[Resenha] Younger

Younger
Título Original: Younger
Autor(a): Pamela Redmond Satran 
Editora: Record                    Páginas: 320
Lançamento: 2015               ISBN:  9788501103765
Younger ||Compre||     ||Skoob||  ||Goodreads||
Alice sempre pareceu mais nova do que realmente era, apesar de alguns fios de cabelo branco e do jeito despojado de dona de casa de Nova Jersey. Ou melhor: ex-dona de casa. Agora que o marido a deixou e que a filha já não é mais criança, ela precisa refazer sua vida. Então deixa que sua melhor amiga, Maggie, transforme seu visual na véspera do Ano-Novo. Graças às maravilhas da tintura de cabelo e de um par de jeans colado ao corpo, Alice se vê com uma aparência mais jovem, fato atestado num bar de Manhattan: à meia-noite, ela beija um cara que ainda usava fraldas quando ela já cursava o ensino médio. A mentirinha que contou a Josh a faz acreditar que, se ninguém perguntar sua idade, ninguém vai descobrir a verdade. Então Alice se candidata a um cargo na editora em que trabalhou brevemente antes de se tornar mãe em tempo integral – e consegue o emprego. Aos poucos, Josh se apaixona perdidamente por Alice, uma mulher muito mais interessante que as da idade dele. Para ele, Alice tem 29 anos – e pela primeira vez desde os 29 ela tem a sensação de que a vida é um mar de possibilidades. Mas, infelizmente, uma delas é ser desmascarada.
É tarde demais para ser jovem?

Younger, de Pamela Redmond Satran, publicado no Brasil pela Editora Record, apresenta a história de Alice, uma mulher de 44 anos que após um divórcio inesperado e a partida da única filha para a África, se vê sozinha e sem muitas oportunidades, isso porque tanto no campo afetivo, quanto no profissional, não encontra espaço para alguém de sua idade. Ela percebe que mulheres mais jovens têm melhores chances de arrumar um bom emprego e um bom partido, e na noite de ano-novo, andando pelas ruas de Nova Iorque ao lado da melhor amiga Maggie, verbaliza seu desejo, de querer ser mais nova, o que surpreende a outra e a leva a operar uma transformação em Alice. Tintura, corte e roupas descoladas, a dona de casa passa a ser vista com alguém de no máximo 29 anos e pronta para começar a vida, só que na verdade a palavra certa seria recomeçar.

Alice então entra numa onda de novidades, consegue o emprego tão almejado justamente na editora que havia começado sua carreira anos atrás, mas naquela época renunciou a vida profissional para ser mãe em tempo integral, e não é só isso, faz novas amizades e até conhece um cara gato e jovem, bem jovem, Josh é um encanto e tem praticamente a idade da filha dela. Tudo aparentemente perfeito, mas nem tanto, pois para manter a nova vida, precisa esconder seu antigo eu. Temos então duas mulheres em conflito, a Alice do passado e a do presente tentando viver em harmonia.

Em uma época na qual casamentos não são mais vistos como um porto seguro ou sinônimo de eterno,  a cada dia mais e mais mulheres têm que começar do zero após um divórcio ou mesmo o crescimento dos filhos, claro que muitas de nós equilibram carreira e família, mas há ainda aquela cota que deixa de lado parte do que fazia quando solteira e se dedica só aos filhos e marido, essas mulheres são representadas por Alice na obra da Satran. Ela é uma personagem de um livro, mas é tão real que você acredita que poderia estar logo ali do seu lado, na fila do supermercado ou na mesma empresa, o fato é que esta história não é nada fantasiosa, aborda um assunto atual e que nos leva a refletir sobre nós mesmas e nossas escolhas. Vale a pena abrir mão de nossos sonhos pelo marido? Pelos filhos?

A narrativa em primeira pessoa pela voz de Alice é ágil e fluida, os assuntos são desenvolvidos de maneira hábil e honesta, e não só no tocante a protagonista, ainda temos outros personagens que vivem dilemas tão complicados quantos os dela, tal como Maggie que decide ser mãe tardiamente e precisa lutar com o próprio corpo para engravidar, pois seu relógio biológico está em contagem regressiva para o fim da idade fértil.

Eu gostei muito de Alice, desde as primeiras páginas me divertiu, suas tentativas de paquera são muito constrangedoras, mas não deixam de ser inocentes e ingênuas, foi ótimo ela ter como alvo um cara legal como Josh, que mesmo jovem, era bem maduro e compreensivo. Alice surpreende, alegra e irrita o leitor, isso porque suas mentiras acabam lhe deixando com os nervos à flor da pele e você vê  que ela reluta e fica indecisa em situações tão simples, só que se você se colocar na pele dela verá que não é tão fácil assim sair daquela confusão, há uma clara briga entre a mulher que ela é e aquela que finge ser, o que fica óbvio para nós é o seguinte: Alice só ficaria em paz e seria feliz no momento que entendesse que as duas eram uma única pessoa e que sua verdadeira idade não poderia ser medida apenas pela aparência ou anos corridos, e sim também por seu estado de espírito, a juventude que vem da alma.

Eu gostei muito do livro logo de cara, a autora poderia ter optado por algo depressivo ao criar sua personagem, mas não, desde o começo, mesmo com seus receios e coração partido, Alice transmitiu algo positivo, teve coragem, e muita, mesmo que por caminhos tortuosos, de recomeçar. Suas lágrimas sempre davam a sensação de alívio, de estar colocando algo para fora e resolvendo. Eu não só vibrei com cada reviravolta em sua vida, mas com suas atitudes, claro que fiquei revoltada com sua maneira servil de tratar a filha, que via nela uma serviçal, não mãe, no entanto isso foi resolvido e ambas passaram a ter uma relação de cúmplices e amigas. Na verdade, Diana, foi essencial para ajudar a mãe em um momento decisivo.

