e obediência. São divertidas, mas também provas de um amor incondicional. 


E porque ela é nossa cachorra podemos notar as menores e mais imperceptíveis boas qualidades em um oceano de péssimas qualidades e nos agarrar a elas. Porque queremos amá-la.
Os contos da infância, como O Deus do Bolo e O Papagaio também são divertidos, eu fiquei mesmo com pena dos pais de Allie, pois ela foi uma criança terrível, muito ativa, que quando queria algo, subia literalmente nas paredes e na geladeira. 

Dei boas risadas, com simplicidade e palavras objetivas, ela soube mostrar momentos de muita vergonha, sem medo,  com muita honestidade e coragem.

Há também momentos tristes, foi o que senti em Identidade (parte I e II), percebi sinais de decepção e começo de uma depressão, a falta de contentamento consigo, o perigo de perder-se de si e ser uma farsa. Estes momentos foram os mais fortes de toda a leitura, embora tudo seja bem reflexivo, mesmo quando há humor, o confronto de Allie com seus medos é mais forte nessa parte, fica claro que por trás de tanta ironia, há uma pessoa bem sensível.

Allie Brosh é admirável, mostrou para o mundo fatos corriqueiros, mas que muita gente prefere omitir, por vergonha ou medo de julgamentos, ela mostrou sua alma, seu eu e por mais que em certos momentos ela seja cheia de defeitos, é impossível não sentir afeição, ser cativada, pois é real e sincero, sem máscaras. Imagino o quanto isso atinja seus leitores, muitos devem identificar-se, outros devem ficar inspirados e até mesmo confortados, por saber que não estão sozinhos nessa jornada complicada que é a vida. Nem sempre admitimos nossos medos, mas ver que muitos passam pelo mesmo faz com que seja mais fácil seguir em frente.

Criativo, perspicaz e muito inteligente, com uma mensagem positiva, estilo "não deixe que riam de você, ria junto e tire o melhor da vida" , Hyperbole foi uma das melhores leituras que fiz este ano. 








2leep.com

30 comentários:

  1. nossa, deve ser um livro forte. Tirando a parte do cachorro (não gosto muito :x) , acho que leria sem pensar.
    bj, dréa

    ResponderExcluir
  2. Oie Cida
    eu amei o livro. Além das situações hilárias (como não rir da parte do ataque do ganso), a Allie ainda faz uma auto-reflexão muito bacana sobre si mesma, que me levou a pensar várias coisas sobre mim.
    Adorei.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me vi em algumas situações, aqueles momentos de vou fazer algo e não sair do lugar.

      Excluir
  3. Oi,
    Já vi muitas resenhas positivas sobre esse livro, confesso que to curiosa! :D
    Bjs!
    Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida :)
    Ah não conhecia o blog, mas achei a ideia do projeto fantástica.
    A capa é bem atrativa...

    Eu não sei o que eu escreveria para meu eu do futuro, já pensei em fazer isso e esconder em algum lugar HAHAHA
    Mas teria algo como que eu esperei os 24 anos da minha vida chegarem para perceber tanta coisa besta que fiz e pretendia fazer, quando eu era adolescente HAHAHAHAHAHA

    Já vou colocar esse na lista! Gostei

    bjs
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  5. Ahhh que fofinho...
    Achei que fosse um livro infantil, sei lá...
    Muito interessante!

    Beijinhos
    Sou eu... Pri!

    ResponderExcluir
  6. Pela capa e pelo nome eu já imaginei que era outro tipo de livro e nem me chamou tanto a atenção.
    Ms sua resenha me deixou bastante curiosa e com vontade de ler. Se foi uma das suas melhores leituras, então provavelmente o livro é bom. Entrou para a lista de desejados.
    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Quando você diz que ela deve ter sido uma criança terrível, não sei por que, mas me vi ali, rsrsrsrs.

    Resenha perfeita!! Comecei a ler e dei uma paradinha, a contra gosto, pois estou lendo outro e quero terminar logo pra pegar esse de uma vez.

    Mas do pouco que li eu me apaixonei ♥

    Sabe, uma hipérbole em português significa uma análise sintática. Talvez ela tenha feito o blog e as histórias, e o próprio nome como uma análise, só que dela mesma. Talvez por isso você tenha detectado sinais de depressão. Enfim, só estou divagando sobre o que você disse e sobre o nome e tal... Ah! Deixa pra lá. Sou filha de psicóloga, e aprendi a analisar quase tudo.

    Bjkassssss

    Lelê
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela era triste, o caso do bolo prova o quanto era determinada, deu até pena da mãe dela.

      Excluir
  8. Oi Cida, tudo bem?
    Eu gostei muito da ideia de escrever uma carta e só abrir em 10 anos, vou fazer. Agora,quanto a sua resenha, preciso comentar:
    Você apresentou a história sobre um prisma totalmente diferente. Eu tive a impressão que seria um livro bobinho, mas pelo contrário, através dos seus olhos, parece ser uma história intensa, sensível, humana. É alguém abrindo suas portas, se mostrando por dentro e por fora. Atitude corajosa.
    Adorei sua resenha!!!!!
    Beijinhos.
    cila-leitora voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não Cila, é um livro muito inteligente, de forma objetiva e sem panos quentes, consegue nos atingir e mostrar não só a vida da autora, mas algumas verdades sobre nós mesmos.

