[Resenha] Talvez Um Dia

Talvez Um Dia
Título Original: Maybe Someday (Maybe #1)
Autor(a): Colleen Hoover 
Editora: Galera Record         Páginas: 368
Lançamento: 2016               ISBN: 9788501050311
||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.
Colleen Hoover é uma autora que tem o dom de fazer as emoções e sentimentos transbordarem das páginas de seus livros, é algo palpável.  Eu nunca sei exatamente o que esperar de cada história, além de saber que vou ficar com o coração partido.

Talvez Um Dia foi um dos livros da autora que mais aguardei chegar por aqui, isso porque depois de ler o maravilhoso O Lado Feio do Amor, descobri que ela tinha uma parceria com Griffin Peterson e que existiam trilhas sonoras especiais para seus livros. Ouvi muitas vezes Ugly Love e fiquei bem curiosa a respeito da história que inspirou a canção Maybe Someday,  assim precisava muito deste livro.

Imaginem um presente de aniversário surpresa. Imaginaram? Só que não temos nesta história um presente bom, pois a jovem Sydney no dia que completou 22 anos ganhou da melhor amiga e do namorado um presente de grego. Ela descobriu que os dois tinha um caso e a enganavam há muito tempo.

Sydney literalmente deu porrada na dupla de traidores e saiu correndo sem rumo embaixo de uma chuva torrencial, se não fosse pelo intrigante e talentoso vizinho músico, Ridge, teria ficado na rua. O rapaz que há dias vinha deixando as tardes de Sydney mais belas com o som de seu violão, permitiu que ela fosse morar com ele e mais duas pessoas. Contudo, não foi um gesto tão abnegado assim, afinal ele sabia que ela era uma compositora nata e precisava de suas letras.

Sydney e Ridge formaram uma parceria musical que esbanjava sentimentos e amor, tanto que a atração entre os dois foi imediata e logo ambos estavam lutando contra o desejo e a paixão avassaladora que os consumia. Era proibido, já que ele tinha namorada e ela não desejava fazer com outra garota a maldade que fizeram com ela. Mas será que dá para fazer o coração ser racional? Como Renato Russo cantou em Eduardo e Mônica: Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração?

Não tenho dúvida de que seriamos perfeitos um para o outro, Sydney. Mas nossas vidas não são perfeitas  para nós.  

É desta premissa que Hoover conduz sua trama, vamos a cada página conhecendo Ridge e Sydney e sua história de amor complicada e impossível. Alternando a narrativa entre os pontos de vista de cada um, a autora mostra com maestria os conflitos que vão tumultuar suas vidas. É muita dor, frustração e sofrimento, mas há também momentos divertidos e de muita amizade. Uma mescla de controvérsias que deixa o leitor confuso e sem imaginar o que o final reserva.

Cada nova música composta faz o leitor sofrer as mesmas ânsias do casal e imaginar como eles vão lidar com tamanho desafio. Fica a dica de ler ouvindo a trilha sonora para sentir ainda mais profundamente a intensidade de cada momento.

Sydney é uma moça comum que sofreu uma desilusão amorosa como tantas outras moças por aí. Faz um curso universitário que vai contra a vontade dos pais, mas mesmo assim não desiste de seus sonhos e fica firme na escolha da futura profissão, ainda que esteja bem perdida nos rumos de outros aspectos da vida.

Já Ridge de comum não tem nada, foi o protagonista masculino de Hoover que mais me deixou impressionada, isso porque é surdo e ainda assim um prodígio musical. Gente! Fiquei bem tocada com a forma que a autora mostrou o lado musical do rapaz e como mesmo com sua deficiência auditiva ele “ouvia” as músicas. Posso dizer que cada cena na qual isso foi apresentado eu perdi o fôlego e me senti até mesmo quente. Que moço sedutor.

Temos ainda personagens secundários que são tão marcantes quanto os protagonistas. São eles Maggie, Warren e Bridgette. A primeira a namorada de Ridge, o segundo o melhor amigo e a terceira, a paixão de Warren. Eu adorei a doce Maggie, quis um amigo como Warren para mim e achei o jeito rabugento de Bridgette uma dose bem vinda de ácido para a trama.

Todo este conjunto permitiu que a trama ficasse mais e mais interessante a cada página e a leitura fluísse como a correnteza de um rio. Não dá para parar de ler. É uma narrativa que prende e faz você devorar o livro. Eu vivi tantos e tantos conflitos com esta história, pois por mais que tenha gostado de Syd e Ridge, em momento algum consegui aceitar o que sentiam. Se Maggie fosse uma filha da mãe desprezível, eu com certeza levaria na boa o que estava acontecendo, mas ela era muito legal (até mais do que Sydney), e eu não queria que sofresse.

Sydney e Ridge agiram errado. Poderiam ter se afastado? Provavelmente, quando um não quer, dois não brigam. Contudo, permitiram ficar a cada dia mais envolvidos e chegou um momento que desisti de tentar adivinhar o que Hoover ia aprontar e me deixei levar pela história.