O romance entre Alice e Josh não é a peça central da história, é algo feito para completar o quadro geral, parte da vida desta mulher carismática e doce. Podemos ver certos clichês em alguns momentos, mas inevitáveis para passar a mensagem certa aos leitores. A legitimidade e veracidade que a autora abordou os temores femininos não soou forçada, foi algo inserido de maneira sutil, dando começo, meio e fim bem delineados ao livro. O final é para mostrar que as oportunidades estão ali para serem colhidas, é fechado, mas não nego que adoraria ver um segundo volume de Younger, saber como ficou a vida de Alice depois de aceitar-se totalmente. Com simplicidade e otimismo, Younger me conquistou.

O livro foi adaptado para as telas, o seriado de TV de mesmo nome tem no elenco a atriz Hilary Duff, pretendo conferir em breve.

E então, me tornando mais jovem, eu tinha, de alguma forma, amadurecido. Eu me tornara o meu eu real adulto.



2leep.com

17 comentários:

  1. Ola,tudo bem?
    Adorei a capa e a historia do livro. Tamen gostei muito da sua resenha.
    Beijinhos.
    http://abracalibro.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
  2. Oi Cida!
    Já tinha visto esse livro mas sua resenha é a primeira que eu leio, e me deixou curiosa! O livro parece ser ótimo!
    Também não conheço a série de tv, fiquei com vontade de assistir.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi, Cida!
    Que bom saber que o romance não é o foco dessa história, pois não curto. rsrs
    Com certeza vou ler esse livro, por tratar de família e aceitação.
    Amei a resenha! Bjs <3

    ResponderExcluir
  4. Eu assisto a série e amo, por isso, gostaria muito de ler o livro também!
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda não vi a série, bom saber que é legal.

      Excluir
  5. Vi o nome e me lembrei da série de TV, série que não dei muita atenção, Mas lendo a resenha, achei a estória interessante.

    Beijos
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu p-r-e-c-i-s-o desse livro! Acredita que eu já o tinha visto, mas não me interesse?
    Ta ai o poder de uma resenha <3
    Esse lance de família x profissão é bem complexo e, apesar de ser bem decidida hoje em dia, não sei se posso fraquejar quando meus filhos nascerem haha. Esse livro tem de tudo para reafirmar minha escolha.
    Nem preciso dizer que adorei a proposta né. Fiquei mais contente ainda de saber da adaptação! Já estou procurando o episódio piloto para assistir em breve.

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  7. Cida, adorei a resenha!
    Não conhecia o livro e achei a história muito legal. Personagens como Alice sempre conquistam minha simpatia (essas mulheres depressivas me cansam), ainda mais quando dão a volta por cima. Até me peguei fazendo uma comparação comigo na questão de aparentar ser mais nova (ninguém acredita quando falo quantos anos tenho, muitos me dão no máximo 25 anos...mal sabem eles - rs).
    Já foi para a lista dos desejados. Aproveitei para incluir a série na minha lista, adoro a Hilary. <3
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neyla! Eu também entro nesta de parecer ter menos, é bom demais.Rs

      Excluir
  8. oi Cida, que enredo bacana! as questões que a autora traz para seu enredo são bem interessantes: a necessidade de recomeços, o velho lema "amor não tem idade", esses fatores agregados a uma narrativa divertida promete me conquistar
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olaaa
    Confesso que aos poucos Younger acabou me conquistando também e espero ler outros da autora, a sua resenha esta otima e que bom que gostou tanto, amei essa capa haha e quero assistir ao seriado.

    Beijus
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  10. Estou muito curiosa para ler esse livro. O que mais gosto é que é uma história que pode acontecer com qualquer pessoa, como você disse, é bem real. A principal parece ser bem engraçada, então tenho certeza que vou gostar. Adorei sua resenha :D

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  11. Oláaa! Mesmo que o livro não me interesse muito, gostei de ler a sua resenha. Acho que você conseguiu dosar muito bem a parte do resumo e parte das suas impressões. Um beijinho!
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
  12. Olá,

    Juro que quando vi a capa desse livro pensei que seria uma protagonista mais jovem e não uma mulher de 44 anos. Não me senti inclinada a fazer essa leitura. Tenho tantas coisas para ler. =/' Mas depois irei dar uma conferida na serie, quem sabe ela não me atraía mais.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books

    ResponderExcluir
  13. Oieee!
    Já vi muitas resenhas deste livro na blogosfera!
    Vi algumas negativas e outras positivas como a sua! Eu amei esta capa e achei q a história é um pouco diferente!
    Acho válida a leitura!
    Bjos!
    Aline Praça
    www.leituravipblog.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Cida tudo bem?

    Que legal que o livro esta agradando muito a todos acho que é uma leitura super válida ainda mais para mim que já estou no 3.0 e as vezes sinto que não consigo mais fazer algumas coisas espero gostar da leitura e mudar alguma coisa !

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi, Cida! Já tinha ouvido falar desse livro e da série de tv. Pretendo conferir os dois, porque pelo o que você resenhou, parece ser uma leitura super interessante. Acho que nunca é tarde para ser jovem, porque isso é um estado de espírito e não tem relação com a idade da pessoa. Se tem disposição e vontade, tem mais é que aproveitar o que a vida tem para oferecer. Pretendo ler!
    Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário.

Sua participação é muito importante.

Um grande beijo!