      Excluir
  9. Oi Cida, tudo bem?
    Eu achei super interessante. Visitei o blog dela e vi que a histórias são contadas de uma forma bem simples e sem muito floreio, e acho que essa simplicidade é faz com que ela tenha tanto reconhecimento.
    Concordo quando você disse que as vezes quando vemos que alguém passa pelas mesmas dificuldades que nós passamos fica mais fácil até de aceitá-las.
    Dica anotada.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    Você é o que lê

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida

    Jamais imaginei que existisse uma história tão legal por trás desse meme.
    Sempre achei muito interessante escrever uma carta para o meu eu do futuro, mas confesso que tenho um certo medo de quando chegar a hora de reler a carta meu futuro tenha sido uma decepção com relação ao que eu esperava dele.
    Quando vi esse livro pela primeira vez acreditei que não seria o tipo de leitura pela qual eu me interessaria, mas sua resenha me mostrou um lado do livro que eu não imaginava existir.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  11. Realmente não sabia nada sobre o livro =(
    Mas este livro deve ser tudo de bom, achei super diferente sua ideia, achei super fofa sua capa...Creio que deve ser super divertido!! Parabéns pela resenha!!
    Dica mais que anotada!!

    ResponderExcluir
  12. eu to doida pra ler esse livro *---*
    http://www.seguindoocoelhobrancoo.com.br

    ResponderExcluir
  13. Ia adorar ler esse livro, parece bem hilário mesmo!.
    Gostei dessa ideia de escrever uma carta pra minha eu do futuro, vou fazer isso hoje mesmo, e vou marcar pra ler daqui a 1 ano, espero que dê certo! hahahahah
    eu amo cachorros, então ia amar ler sobre a Allie contando dos cachorros dela tbm...
    Valeu pela resenha, beijosss.
    emiliano.fernanda@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  14. Acabei de ler um resenha totalmente oposto a sua rs
    Não sei se iria gostar desse livro, acho que o humor americano é bem diferente daqui do Brasil.
    Não me interessei muito pelo livro, por não se tratar de uma história, mas sim momentos da autora. Mas, que bom que você aproveitou muito a leitura.

    ResponderExcluir
  15. adorei a ideia do do livro, é instigante, é emocionante, faz com que a gente ria e se emocione em poucos minutos
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi Cida!
    Eu acho que já vi esses quadrinhos na internet... Fiquei com vontade de conhecer o livro também, escrever uma carta para o "eu" do futuro é uma ideia muito legal!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  17. Eu não li este livro ainda, mas pela resenha ele parece ser um livro bem legal. Gostei da capa e da premissa.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oie Cida!!! AInda não tinha visto falar desse livro, mas fiquei super curiosa, creio que deve ser bem reflexivo. A Parte que mais me chamou a atenção foi quando ela fala sobre escrever uma carta para seu eu do futuro e como estaremos lá na frente, é super bacana. Espero poder ler esse livro!

    Beijos!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  19. Simplesmente não consigo olhar pra cara de cachorro na capa e não rir! kkkkk
    Tô precisando de um livro divertido e leve como esse. Gostei e vai pro meu skoob com certeza!
    Mas eu não conseguiria esperar 10 anos pra ler uma carta pra mim mesma. Provavelmente eu iria perder esse papel até lá...

    ResponderExcluir
  20. Eu nunca tinha ouvido falar neste blog, este livro eu leria com certeza, ainda mais que fala sobre cachorros que eu amo e pelo que entendi há alguns momentos de humor, coisa que gosto muito nos livros.!
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Onde é que já vi esses desenhinhos? Pelo que entendi é uma história verídica, isso? Textos compilados do blog da autora. Eu achei que fosse uma HQ, pela capa.. e pelo título, que é estranho.. hehe Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  22. Eu não conhecia o site dela, mas parece que o livro é legal de certa maneira fofo até, isso que não sou muito de quadrinhos.

    ResponderExcluir
  23. Não conheço o blog mas acompanho o "Como eu realmente..." e adoro! Me parece o mesmo estilo! :)
    Me parece um livro bem leve e divertido. Quero ler e depois vir aqui comprar opiniões! :D

    ResponderExcluir
  24. A cada resenha só me encanto mais com o livro. toda a diagramação dele, a entrega da autora e claro, a carta para o seu eu do futuro! Eu já estou pensando na minha.. acho que a experiencia será divertida =)

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  25. Todos estão falando muito bem desse livro, não posso deixar de conferir. Assim que eu tiver uma oportunidade vou comprar.

    ResponderExcluir
  26. Sou apaixonada por histórias em quadrinhos. Esse livro tá fazendo um sucesso na blogosfera. Quero muito ler e adorei a resenha. Achei Allie muito madura, por ser uma criança. Bem determinada e realista.
    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

    ResponderExcluir
  27. Esse lançamento da Planeta e toda a história envolvendo a autora e o livro em si me chamaram a atenção, narrar os fatos da vida com doses de humor e ironia e em quadrinhos com essa personagem que criado pela Allie que já é grande conhecida por ter virado um meme, estou muito afim de poder fazer essa leitura passando um tempo ao lado das aflições e me divertindo com a narrativa da autora, o importante é não se deixar abater pelas dificuldades e dar risada sempre é o melhor remédio.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!