Certo? Errado? Cada um vai julgar de uma forma. Sem dúvidas o conflito todo é bem trabalhado e cheio de entrelinhas, mas ainda assim eu não me convenci que era certo. É minha opinião, minha concepção do que é moralmente aceitável, mas você aí pode ver por outra perspectiva e aceitar. Indiferente ninguém vai ficar. 

Ainda que não tenha concordado com algumas coisas, é impossível não curtir bastante Talvez um Dia. Foi imprevisível, adorável e mexeu comigo de um jeito que só esta autora é capaz de fazer. A parte musical é sensacional e mais uma vez recomendo que ouçam Griffin Peterson ♥.

Desta vez meu coração acelerou, mas não se partiu. O drama não foi o foco da vez, embora exista a sombra de uma perda sobre a cabeça dos personagens. O final é fechado e há um segundo volume – Maybe Not , que é sobre Warren e Bridgette. Pelo que vi dos dois tenho certeza que será uma história muito engraçada e espirituosa.



2leep.com

16 comentários:

  1. Oiiiiiii
    Li semana passada e amei o livro
    Fiquei mt dividida mas amei como a história terminou!

    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito desse enredo e fiquei com muita vontade de ler essa obra!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/2016/06/resenha-do-filme-como-eu-era-antes-de.html

    ResponderExcluir
  3. oi flor, que bom que a trama é tudo isso e mais ainda, confesso que não morro de amores pela escrita da autora, mas que curti a proposta e leria com certeza
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Cida!

    Tenho vontade de ler "O lado feio do amor", afinal, depois de tantas resenhas positivas, foi impossível não ficar curiosa.
    A história de "Talvez um dia" não chamou minha atenção, por eu não apoiar a situação apresentada; porém, parece que a autora sabe como mexer com os sentimentos do leitor - e eu acho isso incrível - e escrever uma boa história.
    Adorei a resenha!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oie Cida =)

    Eu chorei muito lendo esse livro. Sério, a Colleen partiu meu coração em mil pedaços e depois aos poucos foi colocando cada um deles no lugar.

    O Lado Feio do Amor continua sendo o meu xodó, mas Talvez um Dia conquistou um lugarzinho especial em meu coração também.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. Oi Cida,
    Ainda tenho que ler algo da autora.
    Já tinha lido vários elogios sobre esse livro e gostei do que a Sydney fez ao saber da traição haha

    tenha uma ótima semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Nunca tive a oportunidade de ler nada da Collen, mas confesso que há um bom tempo ando querendo conhecer as obras dela. Hopeless fez muito sucesso e vi muitos comentários sobre a serie, agora estou vendo que ela continua lançando sucessos. Gostei muito da resenha.

    Resenha | Fangirl, Rainbow Rowell

    ResponderExcluir
  8. Oi Cida!!!

    Mais uma resenha da Hoover e mais uma vez fico com vontade de ler o livro!! Adoro quando os personagens secundários são bons! Dá uma empolgação a mais! E que bom que o coração não se partiu, melhor assim rsrsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  9. Preciso ler alguma coisa da autora, Cida. E acho que nada melhor do que começar por esse. Não quero ter coração despedaçado não rs

    http://revelandosentimentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Cida, sua linda, tudo bem?
    Estou louca para ler esse livro!!! Essa é a primeira resenha que leio e estou completamente encantada com ele. Gente, a autora deve ter muita sensibilidade para criar um personagem surdo com talento musical, tenho certeza de que irei me emocionar. Eu não aceito traição, mas sou a favor de viver o amor intensamente. Então, em minha opinião, se ele estava sentindo tudo isso por ela, era porque não amava mais a namorada e teria que terminar com ela e se arriscar com Sid ao invés de traí-la, não acho isso certo. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Não gosto da autora, acredita nisso?? Não me dei muito bem com ela... mas até que este está me fazendo mudar de ideia.
    Acho que vou arriscar nessa leitura... Ai, depois te conto se curti :)

    Bjkssssssss

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua resenha! N sabia dessa questão das músicas, vou procurar mais sobre o assunto. Até hj só conseguu ler 1 livro da Colleen, mas sempre vejo td mundo elogiando tds os livros, haha.
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
    Ps: tem sorteio rolando no blog ;) #2AnosDeACDH

    ResponderExcluir
  13. Oi Cida!
    Acabei me decepcionando um pouco com esse livro, achei tão fraco :/
    Enfim, parabens pela resenha!, senti quase as mesmas coisas hahah

    Abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Você e a arte de me fazer desejar ardentemente ler a Colleen Hoover, estou numa vibe romances históricos, mas já disse e repito tenho ro mances da Hoover no kobo e estão na ponta da agula!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  15. Ai, meu deus *-* fiquei mega ansiosa para ler este livro após sua resenha. Ja tinha lido algumas impressões, mas por mais que eu goste de Coho as outras resenhas não foram tão completar assim, adorei.
    Beijos
    Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  16. Sou fã dessa autora, preciso ler esse livro! <3
    http://www.arquivosderafaela.com/

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!